Category Archive : Negócios e Política

Aquisição de empresas: como funciona? Quais são as vantagens e desvantagens?

O ano de tem registrado um período recorde de fusões e aquisições de empresas no Brasil, como apontou reportagem da Forbes. Segundo matéria do Monitor Mercantil, houve um aumento de 26% no número de transações em relação a 2021

Estudos publicados no PWC Brasil  indicam que, nos últimos anos, houve algumas mudanças no comportamento do consumidor que resultaram em um maior volume desses tipos de operações. 

Um dos principais motivos para a alta atividade de aquisição de empresas foi a alteração de portfólio corporativo com interesse em empresas de private equity (PE).

Por isso, é necessário entender melhor o que é aquisição de empresas e suas vantagens e desvantagens, assim como acompanhar as grandes operações realizadas no mercado recentemente. Quer saber mais? Continue a leitura e informe-se!

O que é aquisição de empresas?

O termo em inglês para fusões e aquisições é M&A (Mergers and Acquisitions). Já ouviu falar dele? Ele representa o maior tipo de operação realizada mundialmente: o de compra total ou parcial ou concentração corporativa.

Para ficar mais claro, ao longo deste texto, vamos explicar melhor esses dois conceitos, focando na aquisição de empresas e exemplos reais desse tipo de transação.

A aquisição de empresas significa exatamente ao que se refere o nome: quando uma companhia compra a outra.

Ela pode acontecer de três maneiras:

  • aquisição total: de 100% do capital votante, de toda a sociedade corporativa;
  • aquisição parcial: de 10 a 49% do capital votante;
  • aquisição de controle: mais de 50% da participação societária.

Quando há a aquisição total de outra empresa, normalmente de menor porte, há o desaparecimento legal da companhia adquirida. O que ocasiona, portanto, um investimento mais alto e um longo e complexo processo de integração.

Porém, a companhia comprada pode operar de modo independente, com maior ou menor grau dessa integração. Ela pode ou não permanecer, mas está sob nova direção.

Na aquisição não há formação de uma nova empresa. A compradora mantém sua identidade e obtém os direitos e as obrigações da organização comprada.

Há diversos motivos para comprar e vender empresas, como a intenção de expansão no mercado, mudança de portfólio, aposentadoria, entre outros.

Por isso, há ainda três classificações:

  1. horizontal: a empresa comprada fornece produtos ou serviços similares aos produzidos pela compradora;
  2. vertical: quando a companhia adquirida está à frente ou atrás na cadeia de valor;
  3. conglomerada: a organização comprada atua em um segmento diferente.

Independentemente do porte e da área de atuação do negócio, todos esses tipos de aquisição podem acontecer. Isso varia de acordo com a intenção do vendedor e do comprador.

Diferença entre fusão e aquisição de empresas

Para entender melhor o conceito de aquisição de empresas, vamos compará-lo ao de fusão e ver em quais pontos eles se diferem.

No processo de fusão as duas empresas são extintas para a formação de uma terceira empresa, com quadro societário diferente. Logo, o ato de comprar uma outra empresa é para somar forças, conhecimento e potencialidades de negócio.

Na fusão, ao contrário da aquisição de empresas, há uma reorganização corporativa para que ambas atuem juntas no mesmo mercado. 

Alguns exemplos de fusão no Brasil são a da Sadia com a Perdigão que originou a Brasil Foods (BRF) e a do Itaú com o Unibanco que formou o Itaú Unibanco.

Aquisição de empresas: vantagens e desvantagens

Há muitas vantagens na aquisição de empresas em funcionamento. A principal delas é a possibilidade de expansão e maiores chances de sucesso de forma mais fácil e rápida, sem perder eficiência durante o processo de crescimento.

Outro benefício é o menor risco. Pois a empresa comprada está consolidada no mercado e possui seus clientes, fornecedores, parceiros e colaboradores. Ela já está pronta e precisa apenas de um gás para ampliar e otimizar suas operações.

Mais uma vantagem da aquisição de empresas é a possibilidade de aumentar a competitividade de ambas, ganhando poder de barganha com fornecedores, e a diversificação de produtos e serviços.

Veja mais vantagens:

  • ganho de escopo e escalabilidade;
  • compartilhamento de recursos, tecnologias e processos operacionais;
  • consolidação da marca no mercado;
  • união da carteira de clientes e de parceiros;
  • superação de crises;
  • aumento da receita;
  • redução de gastos e desperdícios;
  • maior facilidade na obtenção de empréstimos;
  • diversificação geográfica;
  • aquisição de tecnologias e patentes.

Porém, há também alguns cuidados que deve-se tomar ao adquirir empresas em funcionamento. Entenda melhor abaixo as desvantagens de aquisição de empresas.

  • Processo longo e complexo de integração das empresas e alinhamento operacional.
  • Possibilidade de resistência dos colaboradores com a nova gestão e direção.
  • Queda de produtividade enquanto as mudanças são implementadas.
  • Perda de força da marca no começo da transição.
  • Valor maior de investimento.

Devido a essas possíveis desvantagens, é necessário estudar e planejar a compra e venda de empresas. Pergunte-se, por exemplo, se a aquisição está alinhada com a estratégia da companhia e qual a probabilidade de crescimento com essa compra.

Para evitar os problemas da aquisição de empresas, é indicado contratar um assessor especializado em M&A para que realize todo o processo de forma mais profissional e eficiente, calculando o valuation ideal para ninguém perder dinheiro na transação.

Exemplos de aquisição de empresas

Para finalizar nosso texto, separamos aqui alguns exemplos reais desse tipo de transação, que mostram que ela é bastante comum no mercado brasileiro e mundial:

Percebeu que a aquisição de empresas é uma prática rotineira no mercado, não é mesmo? Por isso, precisa-se contar com profissionais experientes e especializados em fusão, aquisição e valuation para tornar o processo mais transparente, seguro e rentável para ambos os lados.

Fonte: Capital Invest, consultoria com quase 20 anos de experiência em assessoramento financeiro em compra, venda e avaliação de empresas.

Magento Commerce pode te ajudar a surfar o melhor momento da internet

Se você quer começar um negócio novo e empreender, certamente o ecommerce deve ser uma boa opção. Aliás, isso também serve para quem já tem uma empresa e precisa se reinventar.

Os empreendedores brasileiros, bem como de qualquer outra parte do mundo, se deparam com uma encruzilhada no mundo atual. Para eles, é necessário decidir qual será o modelo de negócio a ser adotado: online ou tradicional. No entanto, independentemente da opção, sempre haverá um braço da empresa que atua na internet. Sendo assim, a utilização de plataformas como a famosa Magento Commerce se torna algo quase indispensável.

