unnamed

Post de encerramento

Anuncio aqui o encerramento das atividades do Blog Ponto & Contraponto que com muito orgulho editei desde que iniciou em 2008 como Blog do LEN no ...

aecio-1-cocaina

Lobista preso na Zelotes confirma e...

O lobista Alexandre Paes dos Santos, preso na última etapa da Operação Zelotes, confirmou à Folha de São Paulo em entrevista em setembro, que teve enc...

cunha aecio e peleguinho

Abraçados ao Cunha

A decisão do Ministério Público Suiço de repassar às autoridades brasileiras, documentação sobre investigação por suspeita de lavagem de capitais, que...

psdbteupassadotecondena

Tuitaço contra o PSDB deixa imprens...

O programa eleitoral do PSDB, exibido na TV na noite de ontem, motivou manifestações de repúdio nas redes sociais que alcançaram o topo dos Trending T...

Internacional

marcha da hipocrisia

Marcha da hipocrisia: Quando o mundo se torna ainda pior

O Mundo Já tinha se tornado pior com o atentado que ceifou a vida de cartunistas, que a despeito de criarem charges de mau gosto e de incent...

Comparação Lula x FHC

Comparação Lula x FHC 6 – Combatendo o desmatamento

Aproveitando o dia mundial do meio-ambiente, aceitamos a sugestão do amigo Luiz Guilherme da M. L. J...

Educação

Dotô Mervá Perêra da ABL e os “alhos com bugalhos”

Por DiAfonso [Terra Brasilis] Desde o dia em que li o artigo Alhos com bugalhos [transcrito abaixo] do Merval Pereira, o "Imortá da ABêEle",...

Mais comentados

Apologia à desinformação é a gota d’água

O movimento Gota D’água, que tem como um de seus diretores conselheiros, o ator global Sérgio Marone, lançou ontem um vídeo com outros 18 at...

Post de encerramento

unnamedAnuncio aqui o encerramento das atividades do Blog Ponto & Contraponto que com muito orgulho editei desde que iniciou em 2008 como Blog do LEN no WordPress.org. Foram 8 anos e meio discutindo assuntos como política nacional e internacional, futebol e cultura. São 690 posts (com esse) de seis autores que escreveram exclusivamente para esse blog ou que foram republicados de seus respectivos blogs pessoais. Posts que sairam desse blog e foram parar em sites de agencias internacionais como o Pravda online e o Global Media Voices, sites de noticias nacionais como o vermelho.org e blogs de importantes jornalistas brasileiros como Luis Nassif Online, Conversa Afiada do jornalista Paulo Henrique Amorim, Viomundo do jornalista Luis Carlos Azenha, O Escrevinhador do jornalista Rodrigo Vianna, Doladodelá do jornalista Marco Aurelio Mello, sem contar diversos outros blogs de jornalistas e blogueiros que forman essa grande rede de blogs progressistas que o Ponto & Contraponto faz parte com muita honra.

Agradeço especialmente aos nossos queridos e brilhantes autores que abrilhantaram o blog como Diogenes Afonso, Giovani Moraes, Saulo Machado, Denise Queiroz e Stanley Burburinho. Agradeço ainda ao ator José de Abreu e ao dirigente partidário Walter Pomar por dedicarem uma parcela de suas corridas agendas para nos honrar com entrevistas concedidas exclusivamente para esse blog. Agradeço também as elogiosas menções a esse blog dirigidas pelo jornalista Miguel do Rosário e pelo Professor Idelber Avelar em seus respectivos blogs. Finalizo agradecendo a você, leitor e comentarista do blog, se aqui contamos uma fração da historia nas discussões introduzidas, nada teria relevância sem a sua participação, seja contribuindo nos 3.940 comentários de centenas de diferentes participantes de nossas discussões, seja aos que compartilharam o nosso conteudo nas redes, sites e blogs. Vocês que fizeram a importância desse blog, sobretudo nas discussões sobre o cenario politico nacional no período em que funcionou.

