Category Archive : Pets e Natureza

Cães e gatos podem fazer exame de raio x

Como acontece com a medicina humana, a medicina veterinária tem crescido bem rápido em relação ao diagnóstico de doenças em cachorros e gatos, fornecendo descrições mais exatas e precisas sobre os problemas.

Entre todos os avanços, os exames de imagem são um dos maiores aliados. Continue lendo este conteúdo para saber como funciona e quais são as facilidades que o exame pode gerar tanto para o veterinário quanto para o seu pet!

Pode fazer exame de raio x em animais?

Graças ao advento da imagem, os veterinários têm tido uma melhor identificação do problema. Além de ter uma indicação mais assertiva do tratamento para que o cachorro ou gato possa se recuperar mais rápido.

Os vários exames que os cães e gatos podem fazer, tem os exames de radiologia, que englobam:

  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética,
  • Ultrassonografia;
  • Entre outros.

No entanto, o exame radiológico mais comum é a radiografia, também chamado de Exame de Raio X. Este é um dos maiores aliados para os pets, já que não é invasivo, é barato e útil para diagnosticar fraturas e lesões de órgãos internos.

Solicitando o exame de raio x

É preciso ter em mente que, com exceção do exame de displasia coxofemoral em cães (que não tem a obrigatoriedade de um pedido do veterinário), não é possível que o tutor solicite um exame de raio x para o pet, pois a função cabe apenas ao veterinário.

Mas, o tutor poderá ajudar, já que os cachorros e gatos não sabem falar quando estão com algum problema. Contudo, eles dão sinais que podem ser um indício de que estão com dor ou algum desconforto e, nesse caso, um exame de raio x pode ser útil.

Para tanto, é preciso ficar atento caso o pet dê os seguintes sinais:

  • Manca ao andar;
  • Dificuldade e dor ao levantar-se;
  • Sensação de dor quando o tutor toca alguma parte do corpo do animal;
  • Suspeita de ingestão de materiais indevidos;
  • Inchaço de alguma parte do corpo.

Em situações mais graves, como quando o pet é atropelado ou sofre algum outro tipo de acidente, é certo que o veterinário irá solicitar o raio x.

Quando solicitar o exame de raio x?

Ao notar que o seu cachorro ou gato apresenta um dos sinais citados acima, o ideal é levá-lo ao veterinário, para que ele atenda o seu pet e solicite o exame de raio x, caso seja necessário.

Vale lembrar que este exame será pedido por um médico veterinário, mas não há com o seu se preocupar. Pois, o raio é rápido, indolor e na maioria dos casos é capaz que esclarecer qual a patologia do animal.

Normalmente, após fazer uma consulta prévia, o veterinário irá solicitar um raio x se tiver suspeitas que o animal tenha:

  • Lesão muscular, óssea ou cartilaginosa;
  • Lesão em algum órgão interno;
  • Tumores nos órgãos e tumores ósseos;
  • Ingestão de algum material indevido.

Além disso, o veterinário também poderá pedir o raio x para a preparação cirúrgica e acompanhamento pós-operatório.

Vantagens do exame de raio x

Do mesmo modo como acontece na Medicina, a radiografia é um dos exames mais importantes para os veterinários. O raio x funciona como uma espécie de chave para completar o diagnóstico de uma série de patologias.

O exame de raio x em animais também oferece uma série de vantagens, tais como:

  • Permite diagnóstico mais precoce de diversas patologias, o que facilita a rápida intervenção do Médico Veterinário;
  • É indolor;
  • Não é invasivo (não precisa de corte);
  • Rápido resultado (geralmente em 24 horas, no máximo);
  • Por ser um exame rápido, causa pouco desconforto ao animal.

O que mostra o exame?

Após fazer o exame, o laboratório ou até o tutor enviará as imagens e um laudo assinado pelo responsável do laboratório, para indicar os resultados do exame. O veterinário irá receber os resultados, ler o laudo e analisar as imagens para buscar por:

  • Fraturas;
  • Luxações;
  • Ligamentos rompidos;
  • Corpos estranhos;
  • Tumores.