No caso da Magento Commerce, se trata de uma ferramenta operacional para colocar uma ecommerce à disposição dos clientes. Em outras palavras, ela é um software de criação de comércios digitais completo. Isso significa que os empreendedores contam com todo o amparo necessário, desde a elaboração, criação, operação até chegar na venda final de produtos pela internet.

Investir na internet é um passo que todas as empresas devem dar em algum momento. O mundo está conectado e as relações financeiras e de consumo também estão.  Os dados mais atualizados sobre o assunto apontam para tendência de alta no mercado de ecommerce.

CEO da Adobe diz que mercado digital deve ficar mais forte

Se você achava que o comércio digital já tinha atingido o seu ápice, saiba que os especialistas no assunto preveem alta contínua. O CEO da Adobe, Shantanu Narain, disse a Jim Kramer na CNBC que os preços do comércio digital apresentaram queda recente, mas que isso é apenas a base de uma explosão de vendas que o futuro reserva.

“Quando você olha para o custo total, bem como para a economia geral, onde pode haver um pouco mais de preocupação, o que realmente acontece é que você vê algumas quedas de preços em itens como eletrônicos ou coisas que acontecem com jogos […]. Nada vai mudar no que diz respeito às pessoas dizendo: ‘Quero fazer um post digital, provavelmente quero comprar digital e capturar fisicamente a coisa multicanal’”, disse Narain durante a entrevista.

Ecommerce deve representar 52% das vendas; Magento Commerce pode ajudar

Se você está pensando em abrir uma loja online ou ingressar no meio digital para empreender, saiba que está coberto de razão. A Magento Commerce oferece soluções que podem atender todos os segmentos do comércio digital (B2B, B2C, C2B , entre outros). Todos os nichos online devem ser responsáveis por cerca de 52% das receitas até 2024, ou seja, até daqui 2 anos.

A previsão foi passada pela Salesforce, empresa tecnológica multinacional líder em Customer Relationship Management (CRM). Segundo a pesquisa, a expansão dos meios digitais vem apenas para atender a demanda atual dos próprios consumidores.

Em resumo, investir em um negócio voltado para o e-commerce, seja por meio da Magento Commerce ou se outras plataformas, vale a pena. O ideal é buscar por amparo de intermediadores que possam executar a proposta e as ideias por meio das ferramentas de criação.

Contratar um funcionário para a administração do condomínio: o que avaliar

Em todo o setor de serviços, ainda mais do que no setor industrial, o capital humano é de fundamental importância para ter sucesso e prestar um bom serviço.

Isso é ainda mais verdadeiro no mundo da gestão de condomínios que, por sua natureza, se baseia nas relações humanas que se estabelecem com clientes, fornecedores e todos os stakeholders que gravitam em torno de qualquer estúdio que você queira tomar como exemplo.

Infelizmente, encontrar recursos humanos adequados não é nada fácil e as razões são bastante evidentes. Aqui estão os principais:

  1. não há escolas que formem futuros funcionários de estudos administrativos;
  2. nem todas as pessoas são capazes de suportar as tensões decorrentes deste trabalho;
  3. as margens de um estudo não são de molde a garantir altos salários;
  4. as perspectivas de carreira são limitadas devido ao tamanho médio dos estudos que geralmente são pequenos; estudos de caso que crescem significativamente ao longo do tempo são muito raros.

Uma única motivação aleatória dentre as listadas acima já seria suficiente para nos fazer entender que o caminho para encontrar um funcionário no qual decidir investir é árduo.

Erros frequentes

Frequentemente em estudos administrativos:

  • é forte a presença de parentes “emprestados” à profissão (há ótimos exemplos de excelentes estudos de família, mas isso porque nesses casos a escolha da profissão é um foco e não um retrocesso);
  • pessoas boas são frequentemente contratadas, mas com pouco potencial;
  • os funcionários/colaboradores foram escolhidos sem análise prévia adequada;
  • os funcionários/colaboradores não são devidamente treinados;
  • excelentes funcionários/colaboradores não conseguem expressar plenamente seu potencial devido à falta de concessão de autonomia decisória e/ou operacional;
  • empregados/colaboradores são muitas vezes incompatíveis e ocupam funções que não são adequadas para eles;
  • muitos funcionários/colaboradores são contratados na tentativa de compensar a desorganização.

Outra dinâmica frequente é a contratação de recursos humanos que “cheiram a condomínio”, ou seja, pessoas que já trabalharam em pelo menos um outro escritório administrativo; acredita-se que isso seja suficiente para definir a adequação dessa pessoa para desempenhar um papel em seu estudo, mas não é bem assim.

Que papel você desempenhou no estudo anterior? Que áreas do trabalho você conseguiu abordar de forma independente? Aprendeu, mesmo de forma independente, a operar de forma transversal ou fez sempre a mesma coisa durante toda a duração da relação de trabalho, como inserir os pagamentos dos condomínios na contabilidade?

Estratégia de contratação

Se você contratar uma pessoa, estará se colocando em grande risco.

Claro, também poderia ser um grande sucesso potencial, mas a experiência me leva a dizer que a primeira afirmação é a mais provável; no entanto, os riscos podem ser reduzidos, até muito, implementando uma estratégia trivial, mas exigente, baseada nestes passos simples:

  1. Publique anúncios também em ambientes relacionados ao seu trabalho, indique a função que o escolhido terá que preencher e destaque todos os aspectos negativos do trabalho; se forem poucos, invente novos para desencorajar os desperdiçadores de tempo e fazer uma seleção mais filtrada;
  2. Após conhecer os candidatos mais motivados, desencoraje-os novamente e tente capturar as reações que eles mostram; talvez você não consiga interpretá-los ao nível cognitivo, mas seu sexto sentido registrará tudo e no momento certo lhe dará a sugestão certa para sua escolha;
  3. Explique a eles que o trabalho e o ritmo serão muito árduos, mas que aqueles que sobreviverem terão oportunidades de carreira no estúdio.
  4. Embora você já o tenha indicado no anúncio, descreve muito bem o papel que o escolhido irá desempenhar e explique bem qual é o perímetro em que ele poderá se deslocar e quais expectativas você deposita naquele que terá a honra de fazer parte de sua equipe; pergunte se eles se sentem preparados para desempenhar esse papel e por qual motivo;
  5. Dê-lhes um questionário com pelo menos 80/100 perguntas que exigem respostas múltiplas e respostas abertas; as perguntas devem abranger principalmente o tema relacionado com as competências que procura, mas também é aconselhável acrescentar alguns conhecimentos gerais, utilização do computador, software mais popular e, obviamente, alguns relacionados com a pessoa, expectativas, atitudes, etc.;
  6. Se nem todos fugirem e você se deparar com pelo menos dois candidatos, marque outra entrevista que lhe dará uma ideia mais clara de quem está na sua frente. Tente entender quais são as expectativas dele e o que ele está disposto a fazer para ajudá-lo. Que ideias de desenvolvimento ele tem e que experiência ele trará para seus futuros colegas em potencial. Se possível , faça esta entrevista com outra pessoa de sua confiança (esposa, marido, braço direito, parceiro, contador, advogado, amigo, etc.) apenas para se confrontar logo em seguida e compartilhar suas impressões imediatamente;