Apesar de compromissos pessoais de cada um de nós impedirem que nós mantenhamos o blog em atividade com a regularidade que nossos leitores merecem, o acervo de posts e comentários que formam as discussões aqui iniciadas, e que inclusive foram base para algumas defesas de tese de mestrado permanecerão disponiveis para leitura por tempo indeterminado, encerradas estão as colaborações de novos posts. Os comentarios serão encerrados em 30/092016.

A luta jamais termina. Vamos continuar o bom combate por outros meios. Gostaria de abraçar a cada um de vocês. Valeu por tudo.

Lobista preso na Zelotes confirma encontro com Aécio

aecio-1-cocainaO lobista Alexandre Paes dos Santos, preso na última etapa da Operação Zelotes, confirmou à Folha de São Paulo em entrevista em setembro, que teve encontro com a campanha de Aécio Neves em 2014, durante a campanha presidencial, para apresentar “demandas” dos seus clientes, que são grandes empresas interessadas na possibilidade de lobby governamental junto a um aspirante a presidente.

Em escuta obtida no âmbito da operacao Zelotes, Alexandre fala a um interlocutor que o Senador e então candidato a presidente, Aécio Neves, se comprometeu a se reunir pessoalmente com ele, onde apresentaria as “reivindicações do meio empresarial.

APS, como a Folha o chama, não confirmou reuniões com campanha da Dilma, mas citou que representantes do entao candidato Eduardo Campos participaram de reunião de trabalho com essa finalidade, mas o lobista não estava presente.

A Folha tenta vergonhosamente disfarçar a noticia com um titulo que não cita Aécio, e generaliza tentando fazer passar que todos foram procurados pelo lobista: “Lobista preso diz que levou demandas a campanhas presidenciais de 2014” e pasmem, só cita o candidato no parágrafo 30. Não é brincadeira, podem contar. (Link da matéria).

Agora imaginem se em alguma escuta o lobista diz que Lula ou Dilma prometeu recebe-lo, e depois em entrevista à imprensa tucana ele confirma ter ocorrido o encontro. A essa hora Lula já estaria preso e Dilma afastada da presidencia.

O clima de acirramento politico aliado aos frequentes passaralhos ocorrendo nas redações produzem essa falta de pudor jornalistico, onde missivistas de forma atrapalhada tentam esconder do noticiário qualquer fato que atrapalhe a narrativa definida pelos seus patrões de demonização do PT.

E se para funcionar houve uma gritaria e criminalização de atividades politicas para acusar petistas, citando encontros acontecidos com pessoas que na época não eram acusados de nada, como explicar que o candidato da oposição teve encontro com lobista, que meses depois seria preso, durante a campanha?

Dessa forma também se sentem desobrigados de cobrar publicamente Aécio em entrevistas, para que ele se explique sobre a reunião com o lobista e o que foi tratado. Para alegria do patrão vão se limitar ao indigno papel de levantar bolas para ele cortar contra o governo e o PT, posando de moço digno.

E assim caminha mais uma grande farsa.

Abraçados ao Cunha

cunha aecio e peleguinhoA decisão do Ministério Público Suiço de repassar às autoridades brasileiras, documentação sobre investigação por suspeita de lavagem de capitais, que abriu contra Eduardo Cunha naquele país e, que resultou em bloqueio do montante de dinheiro nas quatro contas que são atribuídas a ele e sua família, além de jogar muita água na fogueira golpista, permite ainda que o observador menos informado, que vem recebendo informações distorcidas do que está sendo investigado, comece a entender o que de fato acontece no cenário político atual: corruptos de vários partidos e grupos de comunicação que sempre sobreviveram das tetas da república esperneando por seus esquemas estarem sendo desmontados.

É uma desmoralização em praça pública de grupos ditos “anticorrupção” que confraternizaram em Brasília, tirando fotos em meio a sorrisos amarelos, com aquele que segundo o Ministério Público Suiço abriu empresas de fachada para lavar dinheiro naquele país.

A oposição silencia obsequiosamente sobre a deterioração de Cunha, inclusive o neo-falastrão FHC, que foi escondido por seu próprio partido durante dez anos depois de um governo desastroso, e não pode ser de outra forma. O único projeto da oposição é conseguir uma forma de voltar ao poder sem ter que enfrentar novas eleições em 2018 contra Lula.