Junto com a análise clínica previamente feita, o veterinário irá tirar as suas conclusões e prescrever o melhor tratamento para que o cachorro ou gato possa ter uma melhora mais eficiente.

Radiografias mais comuns solicitadas pelo veterinário

Existem diversas regiões do corpo de cães e gatos que são radiografadas mais frequentemente. Veja logo abaixo quais são as partes do corpo desses animais que necessitam de ser observadas com mais detalhes quando lesadas ou alteradas e que podem ser observadas através dos exames de imagem!

Abdômen

Embora seu estudo seja limitado por este meio, há algumas aplicações essenciais para o raio x na análise do Abdômen dos animais. Na maioria das vezes, é solicitado para a pesquisa de corpos estranhos ingeridos por cães ou gatos, mas também podem solicitar este exame nos casos abaixo:

  • Contagem do número de fetos a partir do 45° dia de gestação;
  • Avaliação do grau de retenção fecal;
  • Avaliação do trânsito gastrointestinal através da administração via oral de contraste radiográfico;
  • Pesquisa de cálculos urinários radiopacos;
  • Diagnóstico de ruptura de bexiga através da administração de contraste via sonda uretral.

Tórax

Normalmente solicita-se esse exame para observar:

  • Silhueta cardíaca;
  • Pulmões;
  • Traqueia;
  • Esôfago torácicos;
  • Diafragma.

Coluna vertebral

É possível obter melhores resultados ao fazer o exame quando o animal está mais relaxado. O raio x da coluna vertebral permite visualizar as partes ósseas do animal e é importante para detectar lesões da coluna e mostrar os segmentos:

  • Cervical;
  • Cervicotorácico;
  • Toracolombar;
  • Lombossacro;
  • Vértebras caudais.

Membros torácicos e pélvicos

Essa análise mostra ao veterinário com mais detalhes as porções ósseas dos membros, assim como os tecidos moles que as compõe.

Quadril, Pelve ou Coxal

Este tipo de raio x é ideal para diagnosticar a displasia coxofemoral, além da avaliar fraturas e luxações. Vale ressaltar que para fazer um laudo oficial para displasia coxofemoral, é preciso que o animal esteja sedado/anestesiado e tenha mais de um ano de vida.

Crânio

Através dos exames de imagem, a análise do crânio não é muito ampla. Mas, é crucial para avaliar melhor a dentição, das articulações temporomandibulares (ATMs), da integridade dos ossos que compõe a cavidade nasal e os seios da face.

Conclusão

Como você pôde ver, os pets não só podem fazer exame de raio x, como também é essencial para diagnosticar diversos problemas. E caso você tenha gostado deste conteúdo, não esqueça de compartilhar com outros tutores que também têm essa mesma dúvida!

Aves domésticas – Quais os pássaros para se ter em casa e dicas de cuidado

Quando falamos de animais domésticos automaticamente boa parte das pessoas pensam em cachorros e gatos, porém, caso você não se encaixe nesse padrão e tenha o desejo de possuir um pássaro doméstico, saiba que é sim possível! Entretanto, as aves são animais muito diferentes dos cães e gatos, possuem personalidades e necessitam de cuidados mais especiais, sendo importante que antes de você adquirir sua ave tenha um conhecimento sobre a espécie em especifico que irá se tornar sua companhia e como cuidar da mesma. Confira neste artigo um pouco mais sobre quais os pássaros são permitidos para você ter em sua residência e dicas de cuidado para com o mesmo.

Quais são as aves domésticas?

Antes de tudo, é necessário ter o conhecimento de que apenas algumas aves são liberadas pelo Ibama, sendo de extrema importância possuir o conhecimento se a espécie de ave que você deseja possui o aval para criação doméstica e você não está contribuindo para um comércio ilegal.