Atribuição de funções

Às vezes acontece que o novo recurso é contratado para servir de paliativo, ou seja, para preencher uma ausência, seja temporária ou permanente. Os tapa-buracos, não são avaliados de forma séria e criteriosa.

Cada recurso humano envolvido deve ser usado da melhor forma, de acordo com habilidades e atitudes, tanto para dignificá-lo e fazê-lo sentir-se útil, quanto para obter o máximo de benefícios em termos de eficácia e eficiência. Além do mais, existe um tempo de adaptação para os novos funcionários para entender as regras dos condomínios, horários, lei do silêncio em condomínio, obras e entender a gestão. 

O mais importante de tudo não são as habilidades, mas a predisposição de uma pessoa para realizar uma tarefa específica; habilidades são adquiridas, predisposição e aptidões não são.

Isso deve fazer você entender que você também pode ter uma equipe bem equilibrada, capaz de cobrir todas as áreas do campo, apenas para ficar na metáfora do treinador, mas que talvez você esteja usando um defensor no ataque ou vice-versa. Todos os jogadores de futebol sabem dar dois arremessos com a bola, assim como todos os funcionários do estúdio sabem enviar um e-mail (isso pode não ser verdade). Mas o que acontece quando as coisas ficam sérias?

Fazer com que todos os funcionários façam um teste de psico aptidão pode ajudá-lo a entender como, gradualmente, atribuir funções mais compatíveis com os recursos humanos que você possui. Eu sei que pode ser muito desafiador, mas imagine como seria obter mais eficácia e maior eficiência do seu estúdio com um retorno significativamente maior do que hoje.

Hoje seu estúdio pode ser comparado a uma série de engrenagens em uma máquina que não se encaixam perfeitamente; a máquina funciona, de alguma forma, mas de vez em quando congela, retardando o trabalho e produzindo custos ocultos que não são cuidadosamente avaliados.

Benefícios do SEO para minha empresa

Hoje, toda empresa precisa começar sua presença na internet. Nem sempre é fácil, tendo em vista a grande quantidade de desafios que existem. O dia a dia de um negócio é repleto de novidades, problemas que devem ser resolvidos e por isso muitos buscam otimizar processos ao máximo.

Uma das maneiras de realizar tal processo é utilizando o SEO. Sua empresa pode se beneficiar muito com essa estratégia já que, em uma, ela visa aumentar a quantidade de pessoas que visita e conhece sua marca na web. É uma das grandes vantagens que são associadas à tecnologia e a web.

De toda forma, se ainda não começou a usufruir desse recurso, saiba que está perdendo tempo! 

Com a grande quantidade de informações que existem na web hoje, é fácil aprender a realizar SEO. Além disso, pode contar com diversos profissionais para certas ações. 

Aqui iremos mencionar os benefícios do SEO para sua empresa e porque você deve contratar uma agência especializada em SEO, acompanhe!

O marketing e o SEO

Hoje o marketing digital é o grande diferencial de qualquer empresa. Quanto mais ele se desenvolve, mais fica claro a necessidade de manter ele vivo no mercado. 

O SEO é uma ferramenta que ajuda muito nesse processo, visto que ele serve para ajudar na divulgação de sua empresa.

Quando falamos em marketing na web, o que passa pela sua mente em primeiro plano? Redes sociais? O Google? Pois é, esses locais são controlados por algoritmos que o SEO pode lidar muito bem. Em outras palavras, todo o marketing começa a partir de simples ações nesse meio.

Mas que tipos de ação? O que é importante realizar para ter uma boa otimização? É exatamente sobre isso que iremos falar a seguir, além de mostrar os benefícios de cada ação que tomar para seu negócio? 

A verdade é que hoje, não é fácil separar o marketing digital do SEO!

Construindo a presença digital

A partir do momento em que decide colocar sua empresa no mercado, deve estar ciente da necessidade de criar o seu lado digital. Alguns empresários fazem esse processo de forma mais sutil, porém, em determinados há um grande movimento para essa estratégia.

Na verdade, essas marcas estão se preparando cada vez mais! O mundo está mudando, buscando uma inovação que tenha um lado mais tecnológico. Dito isso, é inevitável utilizar recursos como o marketing digital e o SEO.

Manter sua presença online é a principal vantagem de criar um bom SEO. Com um site ou blog bem estruturado nesse quesito, o mecanismo de busca terá facilidade em encontrar você na web, assim seus clientes ganham essa vantagem também!

Faça um blog

Quer uma boa dica para fortalecer sua otimização, faça um blog. Essa ferramenta, em si, já apresenta vantagens, mas apenas com a utilização da otimização para motores de busca que se torna possível ter vantagens mais visíveis.

Ela vai além da visita do usuário ao local. Quando está lendo algum artigo, vendo alguma imagem ou vídeo, ele também consegue notar a experiência que a empresa tem no ramo.

Dessa forma, há um fortalecimento no engajamento da empresa. É mais fácil comprar de uma marca que pareça séria, certo? 

Tenha um perfil nas redes sociais

Um perfil em qualquer rede social é interessante. No entanto, cada tipo de empresa se adequa a diferentes situações. Isso quer dizer que no final é possível ter um bom resultado em qualquer local, desde que tenha relação com que sua empresa trabalha.

Para quem gosta de lidar com o lado visual de produtos ou serviços, o Instagram é a melhor opção, por exemplo. 

Essa criação de perfil ajuda a fortalecer o SEO. Também é possível ter uma interação muito mais direta com seu público, gerando, sobretudo, empatia. É como se vocês fossem amigos, de fato!

Esteja sempre na primeira página

Claro, a vantagem mais clara é que você sempre estará na primeira página. Afinal, é assim que funciona o SEO. Ele irá ranquear as páginas de acordo com sua relevância e isso facilita muito o processo. 