Os grandes grupos de comunicação do país estão no mesmo barco da oposição, em franca crise de credibilidade que precede a financeira, não conseguirão manter atuais impérios por mais oito anos sem que seus aliados políticos retomem o controle da verba publicitária federal, fracionada durante governos petistas.

O que resulta dessa mistura explosiva é essa situação esquizofrênica que vemos no país, onde o presidente da câmara afundado até o último fio de cabelo na lama é tratado como se sua continuidade no cargo fosse normal, inclusive para tocar um processo de impeachment contra um mandatário sem uma acusação sequer.

Fica difícil até para o Homer Simpson entender, mesmo sendo tratado como analfabeto político todo esse tempo, e uma hora ele vai conseguir fazer uma sinapse e perceber que o roteiro que lhe empurraram goela abaixo está cheio de furos, enquanto puderam manter Vaccari e José Dirceu na linha de tiro com o seletivo Moro era possível sustentar aquele roteiro.

A fábrica de tapiocas que montaram para acusar Lula de defender divisas e empregos brasileiros através da diplomacia, como qualquer presidente que preza o seu povo e cumpre seu papel (a despeito de outros que se orgulhavam de serem tratados como vira-latas) já não serve para blindar aliados feridos de morte, nem para esconder discursos falsos-moralistas de políticos que não sabem diferenciar o público do privado quando exercem seus mandatos, como Aécio Neves.

Na imprensa já está um pandemônio, uns analistas já pregam abandonar Cunha, outros mais temerosos que suas cabeças sejam as próximas no seguinte passaralho, insistem que “não é nada demais” e que excetuando petistas, todos devem ter o direito da presunção de inocência.

No meio disso tudo, Dilma reduziu número de ministérios, número de cargos de confiança e seu próprio salário, parece ter recuperado base de sustentação mais firme na câmara, teve uma atuação importante na ONU e, continua mostrando para a população que não cansa de procurar maneiras de superar a crise financeira, que tende a reduzir com o fracasso dos golpistas. Nada poderia ser melhor para ela nesse momento que os ataques de quem aos olhos do país não passa de um bandido.

Aos que permanecem abraçados ao Cunha resta o alerta que podem ir todos para o fundo. Eles agora são indissociáveis.

Tuitaço contra o PSDB deixa imprensa avestruz perdida

psdbteupassadotecondenaO programa eleitoral do PSDB, exibido na TV na noite de ontem, motivou manifestações de repúdio nas redes sociais que alcançaram o topo dos Trending Topics do Twitter no Brasil e ficou em segundo lugar dos assuntos mais comentados em todo o mundo.

A tag #PSDBteuPASSADOteCONDENA foi utilizada por brasileiros para hostilizarem o programa tucano que de antemão anunciava ataques ao Lula, Dilma e o PT, e como de hábito, não trouxe qualquer proposta para o país.

Internautas lembraram os casos de corrupção tucanos não punidos e engavetados, como FHC e PSDB agiram para bloquear CPIs e instrumentalizar instituições de investigação. Lembraram ainda a situação de caos econômico, desemprego, inflação e juros altos, fome e miséria que o país viveu no governo FHC.

Ao contrário dos panelaços contra Dilma e o PT, que aconteceram apenas em bairros ricos de grandes centros do país, o tuitaço contra o PSDB teve alcance maior já que contou com a participação de cidadãos de diversas localidades do país, de todos os credos, graus de instrução e classes sociais e pode ser visto em outros países, mas foi ignorado pelos mesmo veículos de comunicação que tinham coberto panelaços com notável exagero.

A reação da população contra o PSDB tanto não era esperada que os veículos ficaram sem saber o que fazer. Passaram a semana anunciando o programa do PSDB com críticas ao Lula, mas hoje nem sequer comentam o conteúdo do programa, pois a citação ao programa do partido sem citar a manifestação contrária ficaria, na visão deles, mais ridículo que esse silêncio obsequioso.

Fazendo uma busca nos principais mecanismos de busca sobre a tag, o blog não encontrou um link sequer com citação ao tuitaço em nenhum dos grandes veículos de comunicação do país, mostrando que a estratégia do avestruz, que enfia a cabeça no chão para se esconder de perigos, continua sendo a única forma de ação destes quando se defrontam com fatos constrangedores sobre o partido que apoiam veladamente.