Algumas aves como araras, papagaios e cacatuas muito populares quando o assunto são pássaros domésticos ainda necessitam de uma documentação especifica emitida por órgãos responsáveis afim de possibilitar um rastreio dos mesmos. Por outro ponto existem outras espécies de pássaros que estão numa lista chamada “lista pet”, e estes não necessitam de uma documentação como os anteriores, nessa lista são listados pássaros como: calopsita, canário belga e periquito por exemplo.

Sem mais delongas confira uma lista com as aves domésticas mais comuns e suas principais características:

Araras

Como mencionado, a arara é uma espécie silvestre que pode ser criada em casa por meio de um registro; é importante ressaltar que apenas a arara vermelha e arara canindé são autorizadas. A arara é um animal de grande porte, sendo importante que você possua um viveiro para a criação da mesma visando um bem estar do animal; a arara é dócil, ao crescer com seres humanos demonstram confiança e carinho para com os mesmos, não gostam de viver sozinhas, vivem aproximadamente 50 anos e necessitam de bastante água.

Papagaios

Um dos queridinhos dos criadores de aves domésticas, os papagaios também necessitam de registro. Os papagaios são característicos por sua inteligência e personalidade divertida, como são aves altamente sociáveis é importante que sua gaiola seja estrategicamente posicionada em um local com um maior fluxo de pessoas, uma vez em que isso irá facilitar uma melhor interação com o animal e não o deixará estressado pela solidão.

Cacatua

A cacatua assim como o papagaio é um pássaro muito extrovertido, divertido e que busca interação o tempo inteiro, caso você esteja procurando por um animal mais calmo e tranquilo a cacatua e o papagaio não serão uma opção. A cacatua é uma ótima companhia, está sempre em busca de carinho e atenção e uma de suas características mais impressionante é que a mesma pode ser adestrada e aprender a abrir portas e segurar objetos, a cacatua pode viver solta dentro de sua residência e alcançar até os 60 anos de idade, sendo importante que caso tenha interesse por este animal adeque sua residência pensando no bem estar e também segurança do pet.

Calopsita

Uma espécie de irmã mais nova da cacatua a calopsita possui características parecidas, tanto na aparência com sua crista no topo da cabeça ou na personalidade como animais dóceis e que buscam por atenção boa parte do tempo. A calopsita é um pet dócil e amigável, quando adestradas podem aprender algumas frases e também assobiar, pode viver livre pela casa, porém, em alguns casos será necessário que as asas sejam cortadas para evitar fugas, tal procedimento deve ser feito apenas por um veterinário com autorização! A calopsita é um animal muito afetuoso e não gosta de passar tempo sozinho, uma dica na hora da compra é adquirir um casal para que possam estar em companhia nos tempos em que a casa estiver vazia.

Periquito

O periquito é o queridinho quando o assunto é uma ave doméstica de fácil convivência com crianças, o periquito possui uma personalidade mais agitada e divertida, gosta de atenção e socializar, está o tempo inteiro pulando pelos cantos da casa e também de um bom carinho. Apesar de poder viver solto pela residência é importante que ele tenha uma gaiola tendo assim um espaço mais tranquilo na hora de dormir; assim como a calopsita o periquito não gosta de estar sozinho, sendo ideal adquirir um casal.

Qual é o pássaro mais fácil de criar?

Se você está em duvida sobre qual o pássaro será o mais fácil de criar ou qual espécie melhor irá se adaptar em sua casa então deverá analisar bem o seu ambiente e também o tempo que você possui para dedicar ao animal.

Por mais que pássaros seja animais considerados “pequenos” eles ainda necessitam de espaço, seja um bom viveiro ou uma gaiola grande e bem cuidada, o primeiro ponto é analisar quanto espaço você terá disponível para o animal.