Estando na primeira página, na primeira colocação para determinada pesquisa, seu número de visitantes irá aumentar bastante. E não estamos falando apenas de páginas de blog aqui, também entram na lista sites, e-commerces.

Lembre-se que a venda na web começa com a utilização correta do espaço. Sua presença digital é essencial para isso.

SEO para novas e velhas empresas

Há muitas vantagens em aplicar o SEO. Pequenas, médias e grandes empresas. Velhas ou novas marcas. Não importa! Hoje é muito importante que exista uma estratégia de SEO para seu negócio.

O preço a pagar não é alto e o recebimento é muito grande! Você terá ótimos retornos sobre investimento se investir em alguns pontos interessantes da otimização, como o uso do e-mail marketing.

É claro, é importante saber fazer uma boa estratégia para que os benefícios do Seo para sua empresa surtam os resultados esperados!

O que eu posso colocar no meu site: dicas para atrair clientes

Você está pensando em criar um site e está se perguntando o que eu posso colocar no meu site?

Se for o site da sua empresa, é importante deixar claro o que você faz, produtos e serviços que oferece, e por mais que tudo pareça muito óbvio para você, não é para seus clientes e muito menos para seus prospects.

Lembre-se que é seu site que vai convencer seus prospects a entrar em contato e fazer negócio com você.

Para te ajudar, vamos mostrar aqui elementos chave que devem fazer parte de um site, independentemente do seu setor!

O que eu posso colocar no meu site: o que não fazer?

Antes de saber o que eu posso colocar no meu site, saiba que uma das regras de ouro quando criamos um conteúdo para um site, é não copiar os concorrentes.

Embora seja bom saber o que seus concorrentes estão fazendo, a maneira como eles abordam as coisas, os argumentos que usam…você nunca deve copiar o conteúdo deles.

Como provavelmente o seu objetivo é usar todas as estratégias de como aparecer na primeira página do Google, saiba que o Google analisa e detecta os conteúdos parecidos e penaliza os sites que o fazem.

Se você for por esse caminho, estará correndo um grande risco de jamais ver seu site aparecer nas primeiras páginas de resultados.

Além disso, isso não é bom para seu negócio. Coloque-se no lugar de seu prospect em busca de uma empresa como a sua e que vai visitar um, dois, três sites que oferecem exatamente a mesma coisa.

Como ele vai escolher?

Cabe a você se diferenciar dos outros, e não apenas em relação ao preço, mas mostrar a sua expertise naquela atividade, os benefícios que a sua empresa tem a oferecer, de forma que os prospects se interessem em apenas alguns segundos.

Eles precisam saber que encontraram o profissional que compreende e atende às suas necessidades.

O que eu posso colocar no meu site: dicas para atrair clientes

Quais páginas devem aparecer no seu site para atrair clientes, gerar mais tráfego e vender mais?

É verdade que um site profissional bem estruturado é a sua vitrine, aberta 24/24h. No entanto, você deve criar páginas pertinentes para os visitantes do site e para subir na classificação do Google.

Nesse último ponto, para responder a pergunta sobre o que eu posso colocar no meu site, cada página do seu site é importante para posicionar seu site sobre palavras-chave associadas à sua atividade.

Dessa forma, ser mais visível nos mecanismos de pesquisa.

Para que seu site seja eficaz e para que ele gere mais contatos, pense em atualizar todas as informações, além de tornar seu site intuitivo e ergonômico para oferecer a melhor experiência ao usuário.

A navegação entre as páginas deve ser fácil e fluida, e que seus visitantes encontrem tudo o que precisam em apenas alguns cliques.

Lembrando também que para um site profissional, a qualidade do conteúdo é crucial, e cada página deve ter um objetivo bem preciso: apresentar seus produtos e serviços, fortalecer suas competências, levar o internauta a entrar em contato, etc.

O que eu posso colocar no meu site: quais as principais páginas?

Se você ainda está sem saber o que eu posso colocar no meu site, algumas páginas são fundamentais:

1.Home page

Essa página é como uma porta de entrada, tendo um papel determinante para dar uma boa impressão aos visitantes do site.

Ela deve mostrar ao internauta os produtos e serviços que você oferece, informações de contato e indicar claramente qual caminho seguir em direção a qualquer página do seu site.

Para isso, alguns elementos são indispensáveis:

  • O menu para navegar entre as páginas;
  • Sua logo;
  • Sua proposição de valor, que é o que permite aos seus clientes entender se o que você oferece atendem aos seus problemas;
  • CTAs para levar o internauta à ação;
  • Descrição de produtos e serviços;
  • Preços;
  • Informações de contato.

2.Páginas dos produtos e serviços

Essas páginas são muito importantes porque elas descrevem sua atividade e detalham seus diferentes produtos e serviços.

O objetivo aqui é fazer com que o visitante possa visualizar tudo rapidamente se os serviços e produtos propostos respondem à sua problemática.

Além disso, essas páginas representam um papel essencial para o SEO do seu site, porque elas servem para mostrar aos mecanismos de pesquisa qual é a sua atividade.

3.Uma página de apresentação

Sabia que essa é uma das páginas mais visitadas de um site?

Uma página de apresentação, também chamada de “Quem somos?”, é o que permite ao visitante perceber o lado humano da sua empresa.

Essa página inspira confiança e é um elemento determinante na tomada de decisão de um potencial cliente.

4.As páginas locais

As páginas locais são indispensáveis de você deseja ser bem posicionado localmente.

O SEO local é utilizado pelos motores de busca, como o Google, para apresentar resultados geograficamente pertinentes aos usuários.

5.Página de contato

São páginas estratégicas para atrair novos clientes e gerar demandas de contato da parte dos seus prospects.

Seja qual for a sua atividade, é por meio dessa página que os visitantes se decidem se vão entrar em contato ou não com você.

O formulário de contato deve ser adaptado à sua atividade e solicitar ao cliente potencial as informações que permitirão a você responder a sua pergunta.

Leia também: O que vender pela internet? 7 produtos que vendem muito

6.Artigos de blog

Ter um espaço de blog no seu site é uma excelente maneira de aparecer na primeira página do Google.

Ao postar conteúdo regularmente é ideal para que seus leitores conheçam a sua expertise e para melhorar o SEO em cima de palavras-chave pesquisadas pelos internautas.

Mais suas páginas de conteúdo são bem construídas, mais seu SEO melhora.