A insistência no autismo voluntário em pleno século 21, onde veículos tradicionais de imprensa enfrentam consequências do declínio econômico e redes sociais assumem papel de principal distribuidora de informações, mostra que a cegueira ideológica partidária que domina redações desses veículos, vai transformando a situação em que se encontram em uma bola de neve do descrédito.

Não dá para esconder mais o que acontece nas redes. O Twitter se transformou em um bunker de resistência democrática e fonte de desmoralização permanente do mau jornalismo. Por mais irônico que possa parecer o fim do jornalismo de esgoto não virá da regulamentação de mídia ou do contingenciamento de verbas de publicidade estatais, mas da forma aloprada como gerem seus negócios, aniquilando dia a dia o único patrimônio que interessa a um veículo de comunicação: a confiança de leitores/ouvintes/telespectadores/internautas.

Teflon de Beto Richa apressa declínio da velha mídia

afogadoA imprensa tradicional vive um momento de crise financeira sem precedentes. A migração de telespectadores e leitores para a internet, universo de concorrência real onde não cabem carteis e oligopólios, contrai receitas e obriga aos antigos poderosos desmontarem infraestruturas gigantescas e demitirem pessoal em passaralhos cada vez mais frequentes.

Movimentos de esquerda colocam suas esperanças de enfraquecimento do exacerbado poder político desse limitado número de empresas de comunicação na eventual aprovação de um projeto de regulação de mídia, elaborado após uma grande discussão que aconteceu na CONFECOM entre 2007 e 2008, no entanto, as chances do projeto seguir em frente com a atual maioria de conservadores no congresso são mínimas, para não dizer nulas.

O plano B, que dependeria da redução de publicidade estatal nos veículos tradicionais, apesar de parecer promissor com nomeação para ao SECOM do político, não jornalista, que nunca trabalhou para veículo de comunicação, Edinho Silva, se trata de um processo lento, de longo prazo.

Por incrível que possa parecer para todos nós, quem mais contribui para o fim do sistema que dá a poucas famílias todo o controle de comunicação do país são os seus próprios detentores. Os motivos? cegueira ideológica, arrogância, falta de profissionalismo, e o mais importante: a falta total de compreensão que na internet a prática de impor versões descoladas dos fatos à opinião pública, além de não prosperar, mina o resto de credibilidade que ainda possuem.

Poderia citar vários exemplos, como a inesquecível edição do Jornal Nacional que tentou sustentar a farsa da bolinha do Serra e foi desmoralizada em seguida nas redes, mas vou me fixar no caso do massacre covarde dos professores do Paraná.

A primeira reação da imprensa tucana foi tentar ignorar, como acontece na maioria das vezes, mas quando o caso começou a ser noticiado por agências internacionais, resolveram romper o silêncio. Disposta a não transformar a situação que virou uma bola de neve em um flanco exposto dos tucanos, imprimiram manchetes chamando o massacre de ”confronto” enquanto as redes mostravam cenas de agressão unilateral.

Toda ênfase das reportagens desses veículos foi construída em cima de justificativas do governador e da PM/PR, inclusive as versões fantasiosas que iam desde a prisão de black blocks (desmentidas pela Defensoria pública) até a patética alegação que os policiais apenas teriam reagido ao avanço de manifestantes para não serem esmagados pela grade de proteção (desmentida por vídeos). Manifestantes sequer foram ouvidos pela mídia.

Em operação conjunta com a mídia, PSDB deflagrou nas redes operação com robôs para chamar professores de bandidos, e repercutir submundo jornalístico que tentava justificar a barbárie pela alegação que servidores públicos, na sua maioria professores, que estavam ali para defender direitos adquiridos, estariam a serviço de ação política da CUT e do PT.

Não é preciso ter muita capacidade de constatação para perceber que a operação teflon não prosperou. A sociedade se revoltou através das redes sociais e eventos públicos onde o massacre foi repudiado, como nas manifestações de torcidas de futebol paranaense, entidades internacionais de direitos humanos se manifestaram, a imprensa internacional apontou descalabro.

