Palmeiras foi o terceiro brasileiro a ganhar duas Libertadores seguidas

Palmeiras foi o terceiro brasileiro a ganhar duas Libertadores seguidas

A Libertadores voltou a ter um campeão por duas temporadas consecutivas. Com os títulos das edições de 2020 e 2021, o Palmeiras de Abel Ferreira alcançou o feito na competição sul-americana.

A última vez que um clube brasileiro havia vencido a Libertadores duas vezes consecutivas foi o São Paulo de Telê Santana, nos anos de 1992 e 1993. Em entrevistas, Abel afirmou ser admirador da história do ídolo tricolor, que também comandou a seleção brasileira e até o Palmeiras.

Sem contar apenas os brasileiros, esse feito foi alcançado em 2000 e 2001, quando o Boca Juniors, de Carlos Bianchi, venceu o Verdão e os mexicanos do Cruz Azul nas respectivas decisões.

Bicampeonatos consecutivos da Libertadores

O Palmeiras entrou em um seleto grupo de clubes campeões consecutivos da Copa Libertadores. Com a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, no Estádio Centenário de Montevidéu, no Uruguai, o time se tornou o melhor da América pelo segundo ano seguido. Em 2000, o Verdão bateu na trave quando perdeu a final para o Boca Juniors. 

A primeira equipe brasileira a disputar duas finais de Libertadores seguidas foi o Santos de Pelé, em 1962 e 1963. A equipe santista conquistou o bicampeonato da Libertadores. Em seu primeiro título, o Peixe venceu o Peñarol na final em três jogos, ganhou no Estádio Centenário por 2 a 1, perdeu na Vila Belmiro por 3 a 2.

O jogo desempate ocorreu em Buenos Aires no Estádio Monumental de Nuñez na Argentina, com dois gols de Pelé, o Santos vence por 3 a 0 e conquistou o seu primeiro título continental. Em 1963, o time do litoral paulista ganhou do Boca Jrs. nos dois jogos da final, por 3 a 2 no Maracanã e 2 a 1 em La Bombonera.

Assim como o Santos de Pelé, o São Paulo de Telê Santana conquistou a dobradinha de títulos na Libertadores em 1992 e 1993. Em 1992, o Tricolor do Morumbi conquistou a sua primeira Libertadores contra o Newell’s Old Boys. No jogo de ida, o São Paulo perdeu por 1 a 0, já na volta devolveu o resultado levando a decisão para as penalidades, vencendo os argentinos. 

A decisão do bicampeonato foi contra a Universidad Católica. Ao contrário do aconteceu contra os argentinos, a final contra os chilenos foi mais “tranquila”. Logo no jogo de ida, o time do Telê venceu por 5 a 1 no Morumbi e perdeu no Chile por 2 a 0, conquistando o bi.