Todas essas ideias sobre o que eu posso colocar no meu site são essenciais para tornar seu site mais visível, atrair clientes potenciais e gerar mais vendas.

Caso encontre alguma dificuldade em colocar essas estratégias em prática, a dica é consultar uma agência de marketing digital para te orientar e aumentar suas chances de aparecer na primeira página do Google!

O que vender pela internet? 7 produtos que vendem muito

O que vender pela internet? O comércio eletrônico parece estar nadando contra a maré da recessão financeira. É o que mostra a Ebit, cujos números registraram um faturamento de 53,2 bilhões de reais no setor de e-commerce em 2018. Esse número é 12% maior do que em 2017.

Outro número interessante são as vendas por meio de dispositivos móveis, como celulares. Em 2019, 42,8% das compras pela internet no Brasil foram feitas dessa forma.

Todo esse crescimento comprova que a internet é um canal ideal para quem quer ganhar mais em tempos de crise econômica. Mas para se destacar na web, é preciso oferecer preços razoáveis, boas condições de pagamento, ótimo atendimento ao cliente e, claro, um bom mix de produtos e ideias de negócio.

Os produtos que mais vendem na internet nem sempre são os que mais movimentam. Curioso?

Por isso, nossa lista de mais vendidos na internet está organizada de duas formas: primeiro, pela ordem de vendas em cada setor; e segundo, pelo volume financeiro gerado pela categoria e Produtos para revender.

Se você está se perguntando como ganhar dinheiro na internet, a gente te explica: apesar das diferenças, todas as categorias podem ser rentáveis ​​e trazer bons resultados para o seu empreendedor se forem bem administradas.

1 O que vender pela internet: Moda

O que vender pela internet, você deve ter sido influenciado por lojas de roupas e/ou acessórios.

Ainda mais nas redes sociais, onde os anúncios de marcas de moda estão se espalhando a toda velocidade todos os dias. De fato, o nicho de moda é uma das principais categorias de produtos no mercado digital e possui bons canais de vendas na internet.

Aliás, de acordo com o sexto relatório NEOTRUST, a categoria mais vendida em 2020 é a de acessórios de moda, respondendo por 19,6% do faturamento total. Diversas opções de micronichos têm atraído a atenção de empreendedores em novos mercados, pois há vários caminhos a serem explorados.

Os principais pequenos nichos incluem: lingerie, plus size, streetwear, beachwear… e também se expande para outros produtos, como calçados e acessórios. Ou seja, não faltam opções de O que vender pela internet nesse nicho! Mas atenção: para O que vender pela internet, é preciso focar em apenas um nicho, ao invés de tentar abranger várias categorias de moda.

2 Produtos de Pet Shop

Você já deve ter notado que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a saúde de seus pets…

Esse interesse em agradar os animais de estimação aqueceu um mercado já em crescimento na internet: produtos para pet shops;

Segundo estimativas do Instituto Pet Brasil, esse segmento cresce a uma taxa anual de 7%.

Mesmo em meio à crise de 2020, as vendas de produtos para animais de estimação deram um salto…

De acordo com levantamento da Euromonitor International, o Brasil é o segundo maior mercado de suprimentos para animais de estimação do mundo, respondendo por 6,4% das vendas. O primeiro são os Estados Unidos, que respondem por 50% do mercado global.

Além disso, entre março e abril deste ano, o gerente de crescimento da Zee.Dog, Pedro Campos, disse ao Metropoles que o número de pedidos feitos pelo aplicativo aumentou 40%.

Isso sugere que o consumo via celular está crescendo (o que se tornou uma realidade para o e-commerce).

3 vendas de cosméticos

A revenda online de cosméticos é um ramo bastante promissor, principalmente para quem gosta de usar produtos de higiene pessoal.

Além de contar com a forte presença de telespectadores femininos na internet, essa categoria também é abraçada por muitos homens que gostam de cuidar da barba e do cabelo, por exemplo.

De acordo com o Webshoppers 41, o segmento de perfumaria e cosméticos teve um aumento de 30% na receita em 2019 e um aumento de 19% nos pedidos – um percentual em relação ao ano anterior.

Você deve ter se deparado com lojas de cosméticos no Instagram…

É uma rede social valiosa para quem vende maquiagem, pois as pessoas procuram dicas de beleza, tutoriais de maquiagem para o dia a dia ou para festas, passos de limpeza de pele…

Tudo isso faz parte do marketing de conteúdo, as ideias que viralizam nas redes sociais, permitindo que sua loja alcance um grande número de pessoas na internet.

4 produtos para casa e decoração

Esta categoria é interessante para O que vender pela internet porque é atrativa para suas próprias compras ou para presentear outras pessoas. O interessante dos utensílios domésticos é que eles são lançados com fotos bem nítidas e dimensões precisas, reduzindo o risco de não caberem no ambiente do comprador.

Os itens decorativos, por sua vez, devem ser enviados em embalagens reforçadas para evitar danos durante o transporte. Tomando esses cuidados, os empreendedores online têm boas chances de lidar com produtos que oferecem bons índices de vendas.

5 O que vender pela internet: Salão de Beleza

Cada vez mais pessoas e profissionais da indústria da beleza procuram produtos de beleza que possam ter em casa.

Produtos relacionados à vida saudável, responsabilidade social e sustentabilidade são um bom exemplo de uma subcategoria promissora.

Há um interesse crescente por questões que envolvem felicidade, saúde, questões ambientais…

Essa pode ser uma ótima oportunidade para O que vender pela internet seu produto na internet.

Isso porque você pode investir bem nessa área e se posicionar como um especialista no assunto, abordando-os dentro da sua marca.

Ou seja, você pode compartilhar seu conhecimento de estética com seu público no e-commerce.

Por exemplo, por meio do blog ou das redes sociais da sua marca, você pode criar conteúdos relevantes com dicas de beleza.

Uma dica é seguir as redes sociais de marcas conhecidas e também de influenciadores que falam sobre esse nicho, assim você pode ampliar seus conhecimentos e ficar por dentro de tudo que acontece nesse espaço.

O que é controle financeiro? 3 dicas de como administrar o seu dinheiro

Quando você descobrir o que é controle financeiro e como fazer um, a sua vida vai mudar. E para a melhor. Afinal, chega de dívidas ou dificuldade em criar uma reserva de emergência, não é mesmo?

Uma pesquisa feita pela Febraban constatou que 69% dos brasileiros gastam mais do que ganham ou conseguem apenas pagar suas contas, sem poupar dinheiro. O Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB) revelou que 6 em cada 10 alegam que o modo que cuidam da sua vida financeira não permite aproveitar a vida.