 O Ex- Secretário de direitos humanos do governo FHC puxou a fila entre tucanos que deixaram cair a ficha, e a cabeça do secretário de segurança do Paraná, o tucano Francischini foi pedida dentro do partido para conter a sangria de Richa.

A narrativa das redes venceu a tentativa canhestra de se sobrepor aos fatos com uma versão aloprada e desesperada das redações. A realidade gritante que tentam esconder de si mesmos é que o espaço para manobra foi reduzido drasticamente e vexames como esse devem se tornar mais frequentes, caso insistam nessa estratégia obsoleta.

Até o indivíduo com reduzido senso crítico e limitada capacidade de dedução consegue perceber a disparidade entre o que viram nos vídeos e imagens e a forma como foi narrada pela imprensa. O deserto de credibilidade é o horizonte que aponta o caminho trilhado por essas empresas.


Videos que ilustram o post pescados dos Facebook da jornalista Soninha Correa e do usuário e somos a maior

Professores do Paraná expõem hipocrisia da classe média ao mundo

.tumblr_mbyszbcw641r4x1qbo1_500Não vou abordar aqui os fatos do massacre dos professores do Paraná, causado pelo governo nazista de Beto Richa (PSDB/PR) ontem em Curitiba, apesar da já esperada blindagem da mídia tradicional, as redes e blogs já fazem uma narrativa adequada e completa do vexame internacional.

Vamos falar sobre como a hipocrisia da classe média, que foi às ruas para pedir a saída de Dilma e o fim do PT, foi exposta à opinião pública internacional depois das cenas absurdas de ontem, que foram transmitidas em tempo real para o mundo todo.

A disparidade entre a relevância da motivação dos professores, que reivindicam para não perder direitos adquiridos e a falta de senso do ridículo de pessoas que vão as ruas para pedir a saída de uma presidenta eleita, sem ter justificativa além do descontentamento por seu candidato não ter vencido as eleições, mostram como parte da população se comporta como massa de manobra à disposição de mal intencionados.

A rua não é lugar para idiotizados pela mídia, revoltados sem causa e gente fútil que acha que protesto é rolezinho para tirar selfie. Idiotas pedindo intervenção militar fazendo apologia a regimes tiranos dão passe livre a políticos fascistas para mostrar suas garras como ontem no Paraná.

Grupos financiados se dizendo “frente pela democracia contra a implantação da ditadura comunista” se calam diante da barbárie que aconteceu ontem, simplesmente pelo fato de eles não serem pagos para defender professor ou povo, mas para atacar o PT e levar déspotas ao poder.

Onde estão essas pessoas que se enrolam na bandeira para dizer que lutam por um Brasil melhor e se escondem embaixo do edredom para não ver suas covardias expostas? Milhares de curitibanos foram as ruas para “acabar com o PT” onde estavam elas ontem?

O que vem à cabeça são as camisas da seleção da Nike de 300 pratas, bolsas da Louis Vuitton e faixas produzidas em série e com incrível padronização, o verde e o amarelo contrastando com o vermelho do sangue dos professores do Paraná.

Façam um favor pra mim, engulam essa baboseira de ditadura comunista que já encheu o saco de qualquer ser humano com cérebro, ditadura é o que vocês apoiam e votam e que são responsáveis pelas chacinas como no Eldorado de Carajás e Carandiru, e os massacres do Pinheirinho e de ontem em Curitiba. Assumam que quem quer ditadura sanguinária são vocês, parem de falar em Foro de São Paulo sem entender, tá ridículo.

O Brasil acorda de luto por cenas grotescas que só víamos no tempo da ditadura militar terem se repetido em pleno século 21, e pela jumentice de nossa sociedade, revelada ao mundo de forma impiedosa.

Vocês envergonham os brasileiros que pensam.

Imagem que ilustra o post: http://tiras-do-calvin.tumblr.com/

Movimentos reacionários anti-PT não querem fim da corrupção

mascara-que-caiAs máscaras de apartidários de movimentos como MBL, Vem Pra Rua e Revoltados Online foram definitivamente aposentadas. A fantasia do combate à corrupção foi rasgada.