Por segundo, veja quais são as características da espécie em questão que irá adquirir, lembre-se que alguns pássaros como cacatuas, periquitos e calopsitas necessitam de atenção humana e gostam da socialização, então, se você mora sozinho e passa boa parte do tempo fora de casa tais espécies podem não ser uma boa ideia.

Pássaros são animais que podem chegar até os 60 anos de vida, ou seja, você deverá dedicar tempo, atenção e cuidado nos mais diversos campos durante a vida de seu pet, sendo importante que você seja responsável e realmente esteja pronto para a companhia de uma ave durante toda ou boa parte de sua vida.

Cuidados com aves domésticas

Gaiola

A gaiola de seu pássaro deverá ser a maior que você conseguir comprar, por ser o “lar” de seu pet a gaiola também é uma questão de qualidade de vida para o animal, sendo importante que a mesma tenha espaço suficiente para que o animal possa andar, pular, abrir as asas, etc.

Telas de proteção

Para aves que podem ficar mais livres e soltas dentro de casa adquirir telas de proteção para janelas e varandas é de extrema importância, tanto para a segurança tanto para não correr o risco de perder o animal.

Local da gaiola

É indicado que a gaiola seja posicionada de forma estratégica na residência, de preferência a locais: sem mudanças drásticas de temperatura, longe de barulhos muito altos, longe de odores fortes e próximo da família onde o pássaro possa socializar.

Brinquedos

Diferentes espécies gostam de interagir com diferentes tipos de brinquedos, verifique os mais recomendados para o seu pássaro em questão; pássaros gostam de itens que os mantenham entretidos e estimulados, escadas, cordas, e pequenas bolas são ótimas opções.

Além dessas dicas mais gerais é claro que cada ave possui características em cuidados específicos que devem ser adequados conforme seus gostos, diferentes tipos de alimentação, diferentes necessidades a água, entre outros. Por isso a pesquisa antes de adquirir uma ave doméstica é de extrema importância.

O que fazer para melhorar o meio ambiente?

A proteção do meio ambiente depende da participação de toda a sociedade. Deve se tornar o foco do governo e dos cidadãos.

Além de investir em educação para conscientizar sobre a importância do cuidado com o meio ambiente, o governo também deve formular políticas públicas de proteção ao meio ambiente.

Da mesma forma, todos os cidadãos devem estar atentos às suas atitudes e saber que é necessário estar atento às pequenas ações, que juntas podem fazer uma grande diferença. Agora aprenda sobre as medidas simples que podem ser usadas com o objetivo de proteger o meio ambiente.

Além das dicas desse artigo, é fundamental que você faça um Curso Online com Certificado de gestão ambiental.

1. Economizar água

A água é um recurso natural e se esgota se não for economizada, principalmente a água potável, que representa apenas 3% de todos os recursos hídricos do planeta.

Medidas simples podem ser muito eficazes na redução do consumo de água, na proteção dos recursos básicos da vida e na proteção do meio ambiente.

Para reduzir o consumo de água, você pode tomar as seguintes medidas: diminuir o tempo do banho e não abrir a torneira ao escovar os dentes e lavar a louça. A água da chuva e a água utilizada nas máquinas de lavar também podem ser coletadas e reaproveitadas.

2. Não jogar lixo na rua

Jogar lixo na rua é uma prática que causa grandes danos ao meio ambiente.

Além de espalhar lixo nas cidades, o lixo jogado nas ruas também vai se acumular em esgotos e canos. Portanto, quando chove, aumenta o risco de inundações, pois a água da chuva deve ser descarregada por essas saídas.

Além de poluir as fontes de água, o lixo deixado nas ruas também pode ser despejado em rios, córregos, oceanos e fontes de água, causando a morte de peixes e outros animais. Além disso, também pode causar a proliferação de camundongos e outros animais que podem transmitir doenças ao homem, como leptospirose e hantavírus.

Para evitar esse problema, procure armazenar o lixo no local onde é processado, em local adequado, de forma a não causar maiores danos ao meio ambiente.