Ou seja, é preciso aprender a lidar com o dinheiro e saber qual a importância do controle financeiro para conquistar sonhos e objetivos.

Quer entender melhor para que serve o controle financeiro? Continue a leitura e aprenda, na prática, como organizar melhor as suas finanças.

O que é controle financeiro?

O controle financeiro é o ato de registrar, analisar e planejar o fluxo de receitas e despesas da família.

Isto é, ao adotar o hábito do controle das suas finanças, você entende exatamente de onde vem e para onde vai o seu dinheiro. E, ao adquirir esse conhecimento, sabe quais meses há um gasto maior ou menor, podendo se planejar com maior precisão para o futuro.

Logo, o controle financeiro é dinâmico e constante: ele precisa ser feito ao longo da sua vida e não apenas durante um ou dois meses.

Em resumo, explicamos o que é controle financeiro através de três hábitos essenciais:

  • registro de ganhos e custos mensais;
  • utilização do orçamento doméstico com maior eficiência e precisão;
  • consumo de forma mais consciente.

Para que serve o controle financeiro?

Você sabe o quanto gastou mês passado com gasolina? E com compras de mercado? Conhece os seus gastos fixos com moradia, transporte, alimentação, educação e saúde?

Ao entender o que é controle financeiro é possível perceber suas funções práticas. Até porque, você pode até achar que consegue memorizar todos os gastos, mas isso é simplesmente impossível.

Como comparar os valores de custo de vida de um mês para o outro? Como entender os itens que podem ser economizados? Como saber se é possível comprar um carro? Apenas com o controle das finanças.

A contabilidade real é completamente diferente da mental, baseada em achismos ou lembranças. Pequenos gastos diários são esquecidos e, portanto, não são calculados.

Confira os principais benefícios de adotar o controle financeiro na sua rotina:

  • entender a sua verdadeira realidade financeira;
  • conseguir planejar o futuro;
  • saber quais gastos podem ser mais econômicos e quais você precisa aumentar;
  • começar a poupar e a investir dinheiro;
  • conhecer o resultado financeiro mensal e anual.

Mas, o que é o resultado financeiro? É o desfecho do seu mês. Ele pode ter:

  • resultado deficitário: quando o total das despesas superam as receitas mensais;
  • resultado neutro: quando você consegue “fechar” as contas, mas não pode arcar com imprevistos ou investimentos;
  • resultado superavitário: quando o total das suas receitas é maior do que as suas despesas no mês, possibilitando a criação de uma reserva de emergência ou aplicação de dinheiro.

Qual a importância do controle financeiro?

Percebeu qual a importância do controle financeiro para ter uma vida mais compatível com a sua realidade, sem a necessidade de endividamentos? 

Se ainda está com alguma dúvida sobre todas as vantagens proporcionadas pelo acompanhamento das suas finanças, trouxemos mais alguns motivos para você começar a registrar seus ganhos e gastos agora mesmo.

Um deles é o fato de descobrir qual categoria de gastos demanda mais dinheiro. Por exemplo, você gasta mais com água, luz, compras de mercado, lazer ou educação?

A partir desse entendimento, você consegue visualizar quais hábitos podem ser mudados e quais são relevantes para o bem-estar de todos. O que é mais importante para você: gastar com compras de mercado ou lazer? O que pode ser reduzido no mercado para liberar mais dinheiro para viagens ou shows?

É importante compreender que economizar em uma categoria é diferente de poupar dinheiro. Economizar é encontrar formas de reduzir ou eliminar gastos. Poupar é guardar o dinheiro para usá-lo no futuro.

Logo, o controle financeiro possibilita que você faça uma alocação mais eficiente e racional da sua renda. E, dessa forma, aprenda como alocar seus recursos com mais planejamento, incluindo metas e objetivos a serem conquistados.

Como fazer o controle financeiro?

Depois de aprender o que é controle financeiro, vamos às dicas de como começar o seu? 

  • Crie suas categorias de despesas

As categorias variam de acordo com as suas necessidades. Evite usar termos genéricos para conseguir aumentar a precisão do seu registro e da sua análise no final do mês. Veja alguns exemplos de categorias:

  • de receitas: englobam o seu salário e outras formas de remuneração mensal, como férias, 13º, benefícios, trabalhos freelancers, renda de investimentos etc;
  • de reserva financeira: a quantia destinada às suas aplicações em poupança e renda fixa ou variável para aposentadoria, reserva de emergência, viagem, faculdade etc;
  • de despesas: aqui podem-se incluir também subcategorias, como moradia (aluguel, contas, IPTU e manutenção), alimentação (mercado, restaurantes e lanches), educação (cursos, livros, escola e faculdade), saúde (plano de saúde e farmácia), compras, internet, transporte, entre outras;
  • de empréstimos e financiamentos: é importante criar uma categoria apenas desse assunto para entender a origem e os valores das dívidas e prestações.
  • Entenda o seu fluxo de caixa pessoal

Após determinar as suas categorias, é a hora de começar a anotar cada receita e despesa de forma organizada e acessível.

Ao finalizar o período de anotações, é possível analisar o fluxo de caixa do mês. Ele é um demonstrativo de tudo o que foi gasto e recebido para entender o motivo do resultado financeiro.

É importante manter a constância e a disciplina nas anotações diárias. 

  • Faça seu orçamento pessoal ou familiar

Após conhecer a sua situação financeira, é possível desenvolver um plano de orçamento, incluindo metas, prazos e objetivos financeiros para o futuro.

Além disso, esse orçamento permite que você aprenda a consumir de forma mais consciente, que acompanhe as suas receitas e o seu estilo de vida.

Ferramentas para controle financeiro

Entendeu o que é controle financeiro e como você deve fazer o seu? Para facilitar esse processo, separamos dicas valiosas e práticas para você começar hoje!

  • Anotações em cadernos: registro manuais do seu fluxo de caixa. Apesar de ser uma forma mais rápida e acessível, esse processo pode causar desvantagens, como dificuldade em realizar os cálculos e fazer análises mais completas e o estrago ou perda do próprio caderno.
  • Planilhas eletrônicas: nas planilhas, como o Excel, é possível organizar melhor os seus registros e automatizar cálculos e categorias.
  • Aplicativos de finanças pessoais: há muitas opções de aplicativos gratuitos que disponibilizam relatórios, gráficos e alertas. Alguns deles ainda fazem conexão direta com sua conta bancária para ajudar a registrar as entradas e saídas mensais.