Não que alguém de fato acreditasse no seu apartidarismo, mas a pose acabou por se desmoronar nas declarações desesperadas daqueles que se dão conta do fracasso dos movimentos de ontem e pedem que líderes da oposição, acusados de corrupção, sejam mais efetivos na tentativa e derrubar um governo legitimamente eleito.

Quando eu li manchete no UOL, que apontava para matéria da Folha, dando conta que organizadores dos protestos em São Paulo teriam cobrado publicamente o PSDB, pensei ter encontrado luz no fim do túnel, já pensando no mea culpa que teria de fazer por críticas anteriores a esses grupos.

Ao seguir o link que apontava tão sugestivo título, percebi que as críticas ao PSDB não eram para cobrá-lo de ter políticos envolvidos na Lava-jato e outros escândalos de corrupção denunciados e não punidos, nem pelos problemas que administrações estaduais e municipais do partido acumulam, mas porque não estavam participando dos protestos e tendo ações mais “contundentes” para derrubar o governo.

Para os que afirmam “representar brasileiros que estão fartos de tanta corrupção”, não apenas não há nada que impeça que o senador Aécio Neves, acusado pelo delator Alberto Youssef de ter recebido propina mensalmente de Furnas, durante todo o governo FHC, de comparecer a um protesto anti-corrupção, como ele deveria ter feito para dar mais legitimidade ao ato.

A fantasia de anti-corrupção é usada por cretinos para enganar a população acerca de suas verdadeiras intenções. Não há qualquer resquício de indignação contra a corrupção ou intenção de acabar com ela.

O que move esses grupos é unicamente o ódio ao PT e o lucro que isso pode proporcionar a eles, visto que é perceptível que existem personagens e corporações anônimas dando suporte financeiro a estas atividades.

Quem vai a alguma dessas manifestações anti-PT ou lê sobre elas percebe que muitas delas tem infraestrutura semelhantes a comícios de campanhas eleitorais milionárias, com a disposição de carros de som, banheiros químicos, pessoal de apoio de divulgação, produção de centenas de faixas, flyers e bandeirões, coordenação com caminhoneiros.

Tudo isso custa muito, muito caro e nem com muita ingenuidade podemos sequer imaginar que toda essa fortuna seja arrecadada através de doações pedidas pela internet e panfletos.

A percepção da falta de coerência desses grupos aliada às informações de envolvimento de políticos tucanos na lava-jato e sua posterior atuação na votação do PL 4330, que atenta contra direitos da CLT e precariza o trabalho, foram os principais motivos para o retumbante fracasso dos atos de 12/04.

Os movimentos anti-PT perderam influência com o fracasso de ontem, o poder de inverter a lógica de um processo de impeachment também. O temor de “pagar mico” vai inibir ainda mais novas manifestações a serem marcadas e os quinze minutos de fama de seus líderes estão se esgotando como se esgotaram os minutos do MPL em 2013.

Resta as novas sub-celebridades com validade vencida tentar um mandato de vereador ano que vem e compor o baixo clero de políticos inexpressivos.

Terceiro turno acaba de forma melancólica

1204micaoFim do terceiro turno das eleições presidenciais de 2014. O movimento teve morte horrível com um fiasco nacional, que reuniu entre perdedores reincidentes os eleitores do PSDB derrotados na eleição passada, uma oposição sem propostas e uma mídia em processo de declínio comercial, de audiência e de influência.

As manifestações marcadas para hoje, 12 de abril, com maciça divulgação da mídia e publicidade paga sabe se lá com dinheiro de onde e de quem, fracassaram ou na gíria do momento, floparam.

Manifestações de 15 de março, em estatísticas mais realistas do Datafolha, chegaram a reunir um milhão de pessoas. As de hoje, embora o Datafolha não tenha se pronunciado, mesmo com as medidas infladas das PMs de estados governados pelo PSDB, foi de pouco mais de 400.000 pessoas.

A realidade é que os eventos de hoje não chegaram a reunir 20% da audiência dos protestos de março e isso é visível em fotos com ângulo mais aberto, perspectiva evitada pela mídia que reluta em admitir o fracasso.

A grande maioria não foi hoje por perceber que estava sendo usada como massa de manobra de gente mal intencionada, que não está indignada com corrupção, mas com o combate dela. Percebeu que a corrupção de alguns partidos é tolerada por organizadores dos protestos. Nenhum deles fala em Metrolão, Mensalão Tucano, Suiçalão, Operação Zelotes e lista de Furnas.

Outros fatores afastaram manifestantes dos protestos de hoje, como a divulgação do vídeo onde Alberto Youssef denuncia que Aécio Neves, que vem convocando para as manifestações, recebeu propina vinda de esquema em Furnas no governo FHC.

O esquema rendeu ao então deputado mineiro durante seis anos, 120.000 dólares por mês. Outros políticos tucanos como o senador Antônio Anastasia e o falecido ex-presidente da sigla, Sérgio Guerra, também foram citados como destinatários de quantias desviadas da Petrobras.

A maior ducha de água fria nos protestos de 12/04, no entanto, foi a votação do PL4330, da terceirização, que atenta contra direitos trabalhistas, onde PSDB e o PMDB e políticos de oposição ao governo Dilma, votaram em massa.

Aquele que não está muito cego de ódio ao PT percebeu facilmente que a garantia de seus empregos e de suas famílias depende agora do veto da presidenta Dilma. Já aqueles que votaram pela perda dos direitos não seriam sequer citados. Não há alienado que não desconfie depois de tanta incoerência.

O resultado da insistência no ataque ao estado democrático de direito para encobrir a incapacidade da oposição em apresentar projetos, se viabilizar como opção e vencer eleições, foi esse fim melancólico, onde só saíram às ruas, hidrófobos anti-PT e patéticos defensores de intervenção militar que a cada oportunidade que se apresenta se humilham às Forças Armadas, de forma que até seus críticos se envergonham.

Humilhados ainda saíram os principais meios de comunicação do país que se comportaram como torcida, deixando que o clima político os cegasse, a ponto de apagar o mínimo resquício de sobriedade que uma empresa de mídia deve ter, com promoções infantilizadas e coberturas exageradas o oligopólio de mídia nacional figurou na lista dos maiores derrotados de hoje.

Paulo Roberto Costa revela nova ligação criminosa entre PSDB e ALSTOM

paulo-roberto-costa-alberto-youssef1O PGR liberou o sigilo de depoimentos de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef e, como de costume a grande mídia tentou que passasse despercebido o depoimento que deu, denunciando a compra cara e inútil de turbinas para a Petrobrás no governo FHC.

Escondido em parágrafos de pé de página e sem nenhuma chamada de título, matéria da Folha que dá ênfase à declaração de Paulo Roberto Costa que não existe doação legal que tem a finalidade de dar argumento a quem quer criminalizar apenas as doações ao PT, relata que em depoimento o delator detalhou compra emergencial de turbinas para geração termoelétrica em um momento que a companhia não necessitava das mesmas.

Paulo Roberto afirmou que as turbinas foram compradas por um preço altíssimo e foram deixadas sem uso estocadas em almoxarifados por nove anos, quando a empresa, já no governo Lula, teve que utilizá-las por causa do aumento do consumo de energia elétrica do período de forte crescimento do PIB . A empresa que realizou a venda foi a já conhecida dos tucanos ALSTOM, acusada de pagar propinas a políticos do PSDB de São Paulo no escândalo conhecido como “Metrolão tucano”

“Foram feitas compras de dezenas de turbinas para esse sistema emergencial termoelétrico, só que algumas dessas turbinas só vieram a ser usadas agora em 2010 (foram compradas em 2001, 2002). Então ficaram estocadas oito, nove anos. Foram compradas de emergência, pagou-se um valor gigante e foram para o almoxarifado. E isso nunca foi apurado….na época do Governo Fernando Henrique. Alstom que já é carimbada em muitos processos” afirmou o ex-diretor que ainda denunciou que a empresa pagava vantagens indevidas a diretores indicados no governo FHC.

O fato demonstra mais uma vez que a corrupção na Petrobras é endêmica e já funcionava a todo vapor no governo FHC, que criou medida para facilitá-la. Demonstra também a má vontade do juiz Moro, procuradores e delegados envolvidos na operação lava-jato de investigar o período em que o PSDB dava as cartas na companhia.

Citações são ignoradas, não são pedidas diligências para apurar crimes relatados. Imagino que deve rolar um constrangimento dos responsáveis pela investigação quando atores políticos fora do alvo partidário são citados.

Relembrando o caso do depoimento de Leonardo Meirelles, laranja de Youssef que afirmou que o doleiro prestava serviços de evasão de divisas para integrantes do PSDB, que em depoimento quis revelar nome de senador tucano do Paraná e foi impedido pelo Juiz Moro alegando que não poderia citar protegidos por foro privilegiado. O curioso que outros protegidos por foro privilegiado foram citados, tanto é que seus nomes foram encaminhados a PGR, mas o juiz não alegou o mesmo impedimento.

Além de mostrar a leniência dos condutores das investigações para elucidar crimes cometidos contra o patrimônio público no governo FHC e da grande mídia em informar, o caso mostra que a relação corrupta entre Alstom e políticos do PSDB vai muito além da compra de peças para o metrô em São Paulo, caso que permanece impune apesar de todas as provas obtidas pela justiça da Suiça, que chegou a protestar pela falta de interesse do Ministério Público de utilizar as informações repassadas a ele.

Relembramos ainda que o Procurador de SP, Rodrigo de Grandis ao ser confrontado com o fato que deixou parada investigação da corrupção do metrô de São Paulo por dois anos após o envio de informação pela justiça da Suiça, afirmou laconicamente que arquivou em pasta errada” e por isso não fez nada esse tempo todo. Um deboche e desmoralização total da instituição do Ministério Público Federal, que tem histórico de leniência e prevaricação na apuração de crimes envolvendo o PSDB.

Tornam-se mais cínicos os argumentos dos que insistem que a investigação da Petrobrás não deve chegar ao governo FHC.

Frias manipulou dinheiro no exterior com informações privilegiadas de Collor e FHC

otaviofriasMuito previsíveis as informações que barões da mídia estão na lista dos sonegadores do Swissleaks. A dúvida é se um dia viriam a público.

Com a exclusividade dos dados repassados pela ICIJ, o jornalista Fernando Rodrigues se portou com arrogância, tentou culpar o governo e proteger poderosos, mas agora acossado por vazamentos que conclui serem inevitáveis, resolve liberar a parte que atinge justamente veículos de mídia que estavam responsáveis pela “investigação” no Brasil.

Nesse post vamos nos atentar para a conta da família Frias, que e dona do conglomerado Folha/UOL, onde o jornalista trabalhou por anos e agora tem seu blog hospedado.

Apesar de não revelar o montante que os Frias enviaram para o Suiçalão, duas informações foram publicadas, muito provavelmente por descuido do jornalista, que revelam a relação espúria que Otávio Frias mantinha com os governos Collor e FHC.

Informação privilegiada nº 1

Fernando Rodrigues diz que a conta foi aberta em 1990, ano que foi realizado o confisco dos recursos de todos os brasileiros que estavam depositados em bancos brasileiros.

O jornalista não revelou o mês, o plano Collor, com o confisco aconteceu em março desse ano, parece que não atingiu o dono do império jornalístico, que espertamente enviou seu rico dinheiro para longe do apetite confiscatório que só atingiu pessoas comuns.

Tratando de salvar apenas sua pele, embora soubesse da informação a sonegou dos distintos leitores.

Informação privilegiada nº 2

Outra informação de enorme coincidência relatada por Fernando Rodrigues é o encerramento da conta: 1998.

Como todos sabem o governo FHC manteve até 1998 o Dólar ancorado para se reeleger, pouco tempo depois de se reeleger, no início de 1999, decidiu liberar o câmbio e o Dolar passou de próximo de um Real para quatro Reais numa estilingada.

Coincidência que Frias retirasse seus Dólares da Suiça justamente às vésperas da disparada do Dolar, tornando a conversão super lucrativa ou, mais uma vez passarinhos amigos o avisaram do “bom negócio”?

A Folha precisa se pronunciar rápido e reconhecer que seus donos foram beneficiados com informações privilegiadas e pedir desculpas pela família estar na lista do Suiçalão.