Autor: Ponto e Contra Ponto Notícias

Como funciona uma homologação de divórcio

A homologação de divórcio trata-se de um procedimento em que se reconhece um divórcio realizado em país estrangeiro, dando a ele efeitos em território brasileiro. Pode-se dizer que é um procedimento de “validação” deste divórcio, embora ele não seja inválido antes disso. Na prática, é a obtenção dos efeitos que muda, passando a valer no Brasil também.

O que é homologação de sentença estrangeira?

A homologação de sentença estrangeira nada mais é do que o ato que reconhece, no ordenamento jurídico brasileiro, sentença feita em outro país. Desta forma, a homologação de sentença estrangeira é a categoria que abrange, entre outros procedimentos, a homologação do próprio divórcio.

Quando essa decisão não é contrária à lei brasileira, ela pode ter executoriedade plena em nosso país por meio da homologação, como no caso de casamentos e divórcios feitos no exterior, que precisam gerar efeitos em território brasileiro.

Da sentença estrangeira para a homologação de divórcio

Para fins de aplicação, o divórcio é uma sentença. Isso porque ele é consolidado a partir de uma decisão judicial ou procedimentos internos com força equivalente, como o registro de um divórcio extrajudicial, no caso brasileiro.

Por isso, a homologação de um divórcio estrangeiro nada mais é do que “transferir” aquele divórcio feito em outro país para o Brasil. Pode parecer uma mera formalidade, mas a verdade é que os efeitos do divórcio são amplos e profundos. Eles envolvem patrimônio, capacidade de sustento e, até mesmo, a guarda sobre filhos daquele casal, como mostrado no trecho a seguir.

Em território nacional, normalmente pensamos no divórcio como algo único, que simplesmente dá fim a um casamento. A afirmação é verdadeira, e até pode ser o caso de um divórcio puro ou simples. Mas, na maioria das vezes, envolve outras questões, como um divórcio no exterior que aborda a guarda dos filhos precisa ser homologado no Brasil para que produza efeitos por aqui também. Caso contrário, não é possível utilizar a capacidade estatal de fazer valer as decisões para garantir o cumprimento delas.

Outro ponto é a partilha de bens, que é bastante dependente da homologação do divórcio, especialmente quando envolve bens no Brasil. A lógica é simples: não há como o ordenamento jurídico brasileiro saber que deve partilhar bens entre duas pessoas, se essa decisão foi tomada em outro país e se, sob a ótica nacional, sequer sabe que houve um divórcio.

Outra das questões envolvidas na homologação de um divórcio estrangeiro em território nacional é a oficialização da alteração do status civil. Obter de volta o status de solteiro significa oficializar aquela situação para fins legais, que envolvem, até mesmo, contrair um novo matrimônio.

Como realizar uma homologação de divórcio?

A realização da homologação de divórcio envolve uma série de etapas, devendo sempre contar com o acompanhamento correto. Por isso, o primeiro passo é a busca por um escritório especializado. A homologação de um divórcio exige uma análise criteriosa para o pedido correto, que tenha a solução mais rápida possível, com a menor quantidade de desgastes.

O escritório solicitará a documentação e analisará se o caso precisa da homologação ou puramente seu registro – situação em que não é necessário ajuizar a ação. Se necessário ajuizar, o escritório fará o requerimento junto ao STJ (Supremo Tribunal de Justiça), junto aos originais ou cópias autenticadas dos documentos necessários, traduzidos de forma juramentada para o português. Quando a ação terminar, pode-se solicitar a “Carta de Sentença”, que dá possibilidade de efeitos àquela sentença no ordenamento jurídico brasileiro.

Já o tempo para a realização de uma homologação de divórcio dependerá do caso específico! Uma das partes mais demoradas é a obtenção e tradução dos documentos corretos e devidamente autenticados. Além disso, há o prazo do procedimento em si, que pode ser tão breve quanto alguns poucos meses, ou até alguns anos. 

Há, ainda, casos que não exigem atuação judicial, como na homologação de divórcio puro e simples. Nesta situação, após a obtenção da tradução juramentada, basta fazer o registro no cartório, de forma extrajudicial, acelerando significativamente o tempo de espera.

Por fim, é recomendado contratar um advogado para realizar a homologação de divórcio, visto que, como a ação é requerida no STJ, é necessário ter a representação por parte de um advogado. Além disso, recomenda-se buscar por escritórios que contem com advogados especializados na área, de forma a acelerar a obtenção da homologação. Essa recomendação é válida inclusive para a homologação de divórcios puros, uma vez que ainda há uma exigência e acompanhamento da documentação e tradução juramentada para que se proceda ao registro do divórcio.

Quanto tempo dura a toxina botulínica?

Antes de ir mais além com a questão, nós temos que começar pelo início, afinal, o que é Botox? Botox é o nome comercial da Onobotulinumtoxin A, uma neurotoxina derivada do Clostridium botulinum.

As pessoas geralmente usam Botox para reduzir o aparecimento de rugas. No entanto, os médicos também o usam para tratar certos problemas de saúde, como:

  • espasmos da pálpebra;
  • pálpebras caídas;
  • babando exclusivamente;
  • suor excessivo;
  • uma bexiga enfraquecida;
  • distonia cervical;
  • neuropatia diabética;
  • enxaqueca crônica.

Atualmente, existem quatro tipos diferentes de produtos aprovados pela FDA para rugas faciais cosméticas. Isso inclui Botox, Xeomin, Dysport e agora Jeuveau.

Todos eles funcionam da mesma forma, bloqueando um sinal do nervo para o músculo visado, que o impede de se contrair. Com isto, ao evitar a contração desses músculos específicos, há menos ação ou tração sobre a pele e diminuição na formação de rugas e marcas de expressões no rosto. Contudo, as rugas são mais complicadas de desaparecerem, porém há um grande aliciamento nelas.

Embora todos esses produtos tenham a mesma base e composição e atinjam o mesmo resultado final, eles diferem ligeiramente no início, duração da ação e desconforto causado na aplicação e pós aplicação. Basicamente você está paralisando um músculo do seu corpo que sempre esteve em perfeito funcionamento, claramente você sentirá uma diferença e incômodo logo de início.

Quando usar?

Esta pergunta é um tanto quanto difícil e delicada de ser respondida. Quando usar cada produto irá depender de vários fatores.

Às vezes, é a preferência do cirurgião ou do injetor. Em outros casos, um paciente pode ter tido experiência com produtos diferentes e descobrir que um funciona melhor do que o outro neles pessoalmente.

Alguns podem se adequar melhor a um tipo de produto do que em outro, isto é comum. Isto também pode influenciar no tempo de efeito da aplicação e até no tempo em que a aplicação começa a fazer efeito.

Em ambos os casos, todos esses produtos são seguros e eficazes nas mãos certas.

O que esperar durante o seu procedimento?

Muitas vezes, no momento antes da injeção, seu injetor discutirá com você seus objetivos e, após um exame, poderá avaliar se esses objetivos podem ser alcançados com o uso de neurotoxina. Se puder, é seu dia de sorte!

Seu rosto será limpo e as áreas a serem injetadas, possivelmente marcadas com um delineador / marcador removível.

Você pode aplicar um creme anestésico ou receber compressas de gelo para ajudar com qualquer desconforto. Quando estiver pronto, as injeções serão aplicadas em várias áreas para atingir os músculos desejados e causar o efeito almejado.

Após a aplicação você pode ter alguns pequenos inchaços na pele no local da injeção, mas eles, provavelmente, já terão desaparecido quando você sair do consultório. O efeito costuma ser rápido.

Você também pode ter alguns hematomas leves, que desaparecem em 24-48 horas. Finalmente, você receberá instruções sobre o que fazer e o que não fazer nas próximas 24 horas. Isso pode variar de injetor para injetor e de marca para marca da toxina.

Em quanto tempo faz efeito?

As neurotoxinas geralmente fazem efeito em 3-5 dias, mas é comum não ver seus resultados completos e finais por 7 a 10 dias. 

O certo é que se espere pelo menos 2 semanas inteiras após a injeção de Botox e, nesse momento, se o efeito precisar de um retoque em algumas partes, você poderá tratar disso com seu injetor.

Isso leva este bom tempo porque leva tempo para a toxina bloquear os impulsos nervosos para os músculos. Não é imediato.

Quanto tempo realmente dura?

Creio que todos nós gostaríamos que a aplicação do Botox durasse para sempre, não é? Infelizmente não é assim que acontece.

Eventualmente, a ação da neurotoxina vai se dissipar e os nervos serão novamente capazes de enviar esses sinais para os músculos começarem a trabalhar ou se contrair. Em geral, o Botox dura de 3 a 4 meses.

Certamente haverá pacientes em que duração será bem maior, na faixa de 4 a 6 meses, ou menos, na faixa de 2 meses. Também é comum para os iniciantes perceberem que pode não durar tanto no início, mas pode durar mais depois do segundo tratamento. Cada pessoa tem uma experiência única e os resultados podem variar.

Testar outros produtos pode ser uma boa também, cada marca tem seu diferencial e uma específica pode durar mais do que as outras, por isso sempre é bom fazer testes. Lembrando que isto seja feito somente com marcas aprovadas pela FDA.

As pesquisas mais amplas do mercado sugerem que uma injeção cosmética de Botox dura de 3 a 6 meses. No entanto, isso pode variar, como dissemos, por diversos fatores, isso inclui:

  • a idade da pessoa;
  • o sexo dela;
  • a massa muscular da pessoa;
  • a técnica de injeção;
  • a diluição da toxina;
  • o volume da solução;
  • o posicionamento da injeção.

Algumas pesquisas indicam que várias injeções de Botox na mesma área podem aumentar a duração dos efeitos.

Para uma pessoa que espera fazer os efeitos do Botox durarem o máximo possível, é importante:

  • Receba as injeções de um médico experiente e certificado, que é bem versado nas técnicas mais eficazes;
  • Siga as orientações de manutenção com cuidado.

Indicadores de RH: conheça os mais importantes que funcionam na gestão de pessoas

Ninguém pode negar! O sucesso de uma empresa está relacionado a eficiência dos colaboradores. E essa constatação se deve a importância dos indicadores de RH, um recurso benéfico para o bom andamento dos negócios.

Uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia constatou que um trabalho feliz, em média, é 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e vende 37% a mais em comparação com os outros.

Ou seja, buscar um clima feliz no ambiente de trabalho requer disciplina e planejamento, elementos que os indicadores de RH contribuem para o sistema de uma organização.

Gostou da ideia e quer aplicar os indicadores de RH na sua empresa? Então fique com a gente, nós vamos apresentar os x principais que podem otimizar o gerenciamento da sua equipe e trazer resultados bastante satisfatórios.

O que são indicadores de RH?

Os indicadores de RH, ou KPI (Key Performance Indicator) são ferramentas que possibilitam a medição de performance de processos e, assim, mensurar os níveis de desempenho para as funções no setor.

O acompanhamento dos principais indicadores de RH possibilitam que a empresa analise efetivamente as projeções corporativas, isto é, confira os resultados obtidos com o que realmente foi planejado.

Por isso, quando bem utilizados, os indicadores de RH auxiliam os gestores em suas decisões, fortalecendo a liderança e deixando a equipe mais forte para lidar com as atividades do dia a dia.

Quais são os melhores indicadores de RH para gestão de pessoas?

Já notamos até agora que os indicadores de RH são essenciais para uma gestão eficiente. Por isso, acompanhe os mais importantes que podem favorecê-lo:

1. Absenteísmo

Afastamentos constantes, atrasos e faltas pontuais são elementos que medem o nível de satisfação dos colaboradores. Pergunte-se: por que alguns funcionários estão faltando com mais frequência, ou atrasando mais de meia hora, e se afastando dos colegas?

Essas perguntas são preocupantes. Por isso, tenha em mente que todo o funcionário dá sinais de desmotivação, contudo é imprescindível reverter o quadro quando as faltas se tornam recorrentes. Pense nisso!

2. Turnover

O turnover, ou rotatividade, é quando há um número excessivo de alternância de funcionários em uma organização. Esse fator é importante que gera altos gastos com a contratação de novos funcionários, por isso, quando se reduz o índice de turnover, significa que os processos de recrutamento e seleção estão mais eficientes.

É importante que a taxa de turnover esteja abaixo de 5%, quando passa um pouco acima, está na hora de rever as políticas de retenção de talentos.

O cálculo da taxa de turnover se aplica da seguinte forma:

Turnover (%) = Número de funcionários desligados / número total de funcionários ativos no mesmo período X 100

3. Desempenho

Custo, tempo e qualidade são elementos que compõem o índice de desempenho. Por meio dele, é possível obter um retorno de cada departamento e determinar quais pontos devem ser avaliados para melhorar o desenvolvimento da equipe.

4. Avaliação de aprendizagem

A avaliação de aprendizagem é medida a partir dos treinamentos e capacitações oferecidos pela sua empresa, assim, o gestor pode mensurar a evolução da equipe pós-treinamento.

Durante a avaliação de aprendizagem, o gestor e o RH podem empregar testes para medir as habilidades e competências adquiridas no período de capacitação.

Tenha em mente que os treinamentos não devem ser propostos para a companhia obter retorno financeiro, e sim, para motivar a equipe.

5. Indicadores de recrutamento e seleção

O processo de recrutamento e seleção é um momento oportuno para escolher os talentos para uma empresa, por isso, deve ser planejado corretamente para evitar a rotatividade de funcionários após a contratação, ou até mesmo a ausência dos candidatos durante o recrutamento.

Existe um cálculo que permite identificar uma taxa de vagas fechadas no prazo estabelecido pela organização. Digamos, por exemplo, que a sua organização deseja contratar 15 pessoas em 15 dias, mas caso se aproxime dessa realidade, será preocupante para o andamento dos negócios.

Para isso, faça a seguinte equação:

Vagas no prazo (5) = vagas fora do prazo/ total de vagas x 100

O resultado mais próximo do zero significa o melhor tempo de fechamento das vagas.

6. Retorno sobre Investimentos (ROI)

O ROI, que vem do inglês Return On Investiment, é um dos indicadores de RH mais utilizados pelas empresas, pois ele ajuda a evitar investimentos desnecessários que geralmente mexem com o capital financeiro.

A fórmula é a seguinte: ROI (%) = (Retorno obtido – investimento realizado) / Investimento realizado x 100 

7. Índice de reclamações trabalhistas

Você sabe a quantidade de reclamações trabalhistas que a sua empresa possui? Quais tipos são, por exemplo, férias, pagamentos, recolhimento de FGTS, etc? Quanto tempo elas existem? Enfim, esses dados são importantes porque evitam processos trabalhistas, o que mexe com a imagem do seu negócio no mercado e perante os concorrentes.

Logo, medir o indicador de comentários negativos ajuda a descobrir os aspectos que levam uma organização a situações indesejadas.

Como avaliar os indicadores de RH com sistema integrado?

Talvez você não tenha percebido, mas existem vários pontos dentro de uma organização que precisam ser aprimorados e, provavelmente, você ou RH ainda não conseguiram perceber por conta da rotina atribulada, mas que podem ser solucionados o quanto antes.

Por isso, investir em um ponto eletrônico para empresas da GeoVictoria, especialista no assunto, pode ajudar a identificar pontos recorrentes dos indicadores de RH.

Quer um exemplo? 

O relógio de ponto digital biométrico facilita a marcação de ponto dos funcionários que não precisarão utilizar mais cartão de acesso ou registro à mão. Além de facilitar o registro de ponto, será um adendo para que o RH aprenda como fazer cálculo de hora extra sem necessitar de planilhas intermináveis.

É ou não um bom recurso para ajudar a identificar os indicadores de RH e trazer um novo rumo para o seu negócio? Não perca tempo!

Aprenda o que é humanização da marca + 3 exemplos que funcionam

Vivemos em uma era onde todas as pessoas sentem a necessidade de compartilhar suas histórias, e, graças a internet isso é possível. Essa realidade também influencia os negócios, que estão mudando o hábito de oferecer apenas experiências transnacionais, investindo em humanização da marca.

Mas, por qual motivo a comunicação humanizada passou a fazer parte do dia a dia dos empreendimentos? 

Considerando que muitos negócios têm adotado soluções automatizadas de atendimento, e deixado de lado o bom relacionamento com os consumidores, empresas que se importam com causas e opiniões tem isso como diferencial e se destacam das demais marcas do mercado.

Neste conteúdo você aprenderá um pouco a respeito da humanização e empatia da marca, e como construir um relacionamento empático, com atendimento personalizado, pode facilitar conversões e fidelização de clientes, continue a leitura.

O que é humanização da marca?

Humanização da marca é uma estratégia que os negócios utilizam para criar e fortalecer o relacionamento com os consumidores, oferecendo as melhores experiências e um atendimento personalizado de maneira empática.

Essa metodologia costuma criar um forte vínculo de identificação do cliente com a marca, e preza pelo fortalecimento dessa relação por meio de uma comunicação afetuosa e emocional, onde todos os diálogos são importantes, e todas as necessidades do consumidor são vistas como prioridades para o negócio.

O grande princípio da humanização da marca está em oferecer experiências, e não apenas coisas para as pessoas. Esse conceito é importantíssimo na estratégia de atendimento humanizado, pois, segundo o relatório de tendências da experiência do cliente 2021, da Zendesk:

  • 75% dos clientes gastam mais com empresas que oferecem boa experiência do cliente;
  • 50% dos consumidores mudarão para o concorrente após uma experiência negativa;
  • 63% dos consumidores querem comprar de empresas com responsabilidade social;
  • 49% querem que os agentes sejam mais empáticos.

Esses dados refletem que mesmo diante de uma era digital, os relacionamentos ainda guiam as escolhas dos clientes, por isso, quanto mais um atendimento for personalizado, maior será a chance do empreendimento conquistar o consumidor. 

Por que as pessoas preferem atendimento humanizado?

Apesar da era digital representar uma vivência de comunicações mais rápidas e ágeis, muitas pessoas ainda gostam do relacionamento de proximidade e empatia, pois, de alguma forma, se sentem importantes para a marca.

Tanta tecnologia estimulou o uso de ferramentas que automatizam o atendimento, como chatbots, porém, mesmo esses bots têm sido programados para oferecer um atendimento inteligente e humanizado, já que essa é uma necessidade do consumidor. 

As pessoas preferem o atendimento humanizado por se sentirem mais seguras para consumir de marcas com responsabilidade social, e que entendem que atendimentos personalizados são a base de um bom relacionamento com seus clientes.

Além disso, a humanização da marca permite que as empresas não estejam apenas presente nas redes sociais, mas façam parte, de forma real, da vida das pessoas, compartilhando suas ideias e novidades no dia a dia, e estabelecendo uma conexão verdadeira com os clientes.

3 exemplos de humanização da marca que funcionam

Existem diversas formas de fazer uma marca parecer mais humana, mas, para que essa estratégia dê certo, é importante que o negócio consiga determinar quais as características de atendimento humanizado que mais se adequem com o planejamento e cultura da empresa.

Confira três exemplos de humanização da marca, que auxiliam os negócios a construir uma imagem de proximidade com os consumidores.

  1. Mais diálogo e menos formalidade

Uma comunicação humanizada é próxima, natural e algumas vezes até informal. Empresas que pensam em investir em atendimento personalizado por meio da humanização dos seus atendimentos, precisam ter ciência de que nesse formato de relacionamento, menos é mais!

Um bom exemplo de marca que sabe aproveitar a estratégia do diálogo impessoal com seus clientes para expandir sua rede de consumidores e ter mais promotores do seu negócio é a Netflix. 

A empresa de streaming, muito utilizada no Brasil, ficou conhecida por suas interações bem humoradas, diretas e indiretas com os consumidores em redes sociais. Essa proximidade estimula o bom relacionamento com os clientes, e propaga a marca sem muita dificuldade na internet.

  1. Tornando os funcionários a “cara” do negócio

Pessoas querem se conectar com pessoas, ou, com tecnologias humanizadas. O atendimento humanizado precisa ter rosto, e esse rosto pode ser caracterizado pelos próprios funcionários da empresa, ou por um avatar criado para ser a representação gráfica do negócio.

Quando um consumidor vê um rosto, ele visualiza a marca de forma menos robótica, e interage com ela de maneira muito mais empática.

Essa foi a estratégia utilizada pela Magazine Luiza, ao criar o personagem Lu, da Magalu. O avatar totalmente humanizado da empresa varejista ficou conhecido em todo o Brasil, por seu aspecto humano, e sua comunicação personalizada e otimizada.

O empreendimento apostou nessa estratégia para tornar seu atendimento humanizado e caricato, e ainda somou esse formato de comunicação a uma experiência inovadora e omnichannel.

  1. Atendimento personalizado e omnichannel

Já entendemos que a humanização da marca tem forte relação com a personalização e a tecnologia, por isso, é fundamental que a comunicação da empresa seja genuína e, ao mesmo tempo, eficiente.

Uma forma inteligente de construir um atendimento humanizado e estratégico, é adaptando as estruturas de atendimento do negócio para uma tecnologia moderna, que permite que a empresa atenda pelos mais variados canais, como telefone, email, redes sociais, chatbot, e outros.

Atualmente, a tecnologia que possibilita às empresas essa amplitude de atendimento, são softwares de suporte que performam de maneira omnichannel, ou seja, em todos os canais, e, por meio dessa tecnologia é possível que os negócios personalizem seus atendimentos, a fim de criar um relacionamento ainda mais próximo com os consumidores.

Diversas empresas já adotam essa estratégia, como, por exemplo, o Nubank, uma instituição financeira que se fortaleceu no mercado, graças a sua comunicação omnichannel totalmente humanizada e Wow, que serve de inspiração para os negócios que pretendem humanizar suas marcas.

Aprendeu a importância da humanização da marca? Sua empresa já utiliza essas estratégias? Não? Então já é hora de começar a utilizar essas dicas e tornar seu atendimento humanizado!

7 vantagens de usar Google Cloud Platform (GCP) nos negócios

O Google Cloud Platform é um serviço de computação em nuvem do Google por meio do qual é possível criar, configurar e hospedar aplicações digitais (máquinas virtuais, sites, apps, softwares) e mantê-las ativas utilizando a infraestrutura na nuvem. Mas quais são as vantagens de usar o Google Cloud Platform na prática?  

Já imaginou migrar todos os servidores da sua empresa para a nuvem em apenas 22 dias e sem precisar parar todas as operações?

Isso aconteceu com a Lush, uma marca de cosméticos britânica, que fez a migração de todo o seu sistema, incluindo o seu e-commerce, para o Google Cloud Platform sem paralisações no trabalho.

Além de eliminar custos altos com os servidores tradicionais, a empresa conseguiu obter mais estabilidade de acesso para o site, o que impacta positivamente a experiência do usuário.

Sua empresa também precisa reorganizar servidores ou hospedar serviços de forma remota?

Continue a leitura deste artigo e conheça as principais vantagens de usar Google Cloud Platform.

Quais são as vantagens de usar o Google Cloud Platform?

Como um serviço de computação em nuvem, o Google Cloud Platform oferece inúmeras possibilidades de uso e estruturação no seu sistema. 

Para te ajudar a entender os recursos disponíveis, listamos algumas vantagens de escolher um sistema na nuvem. Confira!

1. Manter suas soluções sempre ativas

Uma das vantagens de usar Google Cloud Platform é que dificilmente sua solução ficará indisponível para seus atuais e potenciais clientes.

Isso porque na hospedagem em nuvem, a sua estrutura é “espelhada” em outros servidores, de forma que se houver uma falha no primeiro, outro entro servidor entra em ação imediatamente mantendo o serviço estável.

Assim, sua empresa pode criar ambientes híbridos ou com várias nuvens para atender requisitos regulatórios em relação à privacidade e segurança de dados. 

2. Executar análises avançadas

Cada vez mais empresas buscam soluções para transformar dados arquivados em informações úteis para o negócio.

Esse recurso é chamado de Big Data. Muitas empresas focam na criação de softwares capazes de analisar uma quantidade de dados massiva, mas de forma inteligente para extrair dados valiosos sobre o mercado.

Uma das vantagens de usar Google Cloud Platform é conseguir criar e hospedar soluções baseadas em machine learning para automatizar processos e fazer análises assertivas.

3. Contribuir para a sustentabilidade na tecnologia

Outra das vantagens de usar Google Cloud Platform é conseguir enxugar os custos com materiais de computação, bem como os gastos de manutenção.

Além da sustentabilidade econômica, o Google Cloud garante que seus parceiros contribuam para o uso racional dos recursos e do meio ambiente.

O serviço de armazenamento em nuvem do Google é neutro em emissão de carbono e, além disso, os data centers são mantidos com fontes de energia 100% renovável nas regiões onde é possível utilizá-la. 

4. Proteger as soluções criadas com segurança avançada

Ao contrário do que muitos podem achar, um serviço totalmente na nuvem é extremamente seguro e essa também é uma das vantagens de usar Google Cloud Platform.

O serviço garante a proteção dos dados de aplicativos, sites, softwares e máquinas virtuais contra fraudes e spams.

Isso porque todas as informações são criptografadas quando estão “em repouso” no servidor, em trânsito ou em uso.

Dessa forma, nada pode ser lido, nem pelo próprio Google que utiliza as mesmas ferramentas de segurança para manter seus serviços seguros dentro dos seus servidores.

5. Reduzir custos com implementação de tecnologias

Redução de custos também é uma das principais vantagens do Google Cloud. Ao invés de pagar um valor mensal como nos serviços tradicionais, no Cloud o modelo de pagamento é feito de acordo com o uso.

Quando você cria uma máquina virtual (VM), por exemplo, nas configurações aparecem quanto aquela VM vai custar por hora enquanto estiver ativa.

Dessa forma, é possível fazer um planejamento de gastos e manter funcionando apenas as máquinas necessárias. 

Uma forma inteligente e simples de ter acesso a soluções de tecnologia moderna pelo melhor preço. 

6. Migrar aplicativos em tempo real

Lembra do exemplo da empresa britânica Lush na abertura do artigo? É possível migrar toda estrutura de servidor em tempo real e sem paralisar as operações da empresa.

Os desenvolvedores conseguem trabalhar fazendo correções, eliminando bugs e atualizando softwares e hardwares sem interferir no trabalho da equipe e nas vendas. Também não é preciso reiniciar as máquinas. 

Para fazer isso, é importante ter o auxílio de uma equipe de Tecnologia da Informação (TI) qualificada e experiente nesse tipo de trabalho.

7. Manter um backup de dados seguro

Quando uma empresa mantém um servidor próprio, existe uma preocupação maior com segurança e se ela falta, o resultado é uma perda de dados enorme. Em algumas situações, o quadro é irreversível.

Por isso, uma das vantagens de usar Google Cloud Platform é garantir o backup seguro do banco de dados de todos os clientes.

Dentro do Google Cloud existem produtos específicos para executar backup dentro das máquinas virtuais como:

  • Filestore;
  • Cloud Storage;
  • BigQuery;
  • Archival Storage, entre outros.

Então, basta escolher a opção indicada de acordo com o seu tipo de solução. 

Está pronto para utilizar o Google Cloud?

Agora que você conhece as vantagens de usar Google Cloud Platform (GCP), pode escolher quais dos produtos atendem a necessidade da sua empresa.

Modernize a infraestrutura tecnológica do seu negócio e garanta total disponibilidade do seu ambiente digital utilizando o Google Cloud Platform.

Além de economizar, você terá um serviço de ponta para sua equipe e para seus clientes.

Este post foi escrito pela equipe da Safetec, uma empresa estabelecida no conceito de inovar a forma de trabalhar das organizações, através de soluções de computação em nuvem focadas em comunicação, colaboração e produtividade.

Como usar o lead scoring para aumentar as vendas?

Você sabia que, de acordo com o Gartner, 70% dos leads se perdem devido à falta de acompanhamento? E se dissermos que, com o lead scoring, este acompanhamento se torna coerente, natural e otimizado? 

A prática do lead scoring, que consiste na classificação de potenciais compradores de acordo com o seu nível de maturidade para a compra, auxilia equipes de vendas na condução da jornada do consumidor. Dessa forma, assegura que as abordagens de vendas e os conteúdos oferecidos conduzam, de fato, o consumidor para o fechamento da compra. 

Ao longo deste artigo, vamos te mostrar, em 5 passos práticos, como usar o lead scoring para aumentar as conversões e construir funis de vendas otimizados. 

Por que usar o lead scoring para apoiar a rotina de vendas?

É oficial (e está comprovado por pesquisas e dados): o lead scoring auxilia na melhora da receita gerada a partir de estratégias de marketing de conteúdo. Este resultado, apontado pela Marketing Charts, pode ser transposto também para a rotina de vendas. Afinal de contas, estamos falando sobre uma estratégia que oferece:

  • informações sobre o nível de maturidade do cliente;
  • seu posicionamento na jornada de compra; 
  • embasamento para direcionar ações assertivas de acordo com as expectativas do consumidor;
  • conhecimento sobre os clientes com maior potencial de conversão.

De maneira prática, podemos dizer que, com esta estratégia, a rotina de vendas e de marketing ganha em dinamismo e sinergia. Isso porque leads gerados com ações de marketing podem ser classificados e trabalhados pela equipe de vendas de maneira contínua, em um verdadeiro fluxo de conversão.

Com a construção de um fluxo de lead scoring, é possível: 

analisar leads de maneira rápida e objetiva a partir de critérios-chave pré-determinados; 

identificar leads com maior potencial de compra e direcioná-los ao time de vendas; 

segmentar potenciais compradores de forma detalhada e abordá-los de acordo com as suas necessidades.

Interessante, não é? Se você ainda não sabe por onde começar, respire fundo e prepare-se para a dica: entenda como gerar leads de vendas através do marketing com o lead scoring e, em seguida, siga para o próximo tópico para obter dicas avançadas para otimizar a sua classificação. 

Usando o lead scoring para aumentar as vendas: 5 dicas

Se você já tem um lead scoring desenvolvido, mas deseja otimizá-lo para obter resultados ainda melhores, prepare-se. Aqui vão 5 dicas que te convidam a revisitar o seu processo e olhar com atenção para pontos que podem fazer toda a diferença no momento da classificação dos leads. 

1- Classifique seus leads de forma estratégica — use pontos positivos e negativos

A classificação dos leads é a base do processo de lead scoring. Porém, muitas empresas mantêm o foco apenas na pontuação positiva, ou seja, as condicionais que fazem com que o lead se classifique com um bom potencial comprador. 

Nossa dica é: faça bom uso também da pontuação negativa para apurar o filtro do seu lead scoring. 

Combine os dois critérios para que o balanço da pontuação final reflita de forma fidedigna o perfil do potencial comprador. Quer ver um exemplo? 

Suponhamos que este seja o lead scoring da sua empresa: 

  • Seguiu a empresa na rede social: +1 ponto
  • Baixou o e-book X: +5 pontos
  • Solicitou o trial do produto: +15 pontos
  • Entrou em contato com o time comercial: +10 pontos

Se a qualificação de um lead é feita exclusivamente por pontos positivos, é possível que um pesquisador (com baixo perfil decisor e pouco — ou nenhum — fit com o perfil de comprador ideal da empresa) alcance a pontuação máxima por estar estudando o segmento no qual sua empresa atua e, portanto, consumindo os conteúdos de forma ativa. 

Neste caso, recomendamos atribuir pontuações negativas relacionadas, por exemplo, ao setor de atuação ou ao cargo do lead: 

  • Diretor de empresa: +15 pontos
  • Analista comercial: +10 pontos
  • Analista de marketing: +5 pontos 
  • Estudante: -20 pontos 

2- Crie ações de vendas que começam no marketing

Para alcançar sua máxima potencialidade, é importante que o fluxo do lead scoring inicie pelo marketing, e que, sobretudo, o time de marketing opere em total alinhamento com o de vendas. 

Dessa forma, o ideal é desenvolver uma estratégia colaborativa, com reuniões entre ambas as equipes e a definição de um objetivo comum: a conversão de X% dos leads gerados. 

Dessa forma, a equipe de marketing se concentra em gerar potenciais compradores que tenham fit com o negócio e, de quebra, facilitam o trabalho de vendas, que não precisa fazer um novo filtro criterioso entre os leads recebidos. 

3- Trabalhe os conceitos de MQL e SQL

MQL e SQL não são apenas duas simples siglas no lead scoring. Pelo contrário: são indicadores estratégicos que ajudam a segmentar compradores com maior potencial de conversão. 

Para te ajudar a entender: 

  • MQL (Marketing Qualified Lead): precisa ser preparado pelo marketing, pois tem pouca maturidade para a compra 
  • SQL (Sales Qualified Lead): demonstra estar pronto para a compra. Deve ser direcionado pelo marketing ao pessoal de vendas para o fechamento do processo. 

Para obter classificações realistas, é preciso, mais uma vez, garantir o alinhamento entre as equipes de marketing e vendas desde a definição preliminar da pontuação de cada categoria. 

4- Combine estratégias de captação de leads 

O trabalho do marketing digital (no qual incluem-se o inbound marketing e o marketing de conteúdo) é essencial para a captação de leads com potencial de compra. Entretanto, melhores resultados podem ser alcançados se sua equipe de vendas também atuar de forma offline para a “pesca” de potenciais compradores. Isso pode acontecer em congressos de vendas, eventos do seu setor de atuação, indicações de clientes etc. 

Neste caso, o time comercial deve abordar o lead, avaliar sua maturidade e então prosseguir com a venda, caso encontre um SQL, ou inseri-lo na jornada de compra caso perceba que ele ainda se encontra no estágio MQL. 

5- Reveja os critérios constantemente

Após passar por todos os pontos acima, nossa dica final é: não se contente apenas com elas! 

Isso porque não há uma “receita de bolo” para o sucesso de uma estratégia de lead scoring. Portanto, cabe à sua equipe acompanhar, avaliar e testar novas abordagens para tornar o seu processo mais efetivo. 

Lembre-se também de que a execução do lead scoring deve manter o alinhamento com a estratégia da sua empresa. Sempre que houver redirecionamentos ou mudanças no perfil do cliente ideal, todos os critérios de pontuação devem ser revistos e ajustados. 

Como você viu neste artigo, a jornada é árdua, mas, se realizada em sintonia, traz grandes resultados. 

O mais importante é ter em mente que o processo de qualificação de leads não precisa ser realizado de forma inteiramente manual. Bons softwares e ferramentas digitais, como os CRM (Customer Relationship Management – ou Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente), estão aí para encurtar o caminho de classificação do lead e facilitar o gerenciamento de sua jornada de compra. 

Este artigo foi escrito por Júlio Paulillo, Co-founder e CRO do Agendor, uma plataforma de CRM que atua como um assistente pessoal para equipes de vendas, dando visibilidade e controle na gestão desde o primeiro dia de uso.

As camadas da pele e suas principais funções

A pele é o maior órgão do corpo humano, e cada parte possui uma função. Esse órgão é quem protege todo o nosso corpo durante todo o dia. Além disso, a pele exige alguns cuidados especiais.

Cuidados extras que não nos atentamos no dia-a-dia, são oferecidos em lugares profissionais, como em clínicas de estética. Esses autocuidados especiais oferecem técnicas e procedimentos que contribuem para os cuidados com a pele.

Hoje em dia, o que não falta são opções para quem deseja se atentar aos cuidados que a pele nos mostra. Várias clínicas foram criadas, com intuito de ajudar aqueles ou aquelas que se preocupam com a pele e as demais partes do corpo.

Tudo dentro do modelo de negócio de franquia de estética, que você pode encontrar na sua cidade ou até mesmo perto de você.

Entretanto, trouxemos aqui neste artigo uma explicação mais detalhada sobre as funções de cada camada, e alguns cuidados que são necessários ter com a pele:

Funções da pele de acordo com suas camadas

Por revestir todo o corpo, a pele é muito extensa e além disso muito profunda, sendo dividida em camadas. Vamos apresentar cada uma dessas camadas e falar sobre as funções que elas possuem.

Primeiramente existem três principais divisões das camadas da pele, a derme, a epiderme e a hipoderme que é a camada mais profunda da pele.

Epiderme

A epiderme é dividida em outras 5 camadas que são o estrato córneo, estrato lúcido, estrato granuloso, estrato espinhoso e estrato germinativo.

A camada mais externa da epiderme é o estrato córneo, ele é composto por células mortas e apresentam uma grande quantidade de queratina. Sua espessura irá depender da área em que se encontra.

Por exemplo, na área da sola dos pés essa camada é maior se comparada com outras áreas da pele, como a área do pescoço.

O estrato lúcido vem logo abaixo do estrato córneo. Essa camada da pele não está presente nas regiões mais finas da pele, ela detém células mortas ou as que estão em fase de degeneração, que são anucleadas e achatadas.

Após essa camada está o estrato granuloso, essa camada possui células que acumulam grânulos que são os precursores da queratina presente na pele.

Já o estrato espinhoso possui as células na forma poliédrica, elas são unidas pela presença de desmossomos e de substâncias formadas por glicoproteínas e lipoproteínas.

E na última camada da epiderme está o estrato germinativo, nelas encontramos as células que sofrem divisão, portanto ela é a responsável pela renovação de toda a epiderme.

Ela também apresenta os melanócitos, que são extremamente importantes para todo o corpo, pois são eles que produzem a melanina, responsável por proteger a pele.

Derme

Após a epiderme está a derme, ela possui várias funções. Diferentemente da epiderme, a derme é toda vascularizada, possui nervos além dos folículos pilosos e glândulas sudoríparas e sebáceas.

A derme é rica em fibras de colágeno e elastina, o que garante sua elasticidade e rigidez, ela é a responsável por manter a epiderme nutrida.

Entre a derme e a epiderme está a membrana basal produzida pelas duas camadas. Nessa membrana encontra-se a moléculas de adesão e fibrilas que garantem a continuação desse extrato por penetrarem nele.

Assim como a epiderme, a derme apresenta camadas. A camada papilar é a camada que faz com que a epiderme entre em contato com a derme através das depressões que apresenta.

E a sua camada mais inferior é a camada reticular, onde encontramos os vasos sanguíneos e linfáticos, as glândulas e os folículos pilosos.

Hipoderme

A hipoderme é a última camada da pele, ela é formada basicamente por gordura. Por isso, irá variar de acordo com a condição física da pessoa, ela é a responsável por manter a temperatura do corpo e acumula energia para o desenvolvimento de atividades físicas.

Essa camada é a responsável por manter a pessoa em forma, no caso do acúmulo de gorduras nela a pessoa apresenta o quadro de obesidade, que é a causa de muitos problemas de saúde, além de interferir na disposição física.

Cuidados com a pele

Como vimos a pele tem função importante para garantir a saúde de todo o corpo, trouxemos aqui dicas para se manter uma rotina de cuidados com a pele:

Higienização

Mantenha sua pele sempre higienizada, lave bem o rosto logo de manhã, existem produtos próprios para cada parte da pele, use o certo para cada uma delas. No caso do restante do corpo o banho é fundamental para a higienização da pele.

Entretanto, atenção quanto ao excesso de limpeza o contato excessivo com cremes e substâncias que podem agredir a pele, para o banho o ideal é se fazer duas vezes ao dia. Além disso, o excesso nas lavagens da pele pode provocar oleosidade nela.

Hidratação

Outro cuidado essencial que se deve ter com a pele é mantê-la hidratada. Beba bastante água, pois uma pele bem hidratada mantém sua barreira cutânea íntegra, fazendo com que ela mantenha todas as suas funções exercidas.

Esfoliantes

Faça uso de esfoliantes, eles ajudam a remover as células mortas renovando as camadas da pele. Mas tome cuidado ao usar este tipo de produto, se ao serem aplicados na pele forem feitos de forma grosseira podem agredir e machucar a pele.

Proteção

Essa é uma das dicas mais importantes, pois a pele está em contato direto com o externo, e está exposta a vários tipos de radiações. Usar protetor solar é o principal meio de proteger a pele destas radiações.

Ao contrário do que muitos pensam, o uso do protetor solar também se faz necessário dentro de casa, pois ele protege a pele dos raios ultravioleta, e podem protegê-la das agressões causadas também pela iluminação das lâmpadas, por exemplo.

O cuidado com a proteção solar da pele é muito importante, pois essas exposições contribuem para o surgimento de tumores benignos (não cancerosos) ou malignos, como o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma.

A maior parte dos cânceres de pele tem como causa a exposição ao sol, por isso é importante manter os cuidados com a proteção da pele, além disso, sempre que notar alguma alteração na superfície da pele, procure um médico.

Eles saberão diagnosticar e indicar o melhor tipo de tratamento, além de apontar as medidas preventivas e cuidados que se deve tomar.

Melhores e piores faculdades de medicina do Brasil, segundo o MEC

Você está interessado em saber quais são as melhores e piores faculdades de medicina do Brasil? Então você veio ao lugar certo!

Essa é uma dúvida comum entre aqueles que pretendem prestar vestibular, mas não sabem qual instituição escolher. Afinal, é comum basear-se em fatores como a localização, valor das mensalidades, especializações (como a radiologia, por exemplo), entre outros.

No entanto, outro ponto que deve ser levado em consideração é o ranqueamento da faculdade em relação as outras. Sendo assim, continue lendo esse conteúdo para descobrir quais são as melhores e piores faculdades de medicina segundo o MEC.

Quais São As Piores E Melhores Faculdades De Medicina?

De acordo com os dados do Censo da Educação Superior, cerca de 120 mil pessoas entram para o curso de medicina todos os anos. Ou seja, é uma área bastante concorrida no mercado e com uma série de faculdades que agora tem também a telemedicina.

Desse modo, o ideal é escolher uma das melhores instituições para que você possa ingressar na faculdade de Medicina e obter o seu diploma.

No entanto, com tantas opções disponíveis, fica difícil saber qual é a melhor, não é mesmo? Bem, no inicio do ano passado, o Ministério da Educação (MEC), publicou uma lista com uma avaliação de grande parte das faculdades de medicina no Brasil.

Essa é, sem dúvida, uma das avaliações mais completas que tem tendo em vista que o órgão busca avaliar a qualidade do curso de acordo com o desempenho de seus alunos, além de considerar outros fatores.

Piores faculdades de medicina do Brasil

Sendo assim, veja a seguir uma lista com as piores faculdades de medicina do país:

  • Universidade Presidente Antônio Carlos – Juiz de Fora (MG);
  • Centro Universitário Serra dos Órgãos – Teresópolis (RJ);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS);
  • Universidade Nilton Lins – Manaus (AM);
  • Centro Universitário do Espírito Santo – Colatina (ES);
  • Centro Universitário de Caratinga – Caratinga (MG);
  • Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy – Duque de Caxias (RJ)
  • Faculdade Presidente Antônio Carlos – Porto Nacional (TO);
  • Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) – Maceió (AL);
  • Universidade Camilo Castelo Branco – Fernandópolis (SP);
  • Centro Universitário Unirg – Gurupi (TO);
  • Universidade de Cuiabá – Cuiabá (MT);
  • Centro Universitário do Estado do Pará – Belém (PA);
  • Universidade Metropolitana de Santos – Santos (SP);
  • Faculdade de Tecnologia e Ciências – Salvador (BA);
  • Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal – Cacoal (RO);
  • Universidade Estadual de Santa Cruz – Ilhéus (BA);
  • Universidade José do Rosário Vellano – Alfenas (MG);
  • Faculdade Evangélica do Paraná – Curitiba (PR);
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina – Joaçaba (SC);
  • Universidade Federal de São João Del Rei – Divinópolis (MG);
  • Pontifícia Universidade Católica de Goiás – Goiânia (GO);
  • Universidade Federal do Pará – Belém (PA);
  • Universidade Federal de Pelotas – Pelotas (RS);
  • Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte – Juazeiro do Norte (CE);
  • Universidade Federal de Campina Grande – Cajazeiras (PB);
  • Universidade do Vale do Itajaí – Itajaí (SC).

Melhores faculdades de medicina do Brasil

Desse modo, agora que você já sabe quais são as piores faculdades de medicina, confira a seguir o ranking com as melhores – tanto públicas quanto privadas – de acordo com a avaliação do MEC!

  • (UNIFRAN) UNIVERSIDADE DE FRANCA – Franca (SP);
  • (PUCRS) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL – Porto Alegre (RS);
  • (UEPG) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA – Ponta Grossa (PR);
  • (UNIEVANGÉLICA) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS – Anápolis (GO);
  • (UNINOVE) UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO – São Paulo (SP);
  • (UNIFESP) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO – São Paulo (SP);
  • (UFMG) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS – Belo Horizonte (MG);
  • UNIVERSIDADE DE VASSOURAS – Vassouras (RJ);
  • (UFSCAR) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – São Carlos (SP);
  • (UNICESUMAR) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ – Maringá (PR);
  • (FCMSCSP) FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA SANTA CASA SÃO PAULO – São Paulo (SP);
  • (UNIFOR) UNIVERSIDADE DE FORTALEZA – Fortaleza (CE);
  • (UFV) UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – Viçosa (MG);
  • (CESVA) CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE VALENÇA – Valença (RJ);
  • (UNESP) UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO  – Botucatu (SP);
  • (UFPE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – Recife (PE);
  • (UFC) UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – Fortaleza (CE);
  • (UFPB) UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – João Pessoa (PB);
  • (FAMERP) FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – São José do Rio Preto (SP);
  • (UEM) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ – Maringá (PR);
  • (UFMT) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO – Rondonópolis (MT);
  • (UFCSPA) FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE – Porto Alegre (RS);
  • (UNICID) UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO – São Paulo (SP);
  • (UFS) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – Aracaju (SE);
  • (UFMS) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL – Três Lagoas (MS);
  • (UFES) UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – Vitória (ES);
  • (UNIPAM) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE PATOS DE MINAS – Patos de Minas (MG);
  • (UPE) UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – Recife (PE);
  • (FCMS/JF) FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA – Juiz de Fora (MG).

Outras faculdades que também são boas

Apesar de não serem tão boas quanto as anteriores, essas faculdades também possuem uma boa posição no ranking do MEC.

  • (UNICHRISTUS) CENTRO UNIVERSITÁRIO CHRISTUS – Fortaleza (CE);
  • (PUCPR) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ – Londrina (PR);
  • (UEFS) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA – Feira de Santana (BA);
  • (UNIVAG) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE – Feira de Santana (BA);
  • (UFVJM) UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI – Diamantina (MG);
  • (UNI-BH) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE – Belo Horizonte (MG);
  • (UNINTA) CENTRO UNIVERSITÁRIO INTA – Sobral (CE);
  • (UFS) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – Lagarto (SE);
  • (UFRN) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – Natal (RN);
  • (PUCPR) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ – Curitiba (PR);
  • (UFPR) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – Curitiba (PR);
  • (UCB) UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA – Brasília (DF);
  • (UFSC) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – Florianópolis (SC);
  • (UNIFAL-MG) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS – Alfenas (MG);
  • (UNISUL) UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA – Palhoça (SC);
  • (UNIC/UNIME) UNIVERSIDADE DE CUIABÁ – Cuiabá (MT);
  • (UFMT) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO – Cuiabá (MT);
  • (UFOP) UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – Ouro Preto (MG);
  • (UFRGS) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – Porto Alegre (RS);
  • (UNICAMP) UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS – Campinas (SP).

Como escolher a melhor faculdade de medicina?

Bem, essas são algumas das melhores e piores faculdades de medicina aqui do Brasil, segundo o MEC.

Caso você esteja pensando em começar esse curso, o ideal é que você faça algumas pesquisas sobre as faculdades mais próximas de sua região.

É importante escolher uma boa faculdade para que assim você não tenha dores de cabeça.

Conclusão

Sendo assim, essas são algumas das faculdades de medicina que são consideradas como as melhores e piores de acordo com o MEC. Agora que você já sabe quais são, poderá escolher melhor em qual faculdade irá ingressar!

Por fim, caso ainda tenha alguma dúvida ou queira acrescentar a sua dúvida a respeito do conteúdo, então não esqueça de deixar o seu comentário!

Automaquiagem, aprenda como fazer em casa

Principalmente durante a pandemia ficou muito mais fácil e acessível fazer basicamente todas as coisas no conforto do lar,  como pagar contas, fazer pedidos de entregas de comidas, fazer compras, estudar, trabalhar e até mesmo aprender algo novo.

E umas das coisas que as pessoas mais têm aprendido é sobre economia, sobre artesanato, sobre saúde, sobre estilo e também sobre automaquiagem, onde poucos sabem dominar essa prática.

Sendo assim, a seguir saiba como dominar a auto maquiagem em casa, acompanhe também dicas infalíveis para dominar essa prática e anote as dicas dos passos básicos de automaquiagem.

O que significa automaquiagem?

O termo auto exprime a noção de próprio ou si mesmo, o que torna a automaquiagem uma definição de maquiar a si, onde é possível aprender técnicas para disfarçar imperfeições e até mesmo corrigir erros normais que acontecem durante um processo de maquiagem.

Essa é então uma das maiores alternativas para quem não tem tempo para ir ao salão, até mesmo por falta de dinheiro para solicitar o serviço de um profissional que saiba fazer uma maquiagem.

Tanto que a busca por curso de maquiagem online subiu bastante recentemente.

Algumas pesquisas afirmam que a automaquiagem faz parte do autocuidado e da autoestima, onde a maquiagem proporciona a transmissão de personalidade, onde também promove grandes descobertas de qualidades.

Use a internet a seu favor

Hoje ficou muito mais fácil aprender coisas novas pela internet, até mesmo sem precisar fazer nenhum investimento, por isso assista vídeos no youtube, instagram, pois hoje esse tem sido um dos maiores canais de criação de conteúdo principalmente de maquiagens.

Dedique de 20 minutos a 1 hora por dia para aprender automaquiagem, porém é fundamental ter constância, por isso faça desse momento parte da sua rotina e priorize esse aprendizado

Faça cursos

Várias plataformas oferecem cursos incríveis de automaquiagem, desde  conteúdos grátis e até mesmo pagos, por isso faça uma seleção invista naquele que melhor te atende e que corresponda aos seus desejos.

Para escolher o melhor basta criar uma lista dos tipos de maquiagem, preparação de pele, truques e vá analisando quais os cursos que oferecem conteúdos semelhantes, dedique para aprender e praticar todos os dias.

Domine um passo de cada vez

Caso não saiba nada sobre maquiagem mas deseja aprender de tudo um pouco é fundamental que dedique tempo para aprender cada coisa de uma vez para não causar confusão. 

É fundamental seguir linha cronológica, para que seja possível aprender e dominar todas as técnicas como no exemplo a seguir:

  • Preparação de pele;
  • Hidratação;
  • Pré maquiagem (fixador);
  • Maquiagem (processo);
  • Pós maquiagem (remoção);

Vantagens de aprender automaquiagem

São diversas as vantagens de se aprender automaquiagem que promovem benefícios para o visual, para o emocional, para a aquisição de novas habilidades e para o bolso, por isso leia atentamente a seguir quais são elas:

Mais economia

De imediato já é possível perceber que com a prática da automaquiagem é possível ter mais economia, até mesmo porque o serviço das profissionais de maquiagem passou a ser mais valorizado  em comparação a antigamente.

Juntamente com a economia financeira, também é possível economizar tempo com a automaquiagem, pelo fato de ela poder ser feita no conforto de sua casa, ou onde preferir se maquiar.

Aquisição de habilidades e técnicas

Além de tudo que se aprende com a automaquiagem é possível adquirir técnicas e habilidades que vão facilitar e agilizar todo o processo, mas para que isso seja possível é fundamental praticar todos os dias.

Ninguém nasceu sabendo todas as pessoas um dia precisou aprender e praticar e assim fizeram grandes descobertas, por isso nunca apresse o tempo necessário de aprender e anote todas as ideias e truques para não esquecer.

Descoberta do estilo pessoal

Com a automaquiagem é totalmente possível descobrir qual é o seu estilo pessoal, quais são as suas principais características físicas faciais e quais os tons que mais combinam com sua cor pele, o que mais realça os seus traços e as suas belezas.

Melhora a autoestima

Justamente com a descoberta do estilo pessoal a autoestima pode aumentar até 10 vezes mais, pois o olhar para si pode mudar totalmente, além de novas características e belezas serem descobertas através da automaquiagem.

Passos básicos da automaquiagem

Dentro da automaquiagem existem alguns passos básicos que são adquiridos e todos eles são importantes para alcançar a excelência, além de proporcionar novos conhecimentos, a seguir conheça cada um dos passos.

Conhecimento sobre os cuidados da pele

Esse é um dos passos que muitos apresentam dificuldades de aprender, porém com a automaquiagem é totalmente possível saber quais são os cuidados necessários para cuidar da pele.

Aprender a corrigir imperfeições

Com a automaquiagem é possível perceber de perto as imperfeições e ao mesmo tempo saber como cobri-las e até corrigir, e muitos chamam isso do poder da maquiagem de transformar totalmente um pessoa.

Suavizar olheiras e marcas de expressões
Saiba que marcas de olheiras e marcas de expressões não podem ser consideradas imperfeições, ao contrário de uma cicatriz, de manchas, justamente porque as marcas de expressões fazem parte de todas as pessoas desde o nascimento até a velhice, onde uns tem mais e outros menos, porém todos têm.

Harmonizar o rosto

Com automaquiagem não é preciso fazer uma harmonização facial invasiva, com toxinas e químicas, porém ele temporariamente pode harmonizar um lado do rosto com o outro, mas é importante amar as qualidade mas também os defeitos.

Considerações finais

Em resumo, de todas as informações descritas acima, só há vantagens em aprender automaquiagem pois apesar de ser a forma mais econômica, ela também  é a oportunidade de desenvolver amor próprio e aumentar a autoestima.

Porém não se esqueça de que é fundamental praticar todos os dias e manter a constância para dar o melhor de si e alcançar a excelência, sendo assim dedique um tempo e busque por conteúdos e plataformas que ensinem sobre esse assunto.

E claro, você também pode aprender bastante através de cursos online de qualidade.

Deixe nos comentários a sua opinião sobre o assunto, e compartilhe suas dicas e experiências com a prática da automaquiagem. Espero muito que tenham gostado do conteúdo, um grande abraço e até breve.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.

Festival divulga cultura coreana

O dia quinze de agosto é um dos feriados mais importantes no calendário coreano.

O dia da independência aqui no Brasil a comunidade reúne cerca de cinquenta mil pessoas muitos vivem no bairro do Bom Retiro na região central onde acontece um festival para difundir a cultura do país Na festa pra divulgar a cultura, música do folclore coreano. O grupo enviado pela prefeitura de toca instrumentos de origem milenar.
Também o POP e tem conquistado jovens brasileiros Quem aqui é descendente de coreano?
De coreano. De coreia. E aí? K-pop é muito completo.

Ele tem todo um conceito. Ele tem conceito Dark, tem conceito sexy, fofo. Então, eu acho Então, eu acho que é é muito variado e é muito completo. Da culinária típica, a mis de cores na panqueca de vegetais. O popular frango apimentado e o cachorro quente coreano. É uma salsicha empanada, aqui dentro tem queijo, tem batata também frita A massa dele também tem batata palha, queijo.

Só num tem pão. Não tem pão. Teve também exposição de arte e oficina de artesanato onde encontramos a Quiong de setenta e cinco anos que no Brasil adotou o nome de Marina ela chegou com o marido e os filhos no início dos anos de mil novecentos e oitenta pra se juntar aos pais que já viviam em São Paulo.

Eles vieram com os primeiros imigrantes coreanos na década de mil novecentos e sessenta Marina conta que foi difícil no começo por causa da barreira do idioma mas que o afeto dos brasileiros ajudou muito a família dela Brasileiro eh tamanho de coração e é assim colônia coreana no início se fixou além da região do Glicério e aos poucos se mudando aqui pro Bom Retiro.

Primeiro vieram as confecções, depois as moradias hoje perto de cinquenta mil coreanos e filhos vivem em São Paulo italianos depois judeus comandaram o comércio no Bom Retiro mas foram os coreanos que transformaram as vitrines nos anos de mil novecentos e noventa replicando em São Paulo a preço popular a moda das mais elegantes cidades do mundo É uma diferenciação dos coreanos com os judeus é que antes os brasileiros que moravam em outros estados que revendiam para o Bom Retiro e fazer a encomenda, só que o coreano não, ele comprou tecido, produziu, abriu a loja de outra região podia vim comprar e levar pra revender.

E o E o NAC chegou ao Brasil com seis anos de idade, é autora de três livros sobre as confecções coreanas no bairro São mil e setecentas lojas que empregam cinquenta mil pessoas e movimentam três bilhões e meio de reais Metade das peças que as brasileiras usam país afora saem do Bom Retiro Os coreanos também vão todo ano, duas, três vezes na Europa, em vários lugares fazer pesquisa trazer isso e se não pegar no Brasil a escala eles produzem de pouco em pouco, então a produção é menor vai adaptando ao gosto dos brasileiros, né?