Além dessas ferramentas é possível aprender ainda mais com cursos sobre educação financeira, por exemplo. Assim, fica mais fácil entender os conceitos e aplicá-los na sua rotina.

O mais importante ao saber o que é controle financeiro é compreender que é fundamental ter disciplina. Só assim consegue-se aliviar a pressão do presente e planejar melhor o seu futuro com maior tranquilidade e assertividade.

E você, já faz o controle das finanças pessoais? Busca entender mais sobre esse assunto? Já definiu seu objetivo e planejamento financeiro? Aproveite e comece hoje!

Entenda qual é a importância da marcação de ponto para a sua empresa

Você ainda não controla o ponto da sua empresa? A prática, além de ser obrigatória em alguns casos, impacta profundamente na gestão do negócio e nas relações trabalhistas.

Confira uma lista de 6 itens que tornam o controle de ponto indispensável para a sua empresa. Boa leitura!

Atendimento a legislação

Se você possui uma empresa com mais de 10 funcionários atuando em regime CLT, o controle de ponto é obrigatório.

O funcionamento da marcação de ponto é regulamentado pela portaria 1510 do Ministério do Trabalho, confira o que ela diz:

“Portaria 1510

Art. 1º Disciplinar o registro eletrônico de ponto e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto – SREP.

Parágrafo único. Sistema de Registro Eletrônico de Ponto – SREP – é o conjunto de equipamentos e programas informatizados destinado à anotação por meio eletrônico da entrada e saída dos trabalhadores das empresas, previsto no art. 74 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943.

Art. 2º O SREP deve registrar fielmente as marcações efetuadas, não sendo permitida qualquer ação que desvirtue os fins legais a que se destina, tais como:

I – restrições de horário à marcação do ponto;

II – marcação automática do ponto, utilizando-se horários predeterminados ou o horário contratual;

III – exigência, por parte do sistema, de autorização prévia para marcação de sobrejornada; e

IV – existência de qualquer dispositivo que permita a alteração dos dados registrados pelo empregado.”

Controle de RH

Para além da obrigação por meio de leis, o registro de ponto é fundamental para a organização da jornada de trabalho dos recursos humanos da empresa.

Através deles diversos dados podem ser obtidos, como o horário de entrada e saída, as horas extras feitas, as faltas e o comprimento dos horários acordados para alimentação e descanso.

Transparência nas relações

A marcação de ponto também funciona como uma forma de documentar as relações com os seus funcionários. Dessa forma, fica mais fácil ter acessos às informações quando necessárias, trazendo mais transparência, quando o sistema utilizado é seguro e a prova de fraudes.

Uma das formas encontradas para manter a segurança dos dados e evitar possíveis maus usos do sistema de marcação é através de novas tecnologias, com o controle de ponto através do reconhecimento facial.

Diminuição de erros

A diminuição de erros é uma das vantagens trazidas pela marcação de ponto.

Se você, como gestor, tem dúvidas sobre quantos dias um profissional ganhou e quanto deve receber pelo período, basta entrar no sistema e realizar a checagem, diminuindo as chances de pagamentos com horas contadas erradas.

O trabalhador também ganha mais chances de se defender em caso de erro no controle, graças ao registro de todas as informações presentes no controle de ponto.

Menor número de processos trabalhistas

A diminuição de erros, leva por consequência ao menor índice de processos trabalhistas.

Por exemplo, um profissional pode alegar que as suas horas extras não foram computadas e pagas pela empresa. Se o negócio não possui um controle de ponto, o processo pode pesar contra a empresa.

Já se a empresa tem todos os dados do controle de mãos, será fácil checar quem está certo na história.

Controle da produtividade

Por fim, o controle de ponto auxilia no controle da produtividade. A partir dos dados gerados, será possível analisar, por exemplo, se um setor está realizando mais horas extras do que o esperado.

Indicando, nesse caso, que algo está acontecendo e precisa de uma solução.

Como montar um escritório de advocacia

Muitos advogados saem da graduação de Direito sem entender os elementos que compõem a administração de empresas. E com a decisão de seguir carreira no empreendedorismo jurídico, aparece o questionamento…Como montar um escritório de advocacia?

A princípio, o profissional precisa estar habilitado e regularizado na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). E para o investimento inicial, existe uma variação de acordo com o que é desejado por cada um, como o tamanho do escritório, área de atuação, localização do escritório e demais fatores envolvidos.

Necessidades para montar um escritório de advocacia

Para montar o escritório de advocacia é necessário ter em mente que terá de haver planejamento, investimento e financiamento. Esses pontos são cruciais e entendê-los é essencial!

O planejamento possui documentos que traçam as estratégias operacionais e projetam lucros, como o plano de negócio, que é a base de onde tudo ocorrerá.

Já o investimento trata-se de ter uma boa visão de como seu dinheiro será investido. Além disso, é preciso preocupar-se em manter o escritório. Portanto, cuidar do financiamento do seu negócio, de maneira que haja capital de giro, é indispensável!

Passo a passo para montar um escritório de advocacia

Separamos algumas dicas indispensáveis que são extremamente úteis para o processo de criação de um escritório de advocacia.

  1. Defina em qual área irá atuar

A decisão sobre a área em que o escritório irá atuar é de suma importância e implicará nas próximas decisões sobre o negócio. É necessário entender a fundo cada uma das áreas da advocacia antes de decidir sobre a atuação.

  1. Analise o mercado atual

Analise o mercado e escolha o meio do direito que melhor se encontra no momento. Além disso, após realizar a sua escolha, considere os efeitos da oferta e da demanda dos serviços advocatícios.

  1. Decida sobre as questões de sociedade da empresa

Antes mesmo do escritório de advocacia ser montado, é preciso resolver sobre trabalhar sozinho ou em sociedade. Esta decisão irá determinar a estratégia que será usada e qual é o investimento necessário para a abertura do negócio.

Se a decisão for montar o escritório em sociedade, é preciso escolher bem o sócio para que haja um alinhamento e conexão entre as partes.

  1. Elabora um acordo entre os sócios

Se o escritório de advocacia for montado em sociedade, é fundamental a elaboração de um contrato que contenha as definições das prerrogativas, dos direitos e das responsabilidades de cada um dos sócios. Este documento trará uma transparência em relação a esta sociedade, além da segurança jurídica da empresa.

  1. Cuide das finanças do escritório de advocacia

É indispensável o conhecimento de planejamento financeiro para não correr o risco de problemas relacionados a isso em um futuro próximo. Há quatro noções de planejamento financeiro que são indispensáveis:

  •         Saber fazer o adiantamento e reembolso de custas;
  •         Realizar a gestão de cancelamento de contratos e faturas;
  •         Ficar atento a honorários de sucumbência e ganhos de causas;
  •         Acompanhar os indicadores de negócio;
  1. Contrate bons profissionais

Uma empresa como um escritório de advocacia necessita de profissionais competentes e capazes de cumprir com as demandas. Para isso, esses profissionais precisam seguir os mesmos objetivos da empresa, portanto, seja criterioso na seleção de cada um dos profissionais que serão admitidos.

  1. Atenda às normas da OAB

Conhecer as normas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e compreender os limites de atuação do advogado é indispensável. Suas atitudes precisam estar sempre de acordo com a ética profissional, além de certificar de que todos da empresa também cumprem com a mesma.

É importante ressaltar que problemas éticos e de desrespeito, além de tudo que vai contra as normas da OAB, trazem prejuízos imensuráveis ao escritório de advocacia.

Como abrir um CNPJ para escritório de advocacia?

Para realizar a abertura de um CNPJ para escritório de advocacia, você precisará realizar um registro da empresa na Ordem dos Advogados do Brasil, obter o alvará de funcionamento com a prefeitura onde a empresa irá se instalar e, após realizar esses procedimentos, registrar junto à Receita Federal.

Para isso, serão solicitadas cópias dos documentos pessoais e dos documentos dos sócios, o Contrato Social firmado pelas partes e demais documentos.

Após o CNPJ ser aberto, você já terá cadastro como pessoa jurídica. E assim, com todo esse passo a passo, fica mais fácil entender quais são as decisões primordiais para montar o tão sonhado escritório de advocacia!

Entenda como reduzir tempo no faturamento de notas fiscais com ajuda da tecnologia

A emissão de nota fiscal (NF) é um processo comercial muito importante para a conformidade fiscal de um negócio, assim como na oferta de insumos do setor comercial. Diante disso, gestores buscam mecanismos de como reduzir tempo no faturamento de NF para agilizar e aumentar a eficiência dos processos.

Afinal, principalmente para empresas que precisam emitir um grande volume de notas diariamente, é corriqueira a ocorrência de informações inconsistentes ou divergentes quanto à documentação de clientes B2B (business to business), como com o CNPJ e número de Inscrição Estadual (IE).

Sem o preenchimento correto desses dados, por exemplo, o faturamento da nota é interrompido até que a situação se resolva e até o fechamento da venda pode ser comprometido.

Mas, afinal, como reduzir tempo no faturamento de nota fiscal para que seu departamento financeiro e comercial não fiquem vulneráveis a esses obstáculos? Leia o texto até o fim e conheça as melhores soluções! 

Entenda como reduzir tempo no faturamento

Antes de entrarmos no assunto principal do texto, é importante fazer uma breve introdução ao conceito de CNPJ e IE para que você entenda a importância da validação desses dois registros para tornar mais rápido o faturamento de nota fiscal. Acompanhe!

O que é CNPJ e IE?

Como já mencionamos, as duas principais informações do seu cliente a serem inseridas no formulário de emissão de nota fiscal são o CNPJ e a IE.

O CNPJ é o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. Ele é um número de identificação de Pessoas Jurídicas junto às autoridades competentes, como a Receita Federal. Ele tem uma função similar ao do CPF no caso das pessoas físicas

O CNPJ é importante para que tenhamos acesso a dados que corroboram a favor da reputação de qualquer negócio, pois sabemos que ele está devidamente formalizado, endereço e informações sobre possíveis pendências tributárias. 

Já a Inscrição Estadual é um registro feito pelas empresas no âmbito da Secretaria da Fazenda da sua unidade federativa. É por meio desse documento que a Sefaz gere a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Portanto, assinalado a importância da validação desses dois documentos, separamos duas formas de resolver essa situação: uma manual, outra com o auxílio da tecnologia. Confira qual das duas é a melhor para quem quer aprender como reduzir o tempo no faturamento de notas fiscais da empresa!

Como reduzir tempo no faturamento de nota fiscal manualmente?

Diante dessas informações, caso você precise validar alguns desses dados para saber se os números estão corretos e ativos, basta fazer uma consulta rápida no site da Receita Federal.

No caso da Inscrição Estadual, ainda é possível consultá-la pelo portal do Sintegra (Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços). Para isso, basta clicar no estado de atuação do seu cliente no mapa que aparece na página inicial. 

Ao inserir a IE ou CNPJ que deseja validar, você será direcionado a uma página com todas as informações sobre a empresa-cliente. Pelas duas formas, é possível conhecer detalhes importantes sobre ele, como se seus registros estão devidamente ativos e se não há pendências tributárias relevantes.

Como reduzir tempo no faturamento de nota fiscal com a tecnologia?

Pesquisar pelas informações tributárias manualmente é uma excelente medida para quem quer aprender como reduzir tempo no faturamento. Entretanto, será que ela realmente é eficiente para empresas que precisam faturar uma enorme quantidade de faturas diariamente?

Sabemos que o trabalho manual, naturalmente, é mais suscetível a um erro de desatenção que pode aumentar a possibilidade de erros que dificultam o andamento mais ágil do dos processos. Essa tendência é ainda maior quando o contador responsável está lidando com muitos documentos.

Pois foi justamente pensando nisso que soluções tecnológicas como APIs de CNPJ e IE foram desenvolvidas. Cada vez mais empresas que buscam otimizar as etapas de emissão de nota fiscal investem nessas ferramentas para que toda a prática seja automatizada.

Com apenas alguns clicks, a plataforma conecta-se em tempo real a bancos de dados, como da Receita Federal e do Simples Nacional, para validar numerações importantes para a emissão de nota fiscal.

Como esse processo é feito com segurança e agilidade, a empresa consegue:

  • desafogar o setor financeiro;
  • fechar mais vendas de forma ainda mais rápida;
  • atualizar a base de dados cadastrais dos clientes que automaticamente se tornam em leads valiosos para negociações futuras.

Qual a melhor solução para o seu negócio?

Viu como reduzir tempo no faturamento de NF pode ser simples? Avalie bem quais são as reais demandas do seu negócio para saber qual das duas possibilidades bastam para que você atinja os resultados esperados.

Esperamos que aproveitem as dicas para otimizar a performance de suas operações. Até a próxima!

Este artigo foi escrito por Gabriel Marquez, empreendedor e fundador da NFE.io, sistema de emissão e controle de notas fiscais que automatiza tarefas repetitivas, contribuindo para que você ganhe tempo e diminua gastos.