3. Diminuir o uso do carro

Como o gás poluente liberado pela combustão do combustível é principalmente dióxido de carbono, a circulação de automóveis tem grande impacto na poluição do ar.

A emissão dos gases poluentes tem grande impacto no aquecimento global e no aumento do efeito estufa, por conta disso a emissão deve ser reduzida ao máximo. Encontrar maneiras de reduzir o uso do carro é uma forma eficaz de ajudar a reduzir a poluição do ar.

Algumas alternativas são: maior utilização dos serviços de transporte público, a pé ou de bicicleta, e participação em sistemas de caronas.

4. Usar menos plástico

O uso excessivo de plásticos vem sendo um problema que precisa ser controlado para reduzir o impacto ambiental, pois o processo de decomposição desse material é muito lento. Os plásticos deixados na natureza podem levar de 200 a 400 anos para se decompor, dependendo do tipo de material usado em sua composição.

Além disso, o plástico atingindo o oceano, oceano ou rio causou a morte de milhares de animais marinhos, agravando ainda mais o desequilíbrio desse ecossistema.

Para reduzir o uso de plástico, você pode evitar a compra de produtos vendidos em embalagens plásticas e sacolas plásticas em vez de usar canudos, talheres e pratos plásticos.

Você também pode adquirir o hábito de usar sacolas de tecido ou outros materiais recicláveis ​​duráveis ​​que podem ser usados ​​repetidamente.

5. Comprar menos e consertar mais

Uma forma de proteger o meio ambiente é que as pessoas busquem evitar compras que são desnecessárias, como, por exemplo, produtos eletrônicos. Itens que não são mais úteis ou considerados obsoletos, se descartados, aumentam ainda mais a quantidade de resíduos gerados. Além dos plásticos, os produtos químicos e tóxicos presentes nesses produtos também podem causar danos ao meio ambiente.

Quanto mais você compra, mais lixo é produzido e mais empresas e indústrias produzem. Portanto, o consumo excessivo não é apenas a razão do aumento da quantidade de lixo na terra, mas também a razão do aumento da poluição da produção e das emissões das fábricas.

Para evitar despejar mais resíduos no meio ambiente, um importante lembrete é: Antes de comprar um produto, verifique se é possível consertar os itens que você já possui.

6. Separar o lixo

A separação do lixo é uma das maneiras mais simples e eficazes de ajudar a proteger o meio ambiente. A maneira mais fácil é separar os resíduos orgânicos (resíduos alimentares) dos recicláveis.

Para dar mais ajuda, ainda é possível separar diferentes tipos de resíduos recicláveis: vidro, papel e papelão, embalagens, plásticos, etc. A separação dos resíduos recicláveis ​​é uma forma de facilitar a coleta seletiva. Os resíduos são separados, embalados e encaminhados para empresas que convertem esse material em novos produtos.

Além de ajudar a proteger o meio ambiente, a reciclagem de resíduos também ajuda a criar empregos para pessoas que estão empenhadas em transformar esses resíduos em matéria-prima para a fabricação de novos produtos.

O lixo orgânico pode ser reaproveitado em um processo que chamamos de compostagem, que converte o lixo orgânico em fertilizante.

7. Diminuir o consumo de energia elétrica

Além de ajudar a economizar nas contas mensais, a redução do consumo de energia elétrica também ajuda a proteger o meio ambiente.

O uso da eletricidade também pode ser trocado por outras fontes de energia que são  ​​mais sustentáveis. Como, por exemplo, é a energia solar, conhecida como energia limpa, que pode ser usada em residências, escolas e prédios públicos. Por isso, é necessário instalar painéis solares para captar a energia solar e convertê-la em energia elétrica.

Existem outras formas alternativas de uso da eletricidade, como a energia eólica (do vento) e a energia hidrelétrica (da água).

Por fim, mas não menos importante, é muito importante que se você deseja aprender mais sobre meio ambiente que você faça  Cursos Online de meio ambiente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.