Comparação Lula x FHC 5 – Indicadores econômicos e de atividade

Uma das falácias mais repetidas pela velha mídia é a de que o presidente Lula teria mantido os fundamentos macro-econômicos definidos pelo governo FHC desde o plano Real e esse seria o motivo do seu sucesso. Provavelmente se fosse vivo, até Goebbels se surpreenderia de estarem levando a ferro e fogo sua tese na qual a mentira se for repetida à exaustão passa a ser considerada uma verdade inquestionável.

Quem tem memória e acompanhou com preocupação tudo o que aconteceu na política do país pelo menos nos últimos 16 anos sabe que as bases macro-econômicas que Lula prometeu manter na histórica “Carta ao povo Brasileiro” não eram políticas de estado de FHC  e muito menos implantadas no plano Real e sim imposições do FMI para poder mais uma vez tirar o país do fundo do poço que a administração tucana o enfiou por mais de uma vez.

A empulhação mentirosa cuja musa é a Míriam Leitão, defende a tese que todo o sucesso do governo Lula é fruto do que foi plantado pelo FHC e que este último apenas teve um azar danado com as condições internacionais mas, os fatos e dados que eles tanto fogem mostram que essa tese não se sustenta em cinco minutos de discussão. Os números mostram que durante o governo FHC o país viveu dois momentos distintos: no primeiro mandato a ilusão de um cenário artificializado pela âncora cambial que resultou no maior derrame nas reservas internacionais que se tem conhecimento na história do país e no segundo onde o país viveu um caos e perdeu tudo que tinha conquistado no primeiro momento do Real, tendo que ser salvo várias vezes pelo FMI, que além de pagar nossas contas ditava como deveríamos conduzir a economia e limitando investimentos sociais. O governo FHC foi marcado pela estagnação de uma economia que crescia bem menos que a inflação, pelo apagão de investimentos que até hoje sentimos as consequências e pela quantidade de desempregados que lançou na sociedade porque a economia estagnada não gerava os empregos para suprir a demanda dos novos trabalhadores que chegavam ao mercado de trabalho. Separamos algumas séries históricas de indicadores econômicos e de atividade para poder mostrar um pouco  como o país se comportou nesses parâmetros durante os dois governos, e eles mostram claramente uma mudança de sinal que apenas acontece quando se imprime uma mudança real na forma e responsabilidade como é tratada a coisa pública.

O gráfico abaixo mostra como variaram nos dois governos: a taxa de juros selic definida pelo Banco Central, a taxa de inflação pelo IPCA e a Taxa de juros real (SELIC – IPCA), todas com intervalos mensais anualizados. O gráfico mostra os picos de taxas de juros das crises de 97 e 99 e da liberação do câmbio no início do segundo mandato de FHC, o que significa que em crises bem menores que a de 2009, o país teve que tomar medidas mais drásticas pois a nossa economia tinha se tornado fragilizado com a sangria de nossas reservas, que foi o custo da reeleição do FHC. Também é importante salientar que durante todo o seu governo manteve a taxa Selic em torno de 20% ao ano, mostrando como o país pagou o preço da estagnação para sustentar um controle inflacionário apoiado em fundamentos equivocados, além de evidenciar a incoerência dos tucanos quando hoje criticam os juros reais de pouco mais de 4% ao ano.

Um indicador de atividade que mostra bem a saúde da economia de um país é o  índice de utilização de capacidade instalada da indústria que é uma espécie de termômetro da confiança do investidor e da demanda de nossos produtos. O aumento da utilização da capacidade instalada mostra que houve um aumento na demanda pelos produtos fabricados ou um acréscimo de investimento que significa que o empresário confia que o mercado consumidor se aquecerá em breve. Também é um indicador que revela em vários momentos no governo FHC (96, 97, 99, 2001) a utilização da capacidade instalada do país esteve em níveis alarmantes comuns a períodos de recessão econômica, e que no Governo Lula apenas na grande crise de 2009 a utilização caiu bruscamente mas, rapidamente retomou a trajetória de crescimento. Para facilitar a compreensão da tendência de queda do Governo FHC e de subida do governo Lula, nós traçamos uma linha calculada por polinômio (opção do Excel 2007).

Para completar, a série histórica da pontuação do índice Bovespa que é um indicador que reflete a forma como os investidores internacionais melhoram suas posições em relação ao potencial do país enquanto bom investimento. O investidor internacional aumenta os seus investimentos à medida que tem confiança nos fundamentos da economia e esse aumento é notável após 2003 e mesmo sofrendo um baque durante a crise de 2009, logo recuperou a trajetória de crescimento, principalmente depois que o país demonstrou durante a crise que realmente é digno da confiança depositada até aquele momento. Um dado de extrema importância que mesmo com a diminuição gradativa da taxa de juros reais os investimentos continuaram crescendo o que mostra que além de serem muitos superiores, a qualidade também aumentou porque se antes vinham atrás de especulação e lucro fácil pelas taxas de câmbio exorbitantes, agora passam a procurar um mercado promissor com os investimentos feitos a prazos maiores.

Espero que esse artigo tenha fornecido subsídios para futuras discussões sobre o assunto, pois é importante ter argumentos para rebater os adeptos da verdade única que usurpa o sucesso do governo do presidente Lula tentando atribuí-lo a um governo que fracassou. Todos os artigos dessa série não se tratam de simples comparações de dados dos dois governos, abordamos e aprofundamos nos assuntos para não dar margens a contestações e desqualificações, como já aconteceram algumas em comunidades do Orkut mas, que já foram devidamente rebatidas porque nós aqui lidamos com dados reais que podem ser verificados.

Fonte dos dados desse artigo: CORECON/SP – Caminho: Indicadores e Pesquisas / Séries Históricas

Informações adicionais:

  • Nos meses de Dezembro de 94 a junho de 95, a anualização não levou em conta a inflação anterior a julho de 94 para não ser contaminada com a inflação pré-real sem prejuízo da análise dos números
  • O índice Bovespa de Dezembro de 94 a Fevereiro de 97  foram reajustados para que possa ser verificada a sua trajetória pois, em março de 97 A Bovespa promoveu uma divisão do seu índice pelo quociente 10.

O quadro abaixo é uma contribuição do amigo leitor Rogério Bressan, que pesquisou a compilou os dados usando como fonte a revista  Conjuntura Econômica o IBGE e o IPEA.

Error: Não foi possível criar o diretório wp-content/uploads/2014/11. O diretório pai possui permissão de escrita? About LEN
Químico, microempresário, consultor de empresas, libertário de esquerda e agnóstico. Sem compromisso algum que o impeça de exercer de forma irrestrita o seu direito de liberdade de expressão e de criticar jornalistas, veículos de comunicação, partidos políticos, autoridades e personalidades públicas. LEN é o acrônimo do meu nome Luiz Eduardo Nascimento que uso desde que colocava recordes em máquinas de vídeo da Taito nos anos 80, e que é a forma como amigos passaram a me chamar.

Outros posts da série

  1. Comparação Lula x FHC 1 - O salário mínimo
  2. Comparação Lula x FHC 2 - Dívida pública e PIB
  3. Comparação Lula x FHC 3 - Geração de empregos e taxa de desemprego
  4. Comparação Lula x FHC 4 - Saindo da pobreza
  5. Comparação Lula x FHC 5 - Indicadores econômicos e de atividade
  6. Comparação Lula x FHC 6 – Combatendo o desmatamento

60 comments on “Comparação Lula x FHC 5 – Indicadores econômicos e de atividade

  1. Abbud disse:

    Ola LEN, não vou comentar nada, apenas deixar que o próprio comparado responda a todos os seus argumentos, da sua séria de comparações:

    SEM MEDO DO PASSADO

    Fernando Henrique Cardoso

    O presidente Lula passa por momentos de euforia que o levam a inventar inimigos e enunciar inverdades. Para ganhar sua guerra imaginária, distorce o ocorrido no governo do antecessor, autoglorifica-se na comparação e sugere que se a oposição ganhar será o caos. Por trás dessas bravatas está o personalismo e o fantasma da intolerância: só eu e os meus somos capazes de tanta glória. Houve quem dissesse “o Estado sou eu”. Lula dirá, o Brasil sou eu! Ecos de um autoritarismo mais chegado à direita.

    Lamento que Lula se deixe contaminar por impulsos tão toscos e perigosos. Ele possui méritos de sobra para defender a candidatura que queira. Deu passos adiante no que fora plantado por seus antecessores. Para que, então, baixar o nível da política à dissimulação e à mentira?

    A estratégia do petismo-lulista é simples: desconstruir o inimigo principal, o PSDB e FHC (muita honra para um pobre marquês…). Por que seríamos o inimigo principal? Porque podemos ganhar as eleições. Como desconstruir o inimigo? Negando o que de bom foi feito e apossando-se de tudo que dele herdaram como se deles sempre tivesse sido. Onde está a política mais consciente e benéfica para todos? No ralo.

    Na campanha haverá um mote – o governo do PSDB foi “neoliberal” – e dois alvos principais: a privatização das estatais e a suposta inação na área social. Os dados dizem outra coisa. Mas os dados, ora os dados… O que conta é repetir a versão conveniente. Há três semanas Lula disse que recebeu um governo estagnado, sem plano de desenvolvimento. Esqueceu-se da estabilidade da moeda, da lei de responsabilidade fiscal, da recuperação do BNDES, da modernização da Petrobras, que triplicou a produção depois do fim do monopólio e, premida pela competição e beneficiada pela flexibilidade, chegou à descoberta do pré-sal. Esqueceu-se do fortalecimento do Banco do Brasil, capitalizado com mais de R$ 6 bilhões e, junto com a Caixa Econômica, libertados da politicagem e recuperados para a execução de políticas de Estado.

    Esqueceu-se dos investimentos do programa Avança Brasil, que, com menos alarde e mais eficiência que o PAC, permitiu concluir um número maior de obras essenciais ao país. Esqueceu-se dos ganhos que a privatização do sistema Telebrás trouxe para o povo brasileiro, com a democratização do acesso à internet e aos celulares, do fato de que a Vale privatizada paga mais impostos ao governo do que este jamais recebeu em dividendos quando a empresa era estatal, de que a Embraer, hoje orgulho nacional, só pôde dar o salto que deu depois de privatizada, de que essas empresas continuam em mãos brasileiras, gerando empregos e desenvolvimento no país.

    Esqueceu-se de que o país pagou um custo alto por anos de “bravata” do PT e dele próprio. Esqueceu-se de sua responsabilidade e de seu partido pelo temor que tomou conta dos mercados em 2002, quando fomos obrigados a pedir socorro ao FMI – com aval de Lula, diga-se – para que houvesse um colchão de reservas no início do governo seguinte. Esqueceu-se de que foi esse temor que atiçou a inflação e levou seu governo a elevar o superávit primário e os juros às nuvens em 2003, para comprar a confiança dos mercados, mesmo que à custa de tudo que haviam pregado, ele e seu partido, nos anos anteriores.

    Os exemplos são inúmeros para desmontar o espantalho petista sobre o suposto “neoliberalismo” peessedebista. Alguns vêm do próprio campo petista. Vejam o que disse o atual presidente do partido, José Eduardo Dutra, ex-presidente da Petrobras, citado por Adriano Pires, no Brasil Econômico de 13/1/2010. “Se eu voltar ao parlamento e tiver uma emenda propondo a situação anterior (monopólio), voto contra. Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 milhões de barris de reservas. Dez anos depois, produz 1,8 milhão por dia, tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela”.

    O outro alvo da distorção petista refere-se à insensibilidade social de quem só se preocuparia com a economia. Os fatos são diferentes: com o Real, a população pobre diminuiu de 35% para 28% do total. A pobreza continuou caindo, com alguma oscilação, até atingir 18% em 2007, fruto do efeito acumulado de políticas sociais e econômicas, entre elas o aumento do salário mínimo. De 1995 a 2002, houve um aumento real de 47,4%; de 2003 a 2009, de 49,5%. O rendimento médio mensal dos trabalhadores, descontada a inflação, não cresceu espetacularmente no período, salvo entre 1993 e 1997, quando saltou de R$ 800 para aproximadamente R$ 1.200. Hoje se encontra abaixo do nível alcançado nos anos iniciais do Plano Real.

    Por fim, os programas de transferência direta de renda (hoje Bolsa-Família), vendidos como uma exclusividade deste governo. Na verdade, eles começaram em um município (Campinas) e no Distrito Federal, estenderam-se para Estados (Goiás) e ganharam abrangência nacional em meu governo. O Bolsa-Escola atingiu cerca de 5 milhões de famílias, às quais o governo atual juntou outras 6 milhões, já com o nome de Bolsa-Família, englobando em uma só bolsa os programas anteriores.

    É mentira, portanto, dizer que o PSDB “não olhou para o social”. Não apenas olhou como fez e fez muito nessa área: o SUS saiu do papel à realidade; o programa da aids tornou-se referência mundial; viabilizamos os medicamentos genéricos, sem temor às multinacionais; as equipes de Saúde da Família, pouco mais de 300 em 1994, tornaram-se mais de 16 mil em 2002; o programa “Toda Criança na Escola” trouxe para o Ensino Fundamental quase 100% das crianças de sete a 14 anos. Foi também no governo do PSDB que se pôs em prática a política que assiste hoje a mais de 3 milhões de idosos e deficientes (em 1996, eram apenas 300 mil).

    Eleições não se ganham com o retrovisor. O eleitor vota em quem confia e lhe abre um horizonte de esperanças. Mas se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer.

    Avalie o comentário: Positivo 15 Negativo 17

    • Maximo disse:

      Eu vivi a era Figueiredo FHC e Lula; este senhor Abbud provavelmente não sabe como viveu os pobres no governo FHC não sabe que quando o governo anunciava aumento salarial para o próximo mês; de imediato os supermercados, e mercearias já começavam a remarcar os preços dos produtos com 30 dias de antecedência! Este senhor não viveu na pela a pobreza! No governo FHC! filho de pobre só entrava em uma faculdade para fazer faxina em banheiros. DIZEM ALGUNS QUE O INFERNO E AQUI NA TERRA! E para mim o diabo tem nome FHC/SERRA/BARBOSA/GILMAR e outros ministros do S.T.F.

      Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 2

      • Junior disse:

        Em primeiro lugar, percebo que so tem petistas aqui (risos), um grupo que se irrita com qualquer critica, que so aceita seu único e autoritário ponto de vista… Eu entendo todos vocês, também me enganei pelo conto de fadas do PT, vivi nos governos que mencionou (Figueiredo, FHC e Lula), ja juntei latinhas e passei fome, portanto, nao diga que sou burguês para desqualificar o que vou dizer (coisa típica do PT).
        O Lula aproveitou o crescimento de India e China, beneficiando de todo o dinheiro das commodities e dos fundamentos e conquistas macroeconômicas do governo anterior. Estude um pouco para falar menos besteiras.

        Avalie o comentário: Positivo 7 Negativo 4

    • Maximo disse:

      Algumas pessoas falam em privatizações do FHC/SERRA; eu falo em DOAÇÃO DO PATRIMÔNIO PUBLICO A INICIATIVA PRIVADA! (O Brasil Privatizado – Aloysio Biondi http://www.fpabramo.org.br/uploads/brasil_privatizado.pdf ) Doações estas que tiveram benefícios financeiros para o sr. José Serra (A privataria tucana – Amaury Ribeiro jr.) e certamente para todos os envolvidos nesta roubalheira do patrimônio publico!

      Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 1

  2. Ezequiel disse:

    Realmente: Eleições não se ganham com o retrovisor! PSDB já foi… PT poderá estar passando também… Ou realmente mudam esta mentalidade ainda atrasada de fazer política ou não voltaram mais. Collor acertou poucas coisas; Itamar também poucas (a melhor foi trazer FHC à evidencia nacional); FHC acertou bastante coisa (nunca haveremos de esquecer); Lula muita coisa, mas muita mesmo, não adianta ficarem parecendo meninos "birrentos" Senhores! Façam o BEM e serão reconhecidos.

    Avalie o comentário: Positivo 7 Negativo 3

    • LEN disse:

      Eleição pode não ser ganha com o retrovisor, caro ezequiel, mas quando o que se está em jogo em uma eleição dois projetos que já tiveram experiencias de governo, nada melhor que compará-los para que o eleitor possa fazer a escolha melhor para o país.

      Avalie o comentário: Positivo 13 Negativo 1

  3. FABIO disse:

    Acho interessante esse senhor Abbud querer responder com um discurso do próprio FHC.

    Não se refuta dados com discurso…Refuta-se com dados, ou questionando o método utilizado para a obtenção dos mesmos.

    Mas parece que as viúvas do FHC tem uma idolatria tão grande pelo mesmo que basta copiar as santas palavras do arauto do nanoestado e colar onde quer que seja, que já se refuta qualquer argumento contrário, pois o que FHC diz tem presunção absoluta de verdade.

    Mas, vamos ao discurso:

    "Esqueceu-se da estabilidade da moeda…"

    O plano Real não foi criado por FHC, mas engendrado no Banco Mundial, que deu a receita prontinha para a equipe econômica de Itamar Franco, capitaneada por Dom Fernando. Seguiram tudo à risca, à exceção de um detalhe: Incluiram um tal de câmbio fixo que chegou a um ponnto de insustentabilidade que o governo, para evitar um desastre ainda maior, teve que dispor de uma quantidade de dólares que fez com que a nossa dívda interna subisse a índices estratosféricos, o que foi ainda majorado pela política de juros do BC.

    "Esqueceu-se do fortalecimento do Banco do Brasil, capitalizado com mais de R$ 6 bilhões e, junto com a Caixa Econômica, libertados da politicagem e recuperados para a execução de políticas de Estado."

    Estranhamente, as empresas que foram fortalecidas foram as que não foram privatizadas, prova de que o nanoestado é uma balela. E convenhamos o que foi "execução de políticas de estado" no governo FHC? O empréstimo de milhoes para a constituição da Telemar, constituindo um oligopólio criminoso nas telecomunicações brasileiras e beneficiando o irmão do Tasso Jereissati?

    Bem, me diga, senhor Abbud, o senhor tem em mãos os dados comparativos do que foi feito nos dois governos pela Caixa Econômica em termos de aumento do número de casas próprias, do fomento à construção civil, ou pelo BNDES no aumento da concessão de crédito?

    "com o Real, a população pobre diminuiu de 35% para 28% do total."

    Ele só esquece de dizer que essa diminuição foi nos ultimos dez anos, ou seja, a diminuição foi na maior parte durante o governo Lula. Por que não mostra dados de 95 a 2002?

    "Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 milhões de barris de reservas. Dez anos depois, produz 1,8 milhão por dia, tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela”."

    Esse tipo de pensamento falacioso é mais ou menos assim:

    "Ontem fez frio e o bife que eu deixei fora da geladeira estragou, portanto, os alimentos estragam nos dias frios".

    Não podemos senhor Abbud, simplesmente crer que se um fato ocorre concomitante a uma determinada ação ou circunstancia, esta ação ou circunstância é certamente causa daquele fato.

    O aumento da produção de petróleo é fruto basicamente de três coisas: Aumento na atividade de prospecção, aumento da descoberta de poços ou ainda o aumento da tecnologia envolvida, sendo o segundo fator a causa principal do aumento nas reservas. Me explique, por favor a conexão entre estes três fatores e a quebra do monopólio.

    Bom, fico por aqui e não me alongo mais, por enquanto.

    Avalie o comentário: Positivo 11 Negativo 5

    • LEN disse:

      Oi Fabio, seja bem-vindo ao blog. Sinta-se à vontade e volte sempre.

      Quanto ao desafio que você fez ao Abbud:

      Por que não mostra dados de 95 a 2002?

      Na verdade nós já compilamos esses dados, o período ainda é mais extenso de 93 a 2009, nesse link abaixo:
      http://gmpconsult.com.br/blogdolen/?p=407

      Abraços.

      Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 0

    • Laércio domingues disse:

      Me desculpem o equívoco! Ao avaliar o comentário do Fábio o fiz errado. Adorei a abordagem dele ( Fábio ) ao comentário do Abbud.
      Fiquei surpreso ao descobrir este blog. Estou fazendo minha monografia e meu tema trata da utilização da taxa de juros como panacéia aos males econômicos brasileiro.
      – Dois pacientes entram no consultório médico ao mesmo tempo: um com diarréia e outro com prisão de ventre, o Dr receita a eles o mesmo remédio. Ora, um fatalmente morrerá!
      Qual será a lógica do Dr? Ou ele é pouco criativo ou tem interesse na comercialização do fármaco.
      Já com relação a outra comparação: Dolar x salário mínimo, aproveito para dizer que hoje o valor do salário mínimo é de US$ 340,70. E o digo porque esta comparação me fez lembrar um dos últimos pronunciamentos do FHC que dizia: ” se o próximo governo seguir meus passos, já em 2020, o salário mínimo poderá chegar a US$ 100,00, sem medidas populistas que quebrarão as prefeituras brasileiras”.
      Para mim fica provado que o futuro pretérito Governo não seguiu o passo de ninguém. Mesmo porque, como li no paralama de um caminhão, ” quem sempre segue os passos dos outros, sempre chega onde os outros já foram”.

      Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 0

      • Error: Não foi possível criar o diretório wp-content/uploads/2014/11. O diretório pai possui permissão de escrita? LEN disse:

        Olá Laércio, obrigado por participar da discussão. aproveitando a sua observação quanto ao valor atual da relação salario minimo x dolar, pego carona só para lembrar a todos que esse estudo que gerou os cinco primeiros posts da série da comparação foi feito em 2009, a partir das informações obtidas até aquele ano em fontes informadas, portanto, um retrato de sete anos de Lula contra oito anos de FHC, no entanto com valores defasados para a realidade que vivemos agora em 2013. Como o post foi escrito há quase quatro anos e continua sendo visitado com frequência e os debates tomaram vida própria e perduram por todo esse tempo, é sempre bom lembrar para que a gente não desinforme em vez de informar. Obrigado Laércio e desculpe a intromissão.

        Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 0

  4. Abbud disse:

    Olá Fabio, pena que nunca veremos uma resposta escrita pelo LULA, alias será que ele leu a coluna do FHC? ah esqueci ele não gosta de ler…

    Mas alguns comentários são necessários, apesar de estar argumentando a favor de um que se apresentou e falou (escreveu) e contra um que se esconde e nega o passado.

    Em primeiro lugar FHC não atacou LULA nem questionou seus avanços, apenas deixou claro que ele fez muito sim pelo País e que LULA avançou muito em parte pelo trabalho de base do governo FHC (merito de LULA) , entendo que isto é dificil de se compreender, principalmente quando se tem paixão na análise ou como diz o LEN um aspecto de FLA x FLU, e isto explica o que voce não compreendeu sobre a evolução da redução da pobreza nos dois períodos, ele simplesmente deixou claro de que ele contribui tanto quanto LULA para a redução da pobreza.

    Sempre tendemos a querer atacar e negar sem parar para analisar e etender o que realmente cada um tem de bom e ruim, e quais eram e são os interesses por trás de suas ações.

    Vamos aos pontos.

    Sobre a receita do Banco Mundial, por que demoraram tanto a dar a receita e não deram a receita a governos anteriores!!!???

    No caso da Telemar parece que o beneficiado pela empresa foi o filho do LULA não é mesmo? que teve contratos milionários com a empresa, tadinho, deixa o "home trabalha".

    No caso do fortalecimento das estatais não privatizadas não é estranho, é obvio! e demonstra o comprometimento com o País do governo anterior, para que cappitalizar empresas se elas seriam vendidas???????? Ja o Governo atual esconde a divida pública nas contas das estatais e usa o investimento de atividade natural delas dizendo que é o PAC 1 PAC 2 PAC Man e por ai vai…

    Este tipo de ação com as estatais tambem responde em parte sua percepção de que com LULA, a Caixa o BB e o BNDES estão fazendo mais, na verdade estas instituições estão despejando mais recursos na economia, resta saber até que ponto isto é saudável e se todos os credores terão condições de arcar com os empréstimos, Deus queira que sim, por que se não todos nós vamos pagar a conta meu amigo, não o LULA, que alguns ingenuamente confudem com o primeiro, não a toa os Bancos privados emprestaram menos e com mais critério.

    Agora que oligopólio (que acredito que voce queria ter dito monopólio) é esse que existe em um dos setores mais competitivos do Brasil? Até onde sei a Telemar compete com empresas estrangeiras muito maiores que ela, como a American Movel (Mexico), Telefonica (Espanha) e TIM (Italia), pelo menos em São Paulo é assim, se quiser um telefone fixo ,móvel ou internet tenho umas 4 opçoes diferentes! Não é assim para voce tambem?

    Com relação a quebra do Monopolio do Petróleo é simples a resposta, com um mercado livre aonde qualquer empresa pode prospectar, refinar e produzir, mais empresas e mais dinheiro são aplicados na primeira etapa que é a prospecção, só se acha petróleo se há prospecção, é estatístico, quando se prospecta um poço a chance de se achar petróleo é uma fração, portanto quanto mais se prospecta mais se aumenta a chance de descobertas.

    E na prática o Monopolio só foi quebrado na prospecção e exploração, pois o refino continua sendo um monopólio velado, pois a Petrobras faz com que todas as 11 refinarias que ela possui tenham prejuízo contabil, transferindo toda a margem para exploração e distribuição, assim "mata" a possibilidade de qualquer empresa entrar na concorrencia pelo refino, pois fica com condições competitivas desfavorável e na mão da Petrobrás. (A Petrobras é minha cliente e sei o que estou dizendo)

    Bom mesmo é o sistema de partilha do pré-sal, a criação da Petrosal com o Monopolio de exploração e a divisão dos royalties do petroleo pelos Estados, ai sim a produção vai aumentar não é mesmo?

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 7

    • LEN disse:

      Apenas para agregar à discussão,

      Quanto a palavra oligopólio o Fabio está correto. o radical mono quer dizer um, o "oligo" significa poucos. O sistema de telecomunicações passou de um monopólio estatal para um oligopólio de empresas que lotearam áreas do país como feudos, até hoje cobram preços semelhantes e a cobertura dos serviços e investimentos se concentraram nas áreas mais economicamente ativas, ficando o resto do país marginalizado sem investimento privado nem público porque eles acabaram com a participação do estado, que priorizaria que essas áreas fossem atendidas. Ao criar as agências, brechas foram dadas para que as empresas privadas não fossem obrigadas a investir no resto do país. O estado se desarticulou e ficou sem ter como intervir. Em áreas que são consideradas estratégicas é necessário e obrigatório que o estado se faça presente ou senão cria classes de cidadaõs. Infelizmente muita gente que mora nos grandes centros, ou seja, entre os privilegiados que podem ter uma internet ASDL e cobertura celular e 3G, não estão nem aí para as dificuldades dos outros, mas ainda tem quem prefira um país mais justo, com oportunidades e direitos iguais para todos e isso não se consegue quando o estado cruza os braços e joga suas responsabilidades para a iniciativa privada, que ao contrario dele que foi eleito para governar para todos, estão muito interessadas é no lucro.

      Quanto a Petrobras, ficou claro para o país quais eram as intenções do governo FHC, privatizar a empresa, só que encontraram uma resistência muito grande da sociedade, felizmente imagina se a petrobras fosse vendida pelo mesmo preço indecente e vil que foi vendida a vale? tentaram mudar o nome da empresa para PETROBRAX, também falhou, sucatearam a empresa, queriam chamar de elefante branco para justificar entregá-la de bandeja. Uma constatação que reforça a idéia de sucateamento é porque a petrobras não encontrou os campos de tupi, jupiter, o pré-sal ou qualquer descoberta relevante no período FHC? nada, afundaram uma plataforma, a P-36. Para completar, e é importante que o que a gente fala tenha algum tipo de comprovação real, deixo aqui o link do tópico no Blog Fatos e Dados da Petrobras com a evolução do lucro da empresa de 2000 a 2008. Observa-se claramente como o lucro da empresa vem caindo durante o governo FHC e a partir de 2003 dá uma guinada e não para mais de crescer. Só caiu no ano passado por causa da maior crise mundial desde a grande depressão, mas ao contrário do que aconteceu no passado com seguidas quedas caracterizando uma trajetória, a queda em 2009 foi só um ponto fora da curva e o lucro já voltou a crescer em 2010. http://www.blogspetrobras.com.br/fatosedados/?p=2

      Avalie o comentário: Positivo 7 Negativo 4

    • Paulito disse:

      Caro Abbud
      Seus comentários são tão contaminados de preconceitos (contra a pessoa do Lula) que, sinceramente, nem tenho vontade de lê-los!! Acho que quem não gosta de ler é você. Leia mais e saberá que o nosso presidente não é essa pessoa que você descreve e, talvez, até mude a sua concepção em relação à ele.

      Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 5

  5. Abbud disse:

    Interessante, quer dizer que agora existem regiões que não possuem acesso a telefone fixo, celular e internet, e na época do monopólio estatal como era? Gostaria de saber que regiões são essas. Parece que voce não viveu em uma época que esperávamos no mínimo 2 anos por uma linha em um grande centro. Parece que não se lembra de como eram as telecomunicações no passado, ai falta um pouco de memória e fica difícil discutir.

    Quanto ao poucos do “Oligo” , gostaria que voce me desse um exemplo no mundo de competição mais acirrada do que aqui, ai a gente volta a conversar, lembrando de que se os custos de telecomunicações são altos no Brasil, e são mesmo, muito em parte se deve a altíssima carga tributária.

    Quanto a Petrobras, lembre que ela é 49% privada e 51% estatal, logo se não desse lucro não teria sócios nem investidores, não é o Governo que precisa investir nela é ela própria e seus sócios, todos nós que temos ações dela, é assim que funciona e não a manipulação ou cabide de empregos estatais.

    Agora já que voce critica tanto as privatizações, que tornou o Brasil mais dinâmico, rico e permite que voce tenha hoje um acesso a internet em alta velocidade para o seu blog, compare a performance da VALE e da PETROBRAS neste periodo, e depois a gente conversa (Como estão em setores diferentes o melhor seria comparar com empresas do mesmo setor, ai a diferença é ainda maior).

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 4

    • LEN disse:

      Abbud, eu não citei telefonia fixo…me referi a internet via cabo e 3G….saia um pouco da ilha da fantasia onde você vive e procure saber como é a realidade das pessoas nos rincões do país. Eu que tenho uma situação razoável e moro por opção em uma cidade a 60km da Capital Rio de Janeiro não tenho aqui internet ADSL, 3G chegou funcionando razoavelmente há uns 6 meses apenas. Eu fico imaginando quem mora em cidades menores em locais mais distantes dos grandes centros. O que aconteceu depois da privatização foi que as empresas (oligopólio) dividiram o filé mignon (grandes centros) e não se interessaram em expandir os serviços… e como desarticularam a possibilidade do estado investir onde essas empresas desprezavam, essas localidades ficaram desatendidas…não podem existir dois brasis…o fato das estatais de telecomunicação terem fracassado se devem muito mais a má gestão dos administradores anteriores, e podia ter aberto o mercado para outras empresas investir sem abrir mão da participação do estado que serviria para cobrir onde a iniciativa privada não quer investir.

      Quanto a Petrobras, o gráfico mostra como os lucros caíram na época que foi sucateada, só isso. Não acho que as privatizações tenham sido boas para o país. Lesou o patrimônio e amarrou o estado, deixando serviços essenciais sob domínio exclusivo da iniciativa privada que não tem obrigações sociais como o governo.

      Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 4

  6. Abbud disse:

    O que acontece é que antes aonde não existiam nem telefones fixos agora existem milhares de celulares, isto é um fato, se voce acha que com o sistema Telebrás hoje estaríamos melhor sinceramente é negar o óbvio.

    O plano de telecomunicações feito pelo falecido Sergio Motta foi muito bem desenhado, chegamos até a vender “ar” por milhões de Dólares, e como trabalhava nesta área na época posso dizer que todas as operadoras tinham obrigação de cobrir 100% de sua área de concessão com pelo menos um telefone publico a cada determinada distancia, hoje com os celulares isto perdeu o sentido, a internet na época no mundo estava começando, portanto deveria ser um trabalho para o próximo período do “Deus” LULA, mas parece que ele não teve competencia suficiente, agora a culpa pela internet não chegar a todos é culpa de FHC, francamente, seria o mesmo que culpar Juscelino por não ter tido universalizado o acesso a celulares, algo que nem existia na época.

    O fato é que hoje a internet via satélite , rádio e 3G chegam em qualquer lugar do Brasil, agora se é acessível a todos é outra história, e isto depende de um plano governamental para a universsalização do acesso à internet, porém o Governo LULA demorou 8 anos e até agora o que saiu foi uma negociata com segundas intenções com uma firma falida de fibra optica com suporte da “sombra” José Dirceu.

    Negar que as privatizações foram benéficas para o país é outra miopia, a Venezuela e Cuba é que estão certos!

    Por que voce não lança uma campanha para reestatizarmos tudo novamente, siga o exemplo de Chaves, assim talvez as coisas melhoram,

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 4

    • LEN disse:

      Abbud, vamos lá, você as vezes vai bem, as vezes deixa o maniqueísmo tomar conta e a possibilidade de diálogo vai para o espaço. Faça o favor de não colocar palavras nem interpretações nas minhas posições, você não precisou desse artifício até agora, espero que permaneça assim. Em nenhum momento eu afirmei que com o sistema telebras estaríamos melhor, o que disse e está bem claro para quem não precisa usar de distorções é que poderia ter aberto o mercado para participação das empresas privadas sem abrir mão da presença estatal, foi isso o que disse e tem coerência com o que disse até aqui. dizer que internet 3G chega ao país inteiro é mostrar um desconhecimento espantoso digno de quem vive mesmo em uma ilha da fantasia, essa é uma informação facilmente checável, sugiro que entre nos sites das empresas que prestam esse serviço e verifique áreas de coberturas. Sem dúvida, com os investimentos a oferta de telefonia celular e de telefonia fixa aumentou, mas não dá para atribuir o aumento da oferta apenas a estes investimentos, porque durante esse tempo as tecnologias de telefonia avançaram no mundo inteiro e os aparelhos foram ficando mais baratos. A abertura ao investimento é uma iniciativa boa, não a privatização da participação do estado que garantiria o atendimento das áreas onde as empresas privadas NÃO ATENDEM.

      Digo e repito, as privatizações da forma com que foram feitas, com dilapidação do patrimonio público, uso de fundos de pensão para direcionar leilões, e criação de oligopólios para substiuir os monopólios estatais, foram maléficas para o país e não acho quem pensa diferente de mim seja míope, porque eu tenho a capacidade de respeitar o contraditório, não sou prepotente de me achar o dono da verdade e que minhas opiniões sejam tão inquestionáveis que quem duvida de mim possa ser considerado cego ou inferior, percebe a diferença?

      Muita gente inteligente e estudiosa é a favor da participação do estado em serviços essenciais à população e acesso a telefonia e internet são na minha opinião serviços essenciais que o estado tem obrigação de fazer chegar a cada canto do país, diminuir isso e dizer que quem pensa assiim está seguindo o exemplo de Chaves é de um primarismo tão grande que nem vou te dizer o que penso porque você iria se aborrecer comigo, mas digo que perdeste alguns pontos que tinha conquistado com a educação em participações inferiores. Aqui esse discurso da desqualificação de opiniões não funciona, precisa agregar argumentos. O fato de citar Cuba, Venezuela não lhe dá argumentos, talvez lá nos blogs da Veja onde se vive ainda a guerra fria dos anos 70 esse fato possa pesar, mas aqui não. Ah e o Brasil não precisa seguir o exemplo de Chaves para melhorar, foi só tirar os incompetentes que levaram o país para o buraco que ó, decolou…

      Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 4

  7. Abbud disse:

    Agora fiquei confuso, afinal voce é a favor ou contra as privatizações? Entendi que no caso das Teles voce sugere um sistema misto, aonde o Estado fica com a "carne de pescoço" e as privadas com as regiões rentáveis? ou uma empresa mista para tal? nesta segunda hipotese quem em sã consciencia seria sócio de uma empresa assim?, não foi melhor um sistema em que quem leva o file tem que bancar a carne de pescoço e assim tanto sociedade quanto governo se beneficiam e ainda estimulam a competição?

    Voce tem razão, erroneamente mencionei o 3G de celulares com cobertura nacional, pois em minhas viagens a trabalho, quando saio da "Ilha da fantasia" que voce menciona ou "ilha de prosperidade" como prefiro chamar, e vou a todos os cantos do Brasil, algo como 30% das localidades não possuem 3G o que provavelmente equivaleria a menos de 10% da população que tem computador, porém é uma questão de tempo, pois o investimento pesado em ERB's (Estações Rabio Base) já foram feitos na época da criticada concessão das telecomunicações para garantir voz (que era o compromisso no governo passado), e agora o investimento para o 3G é marginal, e tendo uma demanda mínima ocorrerá, apesar que não sei por que estamos discutindo isso já que na época de FHC a internet banda larga estava começando no mundo ( meu primeiro email particular foi do hotmail em 97 com acesso discado), portanto seria uma incubencia do atual Governo e não do passado,alias por que não foi feito nada até agora para garantir o acesso a inernet de alta velocidade a todos os cantos? Ah já sei não deu tempo! Ele precisa ter uma estatal gorda para poder fazer as coisas…..o que FHC fez em 8 anos nas telecomunicação foi infinitamente melhor e maior do que LULA em seus 8 anos, mesmo por que alguma coisa sobre nada é igual a infinito.

    Veja o que diz a wikipedia sobre o assunto em http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Int

    "A partir de 1997, iniciou-se uma nova fase na Internet brasileira. O aumento de acessos a rede e a necessidade de uma infra-estrutura mais veloz e segura levou a investimentos em novas tecnologias. Entretanto, devido a carência de uma infra-estrutura de fibra óptica que cobrisse todo o território nacional, primeiramente, optou-se pela criação de redes locais de alta velocidade, aproveitando a estrutura de algumas regiões metropolitanas. Como parte desses investimentos, em 2000, foi implantado o backbone RNP2 com o objetivo de interligar todo o país em uma rede de alta tecnologia. Atualmente, o RNP2 conecta os 27 estados brasileiros e interliga mais de 300 instituições de ensino superior e de pesquisa no país, como o INMETRO e suas sedes regionais.

    Outro avanço alcançado pela RNP ocorreu em 2002. Nesse ano, o então presidente da república transformou a RNP em uma organização social. Com isso ela passa a ter maior autonomia administrativa para executar as tarefas e o poder público ganha meios de controle mais eficazes para avaliar e cobrar os resultados. Como objetivos dessa transformação estão o fornecimento de serviços de infra-estrutura de redes IP avançadas, a implantação e a avaliação de novas tecnologias de rede, a disseminação dessas tecnologias e a capacitação de recursos humanos na área de segurança de redes, gerência e roteamento".

    Mais uma vez uma "herança maldita" deixada por FHC para LULA, mas os defensores dele vão dizer que foi ele que trouxe a internet para o Brasil como tudo de bom que existe hoje!

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 4

    • LEN disse:

      Não tem nada para ficar confuso, o meu posicionamento é claro, a menos que você esteja confundindo conceitos. Privatização é a trasferência do controle acionário e administrativo de uma estatal, do estado para a iniciativa privada. Flexibilização é a quebra do monopólio estatal para permitir a participação da iniciativa privada em setores cujo provedor era exclusivamente o estado (Não é privatização). Concessão é a permissão pelo estado para a iniciativa privada explorar bem público sem envolver transferência de propriedade (Não é privatização). PPP é a parceria entre estado e iniciativa privada para investir em empreendimentos conjuntos que possam gerar benefício para o estado e lucro para a iniciativa privada (Não é privatização).

      Eu sou CONTRA privatizações. Sou a favor de flexibilização, concessões e PPPs. Uma coisa é abrir mão do monopólio estatal, outra é entregar a empresa estatal na mão da iniciativa privada e se esquivar de cumprir a sua função social. A teoria que quem fica com as áreas mais ricas tem de ser obrigado a investir nas demais é muito bonito, MAS NÃO FUNCIONOU ATÉ AGORA. Quase dez anos depois das privatizações e as teles disputam as mesmas áreas, com preços semelhantes e ninguém quer investir no resto do Brasil. É a mesma coisa que aconteceu com a privatização das concessionárias de energia, que por não terem obrigações sociais mantiveram áreas sem acesso a energia que só está sendo resolvido porque o governo resolveu assumir e fazer o "Luz para Todos".

      Se ficar esperando a empresa privada cumprir contratos vão esperar sentados, já se vão quase dez anos das privatizações…eles preferem pagar multas pesadas nas agências e continuar só com o filé que dá o lucro deles e ainda sobra para pagar multas. É porisso que eu estou convicto que o governo não pode abrir mão da participação em setores que ele tem obrigação de levar acesso a população. O Deus mercado não vai cumprir o papel do estado.

      Eu moro também na ilha da prosperidade, mas não na ilha da fantasia, essa independe de onde você mora, ela tem a ver mais com o desconhecimento da realidade do país. Quem vive na ilha da fantasia acha que o brasil inteiro é igual ao que ele vê a sua volta no seu mundinho. Eu já discuti com pessoas que acham que não existe fome e miséria no país e que todos que recebem algum tipo de ajuda do governo, o faz porque é preguiçoso. Se você apresenta para essas pessoas documentos como os PNADs e PNUDs eles criam teorias da conspiração que tudo não passa de uma mentira. Fazer o que? assim como ainda existe fome e miséria nesse país, a ilha da fantasia também é uma realidade.

      Abbud, Wikipedia???? voce só pode estar de brincadeira, né? na próxima vez, cite o IFHC que tem mais credibilidade do que algo que é escrito por internautas. Vamos voltar para fontes sérias ou não? risos

      Avalie o comentário: Positivo 7 Negativo 4

  8. Abbud disse:

    LEN é claro que eu sei qual a diferença entre as modalidades de concessão, PPP e privatizações, portanto ao invés de explicar isso por que não explicou no modelo de quebra de monopólio ,que voce sugere, como seria garantido o acesso ao telefone que é o que discutimos na era FHC, sem o investimento 100% do governo a quase fundo perdido?

    Voce já deu uma olhada mundo a fora como são os modelos de sucesso?

    Tambem não respondeu ou não entendeu de que a função de garantir o acesso ao telefeno em 100% das localidades foi cumprido no governo de FHC.

    Também não respondeu o que o Governo atual fez para garantir o acesso a todos da nova tecnologia que é a internet em alta velocidade.

    Quanto ao wikipedia ela tem a mesma credibilidade que o seu blog ou qualquer outro, pois é escrito por internautas como eu ou voce, mas já que quer ter uma segunda opinião que tal esta noticia de hoje da FOLHA DE SÃO PAULO, que mostra a incopetencia do atual governo para assuntos simples, para não dizer segundos interesses, como Deus é brasileiro (e não é o LULA) tinhamos uma equipe muito mais competente e compometida com o PaÍs no governo passado do que no atual, aonde graças a Deus os problemas são simples! Enquanto o governo bate cabeça o Zezinho Dirceu vai embolssando uma grana!

    Por que não ajuda o Governo com suas idéias a resolver esse embróilio ? Eu tenho a minha, mas provavelmente vai contra os interesses pessoais do Governo não é mesmo?

    Noticia disponível em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi2403201002.htm

    Tesouro se opõe à reativação da Telebrás

    Parecer aponta riscos no uso da estatal para plano de banda larga; outros setores do governo também resistem à proposta

    Passivo judicial pode afetar programa, diz Tesouro; entre as alternativas está licitar rede de fibras óticas e usar Correios ou Serpro no projeto

    VALDO CRUZ

    HUMBERTO MEDINA

    DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

    A oposição à reativação da Telebrás cresceu dentro do governo. O Tesouro Nacional elaborou nota técnica condenando a reativação da estatal para ser a gestora do PNBL (Programa Nacional de Banda Larga).

    Em menos de 15 dias, é a segunda autoridade do governo a se opor à ideia. Na semana passada, o ministro Hélio Costa (Comunicações) já havia levantado, publicamente, restrições à reativação da estatal.

    Com o enfraquecimento da tese da reativação da Telebrás, três outras alternativas despontam no governo para viabilizar o programa: licitar a rede de fibras óticas das estatais do setor elétrico (16 mil quilômetros), usar os Correios ou o Serpro no lugar da Telebrás.

    Segundo a Folha apurou, o texto do Tesouro aponta para o fato de a Telebrás já estar exposta a muitas ações judiciais e haver risco de “contaminação” dos ativos que seriam usados no PNBL. Segundo a Folha apurou, o documento do Tesouro Nacional foi classificado como “consistente”.

    Desde a privatização do setor, em 1998, a função da Telebrás é administrar dívidas e pagá-las com receitas que obtém por meio das aplicações de seus recursos no mercado bancário. Até o final de 2009, a empresa era ré em 1.189 ações (sobretudo trabalhistas) e o passivo total (soma dos riscos remotos, possíveis e prováveis) era de R$ 284 milhões (R$ 246 milhões são prováveis).

    Os defensores da reativação da estatal no governo propõem que o Tesouro assuma essa dívida e deixe a empresa livre para atuar no mercado.

    Em 2009, a estatal deu prejuízo de R$ 20,6 milhões, teve passivo a descoberto (os ativos não pagam todas as dívidas) de R$ 16,2 milhões e, no total do prejuízo acumulado, está no vermelho em R$ 435 milhões.

    Apesar dos números ruins, as ações da Telebrás chegaram a subir 35.000% com rumores e declarações não confirmadas sobre sua reativação.

    A oposição à reativação da Telebrás é crescente no governo e praticamente já enterrou a hipótese. A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) ainda não está convencida dos argumentos da equipe econômica e do Ministério das Comunicações.

    Vaivém

    O Plano Nacional de Banda Larga tem passado por várias idas e vindas no governo. Em 2009, foi criado um grupo de trabalho para estudar uma forma de universalizar o acesso à internet em alta velocidade. Inicialmente, a ideia era colher sugestões, inclusive das empresas que atuam no setor.

    Desde o início houve uma divisão interna: o Ministério das Comunicações queria que o plano fosse desenvolvido com a participação das empresas, e o Planejamento e a Casa Civil queriam reativar a Telebrás.

    A ideia nas Comunicações era que o governo criasse condições para que as áreas que hoje não são atraentes para as teles viessem a ser, via benefícios fiscais. Já o Planejamento e a Casa Civil defendiam a entrada do governo no mercado, como regulador, via Telebrás.

    Em dezembro, a proposta de reativação da Telebrás ganhou força porque a Justiça devolveu uma rede de fibras óticas de 16 mil quilômetros para a Eletrobrás. A rede estava na massa falida da Eletronet, empresa da qual o governo era sócio, com a AES (do setor de energia).

    O governo fez circular uma minuta de decreto, no qual dava detalhes de como a estatal seria reativada e de que forma ela iria atuar no mercado, chegando até o consumidor final.

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 6

    • LEN disse:

      Vamos lá, sim nos modelos que dão certos estatais não são extintas, pelo contrário, estatais da espanha e portugal, sem contar outros que não conheço, investem não só em seus países em países estrangeiros. Eles conseguiram gerir bem as estatais a ponto de tornas empresas fortes, com capacidade de investimento. Quem disse que esse modelo entreguista dos leilões das teles é o de sucesso? eu sinceramente não tenho dados sobre se existem 100% do território coberto pela telefonia, mas se isso aconteceu no governo FHC não foi porque o governo sucateou e depois abriu mão da telebras, se tivesse apenas aberto o mercado o resultado seria melhor. Eu não expliquei como uma empresa estatal poderia cobrir onde as empresas privadas não investem porque achei que fosse desnecessário, de tão óbvio, uma estatal não tem o lucro como seu único objetivo, o oligopólio de teles que assumiu por completo o controle dos investimentos no setor tem como objetivo o lucro certo e alto, é consenso entre os especialistas do setor que telefonia e internet no Brasil são serviços caros e cheios de problemas (operadoras lideram ranking de reclamações), e isso se deve por causa de trabalho porco feito pelos tucanos na época em que entregou o setor para essas empresas. Uma empresa estatal pode investir em áreas que vai ter lucro certo e dessa forma poder ter lucro menor em áreas que não seja o filé mignon, e mesmo assim ser uma empresa eficiente e lucrativa e com a função social que o estado tem a obrigação de prover. Deu pra entender agora ou ficou mais alguma dúvida?

      Quanto ao que o governo fez para levar banda larga para o país inteiro, o que segundo a teoria neoliberal deveria ser uma obrigação das empresas do setor, foi fazer o PNBL, que realmente demorou demais, mais eu dou um desconto que um plano desse tem que ser amadurecido por bastante tempo.

      Quanto a opinião do tesouro, mostra que o governo aceita divergências, no entanto, quem dá a palavra final é quem governa e não o tesouro nacional, o presidente foi eleito para decidir, o congresso depois vota, é a democracia fazer o que? elejam o presidente e coloquem suas discordancias em práticas.

      Poxa Abbud, as vezes você fica cansativo na tentativa de pegar uma contradição minha…quando eu entro em uma discussão eu não posso citar outros blogs que concordem com a minha opinião, da mesma forma não adianta citar algo que não seja uma opinião abalizada de um instituto ou pesquisador sério e que não tenha ligações partidárias claras, senão a discussão ficaria ridícula e você iria citar blogs, jornais e revistas que apoiam o psdb e eu iria citar jornalistas independentes e blogs que apoiam lula, porisso que é inócuo citar uma fonte que não seja respeitada por todas as partes, compreende?

      Para terminar a FOLHA nesse caso faz lobby descarado em favor de Nelson dos Santos, dono da Star Overseas que achou que iria dar o golpe do século comprando algo que não pertencia ao vendedor por um real e depois negociando com o governo por milhões, mas viu tudo ir por água abaixo porque o governo resolveu disputar a rede de fibras óticas na justiça e ganhou. Além de ser a fonte secreta Nelson dos Santos é o maior interessado na tentativa de melar a reativação da Eletrobrás. É tão claro que a Folha faz de tudo para melar o negócio que já tentou de várias formas, e quando suas versões são desmontadas ela tenta outro coaminho. O Luist Nassif explicou o caso de forma tão clara e detalhada que qualquer criança é capaz de entender, dias depois o otavinho tentou manchar a honra dessa rara reserva moral do jornalismo tupiniquim mas o Nassif não só desmontou o factóide quanto o ataque da Folha.

      Acho que o seu mal é ler apenas uma versão das coisas e dessa forma não é possível formar opinião livre e aceitável. O Nassif no blog dele aponta cada uma das contradições da imprensa e de uma forma honesta, você deveria ler o contraditório e questionar mais o que você lê. Sinceramente não consigo entender quem ainda consegue ler o que sai na grande imprensa sem se questionar, é tanta manipulação grosseira que imagino como alguém com inteligência não consiga perceber, para mim é muito óbvio. E não é somente porque a velha mídia se une contra o que acredito, se eles dissessem o que eu gostaria de ouvir e percebesse que era manipulado ainda assim eu questionaria, como de vez em quando eu questiono os jornalistas em que acredito. Quando a gente lê o que sai na velha mídia percebe que quase nada ali é honesto, a começar pelas manchetes que são sempre desmentidas pelas próprias matérias. Eles estão debochando da sua inteligência cara…e antes que alguém venha com a ladainha que querem calar a imprensa, eu não quero calar ninguém, tomei bordoada na época de universidade para os jornalistas de hoje detonarem o presidente da república e defendo até a morte o direito deles dizerem o que bem entenderem, mas ninguem pode estar livre de receber críticas, em uma democracia não existem vestais acima do bem e do mal e a imprensa não está livre dessa regra. Qualquer cidadão tem o direito e dever de denúnciar tentativas de manipulações da opinião pública e é isso que faz a blogosfera livre. Abraços.

      Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 3

  9. Abbud disse:

    LEN para ser direto e não ficar dando voltas:

    1- Agora sim voce entendeu e consegui responder claramente sobre sua sugestão de quebra do monopólio e a coexistencia entre empresas privadas e estatais no mesmo mercado, e ainda sugerindo que as empresas estatais teriam condições melhores de atender regiões menos rentáveis, desde que mantenham regiões de lucro e assim cumpram sua função social.

    Agora podemos passar ao segundo ponto que é comparar o modelo com o de concessões atuais, salientando que nossa história de gestão de empresas estatais é péssima, nunca vi na história deste país uma empresa 100% estatal ou sem o monopólio ou controle da cadeia do mercado que tenha dado lucro ou que tenha sido um exemplo de investimentos no setor, via de regra esta ineficiência sucatea o setor inteiro, não que seja impossível mas se lembrar de alguma me fale, ai vão minhas perguntas:

    – Voce acha que uma empresa estatal conseguiria competir (de forma leal, observe os comentários acima, que siga regras de mercado livre) com empresas privadas neste modelo, uma vez que nas regiões mais rentáveis as empresas privadas tenderiam a ser mais agressivas?

    – E não conseguindo competir, como ela daria lucro, sobrando apenas regiões de pouca ou nenhuma rentabilidade?

    – A regulação do mercado não deve ser uma função das agências? Que o governo atual não gosta por que não estão subordinadas ao governo diretamente, e que portanto da menos poder político, ou voce concorda que isto deve ser função dos ministérios, pois isto é uma questão política?

    – De onde viria o capital que é intensivo neste setor, para investir nas redes, competindo com investimentos muito mais prioritários que são saúde e educação? Teríamos dinheiro para tudo, sabendo-se que só de funcionalismo (mesmo com poucas estatias) gastamos quase tudo com salários e despesas?

    2- Voce discorda da Noticia da Folha? Tem algo que não seja fato? Tem alguma opinião na noticia que seja da Folha, ou é simplesmente a informação de um fato?

    Mas defensores do Governo atual, tem uma capacidade insana de não aceitar ou reconhecer nada, absolutamente nada que tenha sido feito de bom no governo passado, e depois nós, que temos a capacidade de ver o que há de bom e ruim nas coisas é que distorcemos tudo.

    Voltando ao assunto das teles e banda larga, em primeiro lugar se voce acha que nosso territorio nacional não esta 100% coberto pela telefonia, então temos um problema de telecomunicações, pois a informação não esta chegando até voce.

    Agora não seria mais fácil replicar o modelo de garantia de cobertura telefonica para o de banda larga? Uma simples emenda nos contratos de concessão resolveria o assunto, dai saíria mais barato para todos nós, obrigam-se as concessionárias do setor que já possuem redes de voz em 100% do território nacional, a disponibilizar uma velocidade mínima por assinante , algo como 200kbs, e para iss o Governo criaria um mecanismo de subsidio das tarifas em certas regiões que seriam pagos pelos próprios impostos cobrados pelas telecomunicações! Muito menos complexo, arriscado, e mais barato do que criar um novo cabide de empregos e comitê político estatal.

    Idéias inteligentes em prol dos interesses da sociedade, só são possíveis vindas de pessoas inteligentes e comprometidas com os interesses da sociedade, o que não é o caso da maioria das pessoas no governo atual, ou são inteligentes e não estão comprometidas com os interesses da sociedade ou são comprometidas com a sociedade e não possuem inteligência.

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 4

    • LEN disse:

      1) sim, uma empresa de controle estatal pode concorrer de formao leal, seguir as regras de economia livre e ainda assim serem bastante lucrativas, e existem muitos exemplos como PEtrobras, BB, Caixa Economica Federal. A Eletrobrás poderia ser uma empresa de economia mista, com participação do capital privado, assim como no na petrobras e BB. O investimento público poderia vir de parte do lucro da própria empresa (tirando os dividendos dos acionistas) ou de PPPs ou por contingenciamento dos valores arrecadados com os leilões de nova áreas e bandas. A ladainha que uma estatal não pode ser bem administrada vem das experiências desastradas de quem só queria se locupletar ou sucatear as empresas para depois dizer que eram elefantes brancos.

      2) Desde o início a Folha baseou o seu factóide/lobby em torno de um suposto tráfico de influência de José Dirceu para o Governo pagar ao empresário pela rede de fibras óticas. Só que o factóide não se sustentou porque na verdade o governo optou pela via jurídica e já tinha ganho em primeira instancia a rede de fibras sem pagar nem um tostão. Diante dos desmentidos que foram abordados e dissecados na blogosfera, a Folha comprometida que estava com a versão que favorece a sua fonte que é o próprio empresário, a despeito de ser desmascarada pelos fatos, muda a estratégia e desiste de falar que o governo iria favorescer a empresa e passa a publicar opiniões contrárias a reativação. além do que e daí que existem opiniões divergente no governo, isso é bastante natural, os lados divergentes apresentam seus argumentos e o presidente dá a palavra final, ou a folha acha que o tesouro manda mais do que o presidente? as opiniões divergentoes devem convencer quem decide, é tão simples, não entendo o porque de tanta grita por causa de uma opinião

      A matéria está cheia de opiniões:

      "A oposição à reativação da Telebrás é crescente no governo e praticamente já enterrou a hipótese" (quem falou isso? wishfull thinking?)
      "Com o enfraquecimento da tese da reativação da Telebrás, três outras alternativas despontam no governo para viabilizar o programa: licitar a rede de fibras óticas das estatais do setor elétrico (16 mil quilômetros), usar os Correios ou o Serpro no lugar da Telebrás." (quem declarou isso?)

      isso tudo é opinião, o velho e batido uso repetitivo das declarações em off para plantar forçadas de barra em favor de interesses corporativos. É preciso ter fé na isenção do jornal e do jornalista para acreditar que ele não está apenas plantando essas opiniões. Se vocÊ confia no jornal e no reporter eu sinto muito mas eu não me contento com isso. Se filtrar opinião e declarações em off, sobra muito pouco do artigo que possa ser considerado fato. Com o partidarismo cínico que a Folha vem praticando qualquer notícia que vem de lá fica em observação até se comprovar por fatos, e posso te dizer pouco do que eles vem publicando se traduz em fatos depois.

      Agora quanto as suas opiniões são confusas e incoerentes, você acusa as pessoas desse governo e que o apoiam da sua própria incapacidade de ver os acertos de quem você se opõe, leia o último parágrafo do que você escreveu e compare com o que você escreveu três parágrafos antes e veja como você mesmo se contradiz, aliás o último parágrafo é exemplo desse maniqueísmo cego que é arrogante para achar que não possam existir pessoas inteligentes e íntegras sem concordar com os seus posicionamentos. Não é a primeira vez que alerto você para isso mas parece que não consegue discutir racionalmente sem tentar desqualificar quem pensa diferente. Pela última vez vamos voltar ao debate de idéias que é a única forma de continuar qualquer debate, fla-flu cansa.

      Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 1

  10. Abbud disse:

    LEN, eu disse empresas 100% estatais ou que não tenham nenhum tipo de vantagem competitiva governamental, a Petrobras é mista e tem o controle da cadeia do petroleo, ninguem consegue competir com ela por exemplo no refino, já que as margens estão na exploração assim todas as refinarias dão prejuízo contábil (já comentei esse assunto em outro post), o Banco do Brasil também é de capital misto, e a caixa tem o monopólio da conta do fundo de garantia, loterias e etc.., portanto não são empresas que são estatais puras ou que não competem sem algum tipo de vantagem governamental.Não disse que é impossível, mesmo por que existem exemplos positivos no mundo, só que infelizmente fora do Brasil, e isto é dede de 1500!

    José Dirceu agora é um factóide, gostaria de saber do que ele vive hoje? da onde vem o dinheiro de sua vida de luxo pelas ruas de SP? sinceramente sem comentários…

    Por final releia o paragrafo que voce não entendeu, não começamos a debater ontem, e já dei vários exemplos de acertos e erros do governo atual, mas voce e o governo atual são incapazes de aceitar algo de bom no governo passado, e isso é um exemplo mais do que claro da sua cegueira ou ódio de algo que não existe.

    Assim pela minha teoria, vou chegar a conclusão de que voce é apenas comprometido com a nossa sociedade e tem boas intenções…

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 6

    • LEN disse:

      Abbud, acho que a nossa discussão já está se esgotando, já começa a entrar na seara de suposições sobre as vidas das pessoas. Eu sinceramente não sei do que vive o sr. José dirceu e nem me interessa, me interessaria se ele estivesse pendurado nas tetas do senado como a filha do FHC estava até ser pega, mas eu realmente não gosto desse debate fla-flu do tipo "vamos falar do corrupto do vizinho para esquecerem o nosso", até porque esse tipo de debate só irrita os leitores. Não me estimula um debate que nada acrescenta.

      Quanto a estatal você deve estar de brincadeira…quem aqui falou em estatal 100%? de onde voce tirou isso? volte e releia tudo o que escrevi e veja que voce questionou como eu achava que poderia ser melhor o processo sem privatizar, e eu já expliquei tudo tim tim por tim tim, como se dizia antigamente. Ninguém aqui falou em estatal 100% ou que estatal não pode ter capital aberto. O que disse desde o começo é que o governo não pode abrir mão de participação no mercado e poder de investimento e isso só é possível com estatais atuando nestes setores evitando que se formem cartéis e garantindo que áreas mais carentes fiquem desassistidas.

      E sinceramente, meu caro, com todo o respeito, não fique chateado, mas suas avaliações a meu respeito não me dizem nada. Não tenho como rebater avaliações e meu respeito, você tem o direito a tê-las, assim como tenho uma avaliação ao seu respeito, que me permito omitir poque em nada acrescentaria ao debate. E só para mostar a diferença para você e para os leitores do blog, respondi a todos os seus questionamentos, contestações e críticas sem precisar recorrer nenhuma vez à qualquer tipo de qualificação, adjetivação ou avaliação. Não tentei te diminuir ou te inclui em alguma generalização. Não preciso usar nenhum desses artifícios para expor meus argumentos. O nome disso é convicção. Abraços.

      Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 2

  11. Abbud disse:

    LEN Vamos ficar por aqui, mas apenas releia o meu ponto sobre estatais escrito em post anterior que foi mal entendido:

    Nunca vi na história deste país uma empresa 100% estatal ou sem o monopólio ou controle da cadeia do mercado que tenha dado lucro ou que tenha sido um exemplo de investimentos no setor, via de regra esta ineficiência sucatea o setor inteiro, não que seja impossível mas se lembrar de alguma me fale.

    Abraços

    Avalie o comentário: Positivo 0 Negativo 5

    • LEN disse:

      e como disse Abbud, ninguém falou além de você em estatais 100%. Com exceção do PSTU e o PCO, não vejo ninguém falar em estatal de capital fechado. Estamos falando de participação estatal através do controle acionário. A divergência é que eu acho que para abrir o setores que foram privatizados não era preciso abrir mão da participação do estado e essa participação não precisa ser de estatal 100%. Poderia ter aberto o setor para a participação do setor privado e depois colocado ações da estatal no mercado, mas para isso era preciso restaurar a empresa, administrar de forma correta para que a empresa possa atrair capital de investimento. Exatamente o contrário que o stucanos fizeram, eles preferiram acabar de sucatear as estatais para dizer: "tá vendo, elefante branco", mas na verdade, o elefante só virou elefante por muita incompetencia. A tese que só a iniciativa privada sabe administrar uma empresa é uma lorota neoliberal. Existem milhares de exemplo de boas e más administrações privadas e públicas, e se no Brasil elas são poucas como a Petrobrás, Furnas e BB, isso se deve as más administrações e não porque brasileiros são inferiores a outros povos. Complexo de vira-lata de falar "aqui não dá nada certo" não funciona comigo.

      Abraços.

      Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 0

  12. ANDRE SANTOS disse:

    SE FOR OLHAR TODAS AS DIFERENÇAS O QUANTO O GOVERNO LULA E SUPERIOR, FICARIAMOS MESES E MESES AQUI ESCREVENDO, O RESUMIDO E DE FATO, E QUE FHC,SERRA,ALKIMIN,KASSAB, SAO A DESGRAÇA DO BRASIL, BASTA AQUI CITAR UM UNICO FATO, ESTAMOS CIENTES DE QUE O QUE MOVE O BRASIL SAO AS MONTADORAS DE AUTOMOVEIS , QUE ALIAS COMO PODEMOS ACOMPANHAR VEM BATENDO RECORDES X RECORDES, ENQUANTO NO GOVERNO COVARDE DO PSDB ,COMO BASTA REFRESCARMOS A MEMORIA , TODO FIM DE ANO ERA SAGRADO DEMISSOES E FERIAS COLETIVAS , O QUE NAO OCORRE A 8 ANOS, ALIAS O GOVERNO COVARDE DO PSDB QUER DESTRUIR O BRASIL COMO VEM ACABANDO COM SP, COMO PODEMOS ACOMPANHAR NA PESSIMA ADMINISTRACAO DO JE PEDAGIO ( SERRA ) QUE TEM A CORAGEM DE COLOCAR AQUELA PROPAGANDA RIDICULA NA TELEVISAO INFORMANDO QUE SP POSSUI AS MELHORES RODOVIAS, E CLARO QUE POSSUI, PARA SE IR ATE BAURU MISEROS 250 KM ( IDA E VOLTA SE GASTA QUASE R$ 100,00 DE PEDAGIO ) OU SEJA SE VOCE TIVER UM CARRO POPULAR 4 VIAGENS COM O QUE SE GASTA COM PEDAGIO DARIA PARA TROCAR TODOS PNEUS DO CARRO, AGORA FALA A VERDADE SERA QUE NAO ROLA ALGUM BENEFICIO PAR AO PSDB, NOSSA PORQUE UM NEGOCIO DE OURO ALIS OURO NAO DIAMANTES COMO ESSE QUE FOI PASSADO AS CONCESSINARIAS DE PEDAGIO, COM CERTEZA DEVE ROLAR MUITOS PRESENTINHOS $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    EU SEI QUE O POVO DE SP E DESPROVIDO DE INTELIGENCIA , AGORA ESPERAMOS QUE NAS PROXIMAS ELEIÇOES O RESTO DO PAIS NAO SEJA, PROCURE AO MENOS OLHAR AS DIFERENÇAS QUE SAO INFINITAS, FORA PSDB ( FHC NUNCA MAIS )

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 6

  13. ANDRE SANTOS disse:

    COM CERTEZA ESSE ABBUD DEVE SER DONO DE ALGUMA CONCESSIONARIA DE PEDAGIO OU O PROPRIO FHC TENTANDO SE DEFENDER DA DESGRAÇA QUE FEZ DO PAIS EM OITO ANOS

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 4

  14. ANDRE SANTOS disse:

    ABBUD VOCE DEVERIA MONTAR UMA EMPRESA E COMPOR A DIRETORIA DA SEGUINTE MANEIRA

    FHC – PRESIDENTE

    SERRA ( JE PEDAGIO ) GERENTE DE COMPRAS

    ALKIMIN ( EU TRABALHO PRAS PESSOAS RSRSRS ) DIRETOR FINANCEIRO

    KASSAB – GERENTE DE VENDAS

    COM CERTEZA VOCE IRIA VER O QUE IRIA VIRAR A SUA EMPRESA ( SERIA O INICIO DO BIG BANG ) BURACO NEGRO RSRSRSRSRSRSRS

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 4

  15. LEN disse:

    Pessoal, eu sei que o assunto gera paixão e estamos chegando perto das eleições, mas vou pedir encarecidamente, vamos evitar o uso de palavras ofensivas no debate. Se alguém se sentir ofendido vai processar é o blog, seu responsável, e eu não sou jornalista da VEJA que tem verba destinada a custear as centenas de contestações judiciais em cima daquela revista.

    Muitos blogueiros adotam moderação prévia e é o que não quero fazer, prefiro que a tribuna fique livre para a discussão democrática, mas apelo para que se restrinjam aos argumentos e deixem o fla-flu para aqueles blogs baixo nível da editora abril e de alguns jornais. Além disso, esse expediente não tem muito sucesso por aqui, a nossa audiência é pequena mas com inteligência acima da média e só argumentação clara e objetiva é capaz de impressionar positivamente.

    Mais uma vez digo que não se trata de puxão de orelhas em ninguém, aqui somos todos adultos, vejam como um apelo do amigo para que esse blog não caia na vala comum. abraços e bom debate.

    Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 0

  16. Abbud disse:

    Andre, primeiramente alguem precisa falar para voce que escrever em caixa alta é sinal de agressividade e raiva, que no seu caso parece ser o que voce realmente sente, o mesmo vale para o senhor Reinaldo, mas por que será?

    Seria uma raiva do desenvolvimento e independencia financeira do Estado de São Paulo, ainda infelizmente a única locomotiva deste país?

    Seria por que aqui em SP o trabalho é base de nossa sociedade?

    Seria por que aqui em SP a economia não gira e nunca gerou as custas do funcionalismo público?

    Seria por que voce esta frustrado por não ter um "boquinha" no estado?

    Seria por que aqui as piores rodovias são as federais, que graças a deus e ao trabalho deste estado é a minoria?

    Bom mesmo são as concessões das rodovias federais feitas no Governos LULA, pedagio de 2 reais so que a conta nao fecha e todas as obras de duplicacao estao atrasadas, e com as concessionarias batendo na porta do Governo, para negociar aumento de tarifa ameaçando nao cumprir investimentos.

    Se poderia ser menor o pedágio em SP? é obvio que sim! mas ainda prefiro estradas duplicadas, perfeitas e seguras e com pedágios caros, do que rodovias que colocam em risco nossa vida e são uma aventura.Faça a conta e verá que vale mais um pedagio de 20 reais em uma imigrantes do que nao pagar nada na BR 101 entre o Rio de Janeiro e a Bahia.

    A propósito minha empresa me reembolsa diariamento 20 reais de pedágio entre Sorocaba (onde moro) e Barueri Ionde trabalho) , viabilizados pelo excelente acesso por rodovias, o que não ocorre em nenhum outro Estado do Brasil, aqui temos esta opção e isto é qualidade de vida e infraestrutura que garante o acesso a mão de obra qualificade, e não simplesmente um pedágio caro.

    Seria por isso que todas as empresas preferem se instalar em SP devido a sua infraestrutura, e por isso é aqui que estão os empregos, que são suportados pela qualificação de seus moradores, que por sua vez geram riqueza e criam um círculo virtuoso, mesmo com a guerra fiscal dos estados?

    As empresas que saem do Estado sào aquelas em geral que são de mão de obra intensiva de baixa qualificação e para uma industria destas que sai outras tantas empresas de serviços e tecnologia chegam, é por isso por exemplo que a Hyndai e Toyota estão construindo fábricas no Estado de São Paulo e não em outro.

    Realmente nós paulistas somos burros, que elegemos o PSDB a mais de 16 anos, e vivemos em um estado miserável, sem empregos, infraestrutura inexistente e que depende de repasses do governo federal para sobreviver!

    Inteligentes são os Maranhenses, Macapenses e afins, que mantem os mesmos no "pude" a décadas e vivem em estados extremamente prósperos, ricos, com vasta infraestrutura, mão de obra extremamente qualificada e que sustentam a federação com seus impostos!

    Ao invés de argumentarem com base nos insignificantes pedágios (que são opcionais e o pagamento por um serviço), por que não avaliam a evolução da carga tributária, cada vez mais nos níveis de países nórdicos e com serviços de Africa?

    Contextualizem, analisem os momentos diferentes em que cada governo atuou e depois a gente conversa, se voces quiserem é claro

    Lamentável..

    Avalie o comentário: Positivo 6 Negativo 5

  17. Paulo Vitor disse:

    Sou carioca, então me deixem fora dessa. (risos)

    Len, é a minha primeira visita no seu blog e foi um prazer poder gastar alguns minutos (vários) lendo-o.

    Parabéns pela iniciativa e pela postura em frente à tão diferentes idéias e ideologias, absurdos, bairrismos, argumentos e falta de argumentos.

    Não adianta tapar o sol com peneira, já se dizia. Os números apresentados calam de vez a retórica cansativamente redundante dos aliados do PSDB de que o sucesso do Lula se deve somente à política econômica traçada durante o governo FHC, e que este foi apenas um passageiro em um veículo já com destino certo guiado por um piloto automático.

    Espero que nas próximas eleições a grande maioria vença novamente, e o Brasil continue se tornando uma potência. Bastam as carcomidas histórias de gigante adormecido, de esperar o bolo crescer para dividir.

    Saudações a todos.

    Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 3

    • LEN disse:

      Olá Paulo, Obrigado pelas palavras e seja bem-vindo ao blog. Abraços e volte sempre que puder.

      Avalie o comentário: Positivo 0 Negativo 0

  18. Gabriel disse:

    Achei essa comparação tendenciosa e com falta de imparcialidade…

    Limitar o senso critico do brasileiro ao eterno "eros e thanatos", ao dogma de que tudo se limita ao: "é bom ou é ruim", "é bem ou é mal" subestima a real capacidade de discernimento politico do eleitor.

    Avalie o comentário: Positivo 0 Negativo 3

    • LEN disse:

      Gabriel, seja bem-vindo ao blog

      os dados da comparação foram obtidos a partir de fontes sérias e foram citadas no artigo. Se você é capaz de contestar qualquer um desses dados, por favor cite as fontes e quais os dados que desmentem.

      A minha opinião não é isenta de posicionamento político, eu tenho lado, no entanto, seja nessa comparação ou em qualquer outro artigo que escrevo eu não brinco com dados sérios, nunca invento, distorço ou omito números, sempre que cito números estes estão embasados em dados de fontes confiáveis que não podem ser contestados, portanto não cabe qualquer afirmação de que esse estudo foi feito de forma tendenciosa.

      Você pode ter suas próprias avaliações, agora para desqualificar esse estudo tem que comprovar sob o risco de não ser levado a sério.

      Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 0

  19. Luis Américo disse:

    Só não esqueçam de que SP só se tornou a assim chamada "locomotiva" porque lá foram investidos bilhões e bilhões. Ao passo que nos outros estados, só se investem migalhas. Lembram-se de qdo o Tesouro renegociou a dívida dos estados no Governo FHC?. SP= 58 bi; RJ, MG, PR, RS, variavam entre 12 e 18 bi. BA, por causa do ACM = 980 mi. Todos os estados do Norte, Nordeste e Centro Oeste, juntos, cerca de 10 bi. As dívidas dos estados do NE variavam entre 200 a 400 mi. Ora, pessoal, se não há investimento, não pode haver retorno. Foi o que fizerem nos estados do Sul Sudeste, principalmente em SP. Se hovessem feito o mesmo vistimento em qq outro estado pobre do NE que foi feito em SP, qq um deles se tornaria um SP. Invistam 50 bi no PI, CE, PB, PE, ou qualquer outro pra ver se ele não produz o mesmo que SP. Industrializem-nos, criem infraestrutura lá e vejam a potência em que qq um deles se tornará. Com investimento é fácil. Difícil é querer tirar água da pedra sem quebrá-la. Se vocês analisarem um pouquinho, verão que o Brasil é um país adernado: alguns estados com investimentos pesados, enquanto outros com investimento a peso de palha seca.

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 1

    • LEN disse:

      Oi Luis, Seja bem-vindo ao blog. Na realidade algumas pesquisas já mostram que o peso do nordeste no PIB vem aumentando. Realmente o NE sofreu com séculos de falta de investimento da união, mas essa realidade vem mudando no governo Lula, e só tem a se aprofundar no futuro governo Dilma. grande abraço

      Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 1

    • Abbud disse:

      A pergunta é, por que se investiu tanto em São Paulo como voce diz, e menos no resto do País?

      A resposta seria a mesma da pergunta, por que se investe tanto na China na Índia e menos em outros países?

      O dinheiro vai para onde existe infraestrutura, ambiente político favorárel, incentivos, mão de obra qualificada entre outras coisas , ao passo que foge de regiões com ambiente político corrupto, mão de obra desqualificada, inexistencia de infraestrutura.

      Portanto não há desculpa, cada estado é o único responsável pela situação economica em que vive, façam a lição de casa, trabalhem de forma honesta, invistam na base e na educação, contribuam com a nossa federação que o dinheiro virá de forma saudável e sustentável,e não como uma esmola populista e insustentável, mesmo por que o que sustenta uma economia de forma real é a iniciativa privada e não o Governo! que aliás é Sonho dos "pseudo socialistas petistas" que desejam o controle total do Governo sobre tudo e todos.

      Abre o olho Brasil!

      Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 4

      • Paulito disse:

        Então os demotucanos são os responsáveis pelo fato de o estado de São Paulo possuir a maior concentração de riquezas e infraestrutura do Brasil? Isso passou a ser verdade após o governo de qual neoliberal?

        Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 2

      • Paulito disse:

        Outra distorção pela interpretação do Sr. Abbud.
        Meu caro, se hoje as empresas investem no estado de São Paulo é exatamente porque houve um tempo em que o governo investiu em infraestrutura, mais nesse estado que nos outros.

        Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 1

  20. jose luiz disse:

    MESMO COM A MANIPULAÇÃO DA REDE GROBO, COM "r" MESMO, VEMOS QUE O BRASILEIRO CONFIA NOS AVANÇOS DO GOVERNO POPULAR DO PRESIDENTE LULA.

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 2

  21. jose luiz disse:

    Contra números econômicos não existem argumentos mesmo. A moeda brasileira podia ter qualquer nome que o Brasil daria certo. O porque disso? Simplesmente, o Presidente Lula confia no Brasil, ao contrario do FHC, que exportou empregos para o exterior, como no caso da construção das plataformas de petróleo. FHC nunca teve postura ou valor para ser presidente, foi mais um trabalho da "grande mídia"que aprendeu lições das universidades americanas, criadoras dos ideais do PSDB, o partido fracasso.

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 1

  22. Magnos Augusto de Lima disse:

    Olá Len, gostei do seu blog, diferentemente de muitos blogs por onde já naveguei, onde impera a sandice e a intriga, aqui pelo que eu já vi, o papo rola sério, adulto, com exposições de idéias e não ataques de quem defende Dilma ou Serra. Parabéns, é um lago de racionalidade num oceano de loucura que invadiu a imprensa brasileira e a internet nesses últimos meses, com mentiras pipocando por todos os lados e pessoas que repassam informações sem ao menos checar se elas são verdadeiras ou não. O radicalismo não acrescenta nada a democracia, a disputa deveria ser de idéias, de programas de governo, vamos deixar as questões religiosas no âmbito da religião, estamos para escolher entre dois caminhos, não entre o bem e o mal como querem passar a mídia, mas entre dois estilos diferentes de fazer política. Cabe ao cidadão brasileiro consciente, julgar e escolher o que quer para o futuro seu e de seus filhos.
    Um abraço.

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 0

  23. Jonas disse:

    Exelente artigo, sou estudante de economia e sempre percebi essa mudança, porque para aqueles que observam ela pode ser vista a olho nú, mas sempre me deparei com aqueles que são influenciados pela midía e insistem em dizer que Lula apenas deu continuidade ao governo FHC, minha turma foi dividida em duas equipes para fazerem um comparativo dos dois governos e seus artigos me serão bastante útil.

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 1

  24. [...] Comparação Lula x FHC 5 – Indicadores econômicos e de atividade [...]

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 0

  25. Liliana disse:

    Len a Abbud,

    Nossa! Excelente debate. Abstenho-me de opinar favoravelmente ao candidato X ou Y, mas aprendi muito, lendo todas as argumentações de ambas as partes. Foram discutidas ideias que me esclareceram sobre muita coisa (como privatização, economia…) e sobre as quais eu não tinha conhecimento. Valeu a minha tarde de leitura e aprendizado!

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 0

  26. garcia disse:

    Você tem uma ótica sobre o quadro nacional , porem não existe efeito sem causa , devemos pensar um pouco antes de FHC .
    Sem as reformas feitas por FHC duvido que LULA ou o qualquer outra pessoa poderia apresentar números favoráveis .
    Os números apenas mostram que como não foi modificada a política econômica e nem teve reformas ou retoques nas reformas feitas o pais pode crescer inicialmente com FHC agora Lula e Tomara DEUS com DILMA (que os deuses protejam a economia Brasileira) .
    Os Números apresentado ai criam a falca impressão que FHC foi Incompetente e LULA um Bruta de um presidente . Simplesmente não é Lógico o que você mostra ai .
    Leia com atenção
    http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/seges/PMPEF/publicacoes/manuais_doc/081016_PUB_ManDoc_estado2.pdf

    Antes de mostrar números comparando somente FHC e LULA é importante mostrar que sem as reformas estaríamos vivendo nos tempos de REMPAC (rede nacional de pacotes da Embratel) e de filas para comprar telefones .

    Garcia

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 3

  27. Clawirton T. Pinto disse:

    Caro LEN, bom dia

    Estamos todos atentos ao seu parecer, acerca do assunto abaixo. Foi extraído de uma palestra do economista Waldir Serafim (eu o desconheço das mídias, o que não o desqualifica de capacidade).

    “Você ouve falar em
    DÍVIDA EXTERNA e DÍVIDA INTERNA
    em jornais e TV e não entende direito vamos explicar a seguir:

    DIVIDA EXTERNA
    é uma dívida com os Bancos,Mundial, o FMI e outras Instituições,
    no exterior em moeda externa.
    DIVIDA INTERNA
    é uma dívida com Bancos em R$ (moeda nacional) no país.

    Então, quando LULA assumiu o Brasil,
    em 2002, devíamos:

    ? Dívida externa = 212 Bilhões
    ? Dívida interna = 640 Bilhões
    ? Total da Dívida = 851 Bilhões

    Em 2007 Lula disse que tinha pago a dívida externa.

    E é verdade, só que ele não explicou que,
    para pagar a dívida externa,
    ele aumentou a dívida interna:

    Em 2007 no governo Lula:
    ? Dívida Externa = 0 Bilhões
    ? Dívida Interna = 1.400 Trilhão
    ? Total da Dívida = 1.400 Trilhão
    ou seja, a Dívida Externa foi paga, mas a dívida interna quase dobrou.

    Agora, em 2010, você pode perceber que não se vê mais na TV e em jornais algo dito que seja convincente sobre a Dívida Externa quitada.

    Sabe por que?
    É que ela voltou…

    Em 2010 no governo Lula:
    ? Dívida Externa = 240 Bilhões
    ? Dívida Interna = 1.650 Trilhão
    ? Total da Dívida = 1.890 Trilhão

    ou seja, no governo LULA,
    a dívida do Brasil aumentou em 1 Trilhão!!!

    Daí é que vem o dinheiro que o Lula está gastando no PAC,
    bolsa família, bolsa educação, bolsa faculdade, bolsa cultura,
    bolsa para presos, dentre outras mais bolsas…
    e de onde tirou 30 milhões de brasileiros da pobreza !!!
    E não é com dinheiro do crescimento,
    mas sim, com dinheiro de
    ENDIVIDAMENTO.

    Compreenderam?
    Ou ainda acham que Lula é mágico?
    Ou que FHC deixou um caminhão de dólares
    para Lula gastar?

    Quer mais detalhes,
    sobre dívida interna e externa do Brasil?
    acesse o site:

    http://www.sonoticias.com.br/opiniao/2/100677/divida-interna-perigo-a-vista

    Os brasileiros, vão pagar muito caro pela atitude perdulária do governo Lulla,
    que não está conseguindo pagar os juros dessa
    “Dívida trilhardária”
    tendo que engolir um “spread”(txa. juros)
    muito caro para refinanciar os “papagaios”,
    sem deixar nenhum benefício para o povo,
    mas apenas
    DIVIDAS A PAGAR
    por todos os brasileiros,
    que pagam seus impostos…!!! “

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 3

    • LEN disse:

      Clawirton,

      você sabe porque não fizemos comparativos com dívida? porque a dívida não é um indicador de eficiência de um governo, simplesmente porque no Brasil ela se refere ao que é devido por governo federal, estados e municípios, então como você vai atribuir a um governo por algo que ele só tem responsabilidade em parte, já que o aumento da dívida se deve também a atuação de governadores e prefeitos de oposição. deu para entender?

      Outra coisa, você não compara dívidas pelo valor aumentado e sim pela multiplicação dos valores, dizer que a dívida aumentou em 1 trilhão e não explicar que lula pegou uma base de 850 bilhões enquanto FHC tinha pego uma base de 65 bilhões, você vai confundir mais do que confundir. Se você colocar os critérios certos vai perceber que a dívida pública aumentou mais de 700% no período do governo FHC e esse aumento não chegou a 200% no período do governo Lula (lembrando que a divida é da união, estados e municípios portanto não estou culpando só o FHC por esse aumento de 700%

      E mais, se falarmos só na divida do governo federal, esta aumentou durante o governo lula unicamente pelo fato do governo não fazer deficit nominal zero, ou seja não consegue pagar a totalidade dos juros e portanto a divida cresce, já no governo FHC ela aumentou mais justamente porque além do governo não conseguir pagar os juros ainda fazia novos pedidos de empréstimos, como as incontáveis vezes que o governo FHC foi passar o pires no FMI.

      Não dá para reescrever a história, em matéria de endividamento público não dá para comparar com o que o FHC fez com o Brasil, aquele período deve ser lembrado para que não cometamos os mesmos erros novamente.

      Avalie o comentário: Positivo 5 Negativo 4

    • Hélio disse:

      Tenho que concordar quanto a farsa da dívida externa.
      São dívidas publicas federais, nada a ver com dívidas dos estados e municipios!
      Lula duplicou a divida interna deixada por FHC, apesar de pagar menos juros que seu antecessor e sem esquecer do rombo na Previdência, isso certamente explodirá nas mãos dos futuros governantes.

      Olha a Europa querendo fazer reformas e o povão indo às ruas….

      Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 6

  28. Buscácio disse:

    PSDB já foi. Trocou a social-democracia (que por ironia vem na essência do PT) pelo liberalismo controlado (com alguma mão do Estado na regulação e atuação. O PT trocou o estatismo e passou direto de sua essência social democrata e está perdido no meio do caminho.

    Quem virá agora?

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 3

  29. Donaldo M Dagnone disse:

    O autor esquece que a maior parte da benesse obtida pelo governo Lula advém das compras massivas de soja e minério de ferro pelos Chineses – algo LITERALMENTE plantado por FHC – mas que deram frutos apenas a partir de 2001 – daí a alta na bolsa e tudo mais.

    Alguém aí acredita que teríamos o que temos hoje se ainda tivessemos TELESP estatal, bancos estaduais como BANESPA e BANERJ, o Banco Economico nas mãos da família ACM etc etc.????

    Avalie o comentário: Positivo 4 Negativo 2

  30. Bráulio disse:

    Caro LEN
    Seu excelente artigo instalou uma excelente discussão. Acompanho a revista CartaCapital – admiro a qualidade do trabalho da equipe do Mino Carta – e posso dizer com tranquilidade que o seu trabalho poderia ser publicado no semanário acima (embora eu não possa tomar esta decisão: sou um fiel leitor, não o editor).
    Continue a produzir estudos com esta qualidade.
    Forte abraço
    Bráulio

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 0

  31. Camilo disse:

    Uma comparação justa de qualquer questão tem que ser relativa entre antes e depois. Por exemplo:
    Quanto era a inflação antes de FHC e quanto era no governo FHC?
    Antes de FHC e governo FHC: caiu de 3000% ao ano para 9% ao ano.
    de FHC para LULA: caiu de 9% ao ano para 6%.
    Eu acho que tem que sempre melhorar.
    Outro exemplo: Que parcela da população tinha acesso a telefone antes e depois de cada governo? Qual melhorou mais? E em relação à saude? Reflita.

    Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 2

  32. anônimo disse:

    Completamente tendencioso esse artigo, notem que o primeiro gráfico começa em 12/1994 já com o Real em atividade. Por que o gráfico não começa em 01/1993 pra mostrar o reflexo que o Real deu ao Brasil?

    Avalie o comentário: Positivo 2 Negativo 2

  33. Castro disse:

    Legal a discussão, lembrando que a receita engendrada pelo Banco Mundial vem mostrando seus resultados faz um tempo, por último temos visto a Espanha, Portugal e outros da Europa se transformando em pó e porque o Brasil não está no mesmo caminho? Resposta: PT sem dúvida foi a ruptura do modelo neoliberal feito pelo PT que evitou o endividamento do País e o salvou da falência, se esses países citados está mal mesmo com o dinheiro farto do banco europeu, imagine o Brasil? recorreria a quem nessa hora?

    Avalie o comentário: Positivo 3 Negativo 0

    • boris sklinsky disse:

      Sem partidarismo indago sobre endividamento do país qual é a melhor alternativa: o governo pagar juros aos bancos brasileiros ou aos do exterior?

      Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 0

  34. Claudio disse:

    Ai pessoal, os petistas estão falando que a dívida do governo FHC aumentou muito né? Mas ninguém esta falando o por quê dela ter aumentado.
    Vamos aos fatos.
    Como um amigo bem disse, antes do plano Real a inflação chegava a 3000% ao ano. Para tentar controla essa loucura governos anteriores adotaram varias medidas que não obtiveram exito.
    No governo Itamar foi implantado o plano Real (É bom lembrar que o Lula era contra), sendo o FHC o Ministro da Fazenda.

    No novo plano foram adotadas varias medidas para que não se tornasse um novo fracasso.
    Uma delas era dar credibilidade a nova moeda, que foi colocar o cambio 1 pra 1 com o Dólar (obs.: quem guardava dinheiro, fazia em Dólar).

    Obs.: Agora vou falar um pouco sobre macroeconomia.
    A forma de controlar inflação é tirar dinheiro do mercado (Das pessoas). Como se faz isso?

    De varias formas.
    Ex: Aumentando o juros (Por isso o juros do FHC eram altos), pois desincentiva o crédito e investimentos, e incentiva as pessoas a pouparem.
    Para toda ação há uma reação, e o malefício dessa reestruturação é travar o crescimento do país.

    Outra forma de controlar a inflação é com impostos. Isso mesmo, você, eu e todos os brasileiro pagamos muitos impostos para controlar a inflação. Esse é um dos motivos, outro é que tem que sustentar os muitos ministérios e secretarias que o PT fez.

    Voltando para o que interessa. Por que a divida no governo FHC subiu muito? Porque o juros estavam altos. Como a dívida do Brasil é corrigida pelo juros, não custa pensar um pouco.
    Com o juros mais alto a dívida cresce mais rápido, não importando se esta gastando ou não o dinheiro.

    Com tudo o que foi dito a gente esbarra em um outro ponto que petistas adoram falar, o FMI.
    O governo pegou dinheiro com o FMI porque era mais barato que emitir títulos públicos. Já que os juros internacionais eram menores e a unica variância era o câmbio.

    Pra finalizar.
    A tendência dos juros é cair de modo que não aumente a inflação, e é isso que tem acontecido ao longo dos anos. No curto prazo vai ter sempre um sobe e desce mas ao longo vai ser menor que é hoje. Pelo menos é isso que esperamos. Essa estória de que o juros do governo Lula é menor que o do FHC é uma piada. Ele só continuou o que o outro começou, por isso é menor, alias tem que ser menor, como o da Dilma tem que ser menor que o do Lula, e como de quem vier tem que ser menor. Não estou contando com nenhum louco no poder.

    Todos os governos fazem coisas boas e ruins, para saber se um o governo agrada ou não so colocando na balança, de um lado as coisas boas e de outro as ruins, o que pesar mais é a sua avaliação do governo.

    É isso ai.
    Saudações Rubro-Negras.

    Avalie o comentário: Positivo 1 Negativo 0

  35. A comparação resumidamente é essa: Gustavo Franco e Arminio Fraga x Henrique Meirelles. Eu não sou Petista nem Tucano, mas nessa daí é ponto pro Lula que escolheu bem e manteve o mesmo presidente do Banco Central durante todos os dois mandatos. No governo FHC, além da diferença do cenário econômico mundial, pesam essas mudanças no comando do banco central, (Percio Arida, Gustavo Loyola, Gustavo Franco e Armínio Fraga) já que estamos comparando indicadores econômicos como principal argumento. Menos mimimi aí né pessoal.

    Avalie o comentário